Torpor da nova poética cabo-verdiana

Torpor da nova poética cabo-verdiana E será com esta nova gente que nos alinhamos na nova África, na renascença de uma Africanidade diferente, outra e emancipada, que não tem pejos, nem esteios de colonizados, nem complexos encravados de identidade; será com esta gente de liberto pensamento e de discurso livre, enquanto África múlplica e plural, ao tempo que assume suas especificidades, que nos assumimos, transculturais e mestiços, prontos para a intermediação do diálogo entre todos os mundos, inclusive com aquele que também nos é de pertença, que é o da Cultura de matriz Ocidental, pela sua vertente também da lusofonia,

02.10.2011 | por Filinto Elísio

Corpo Voluntário Angolano de Assistência aos Refugiados

Corpo Voluntário Angolano de Assistência aos Refugiados No início do CVAAR, eram nove os postos de trabalho. Na sua trajectória, a organização chegaria a ter um total de 27 postos, distribuídos em quatro zonas geográficas. Estruturas criadas para apoio logístico à luta armada de libertação nacional em território de Angola e aos refugiados angolanos.

24.09.2011 | por Associação Tchiweka de Documentação

Febre Amarela e Vermelha

Febre Amarela e Vermelha Desde 20 de Setembro de 2011 que uma certa febre amarela e vermelha tomou conta da rede social Facebook. Várias pessoas de várias idades e nacionalidades, maioritariamente cidadãos moçambicanos partilham a mesma fotografia de perfil: Um flyer amarelo e vermelho com um gigantesco número 30 em destaque.

23.09.2011 | por Hindhyra Mateta

A África na literatura para crianças: por uma estética do cabelo

A África na literatura para crianças: por uma estética do cabelo Há uma literatura que tem abordado a África e tudo o que pode se atribuir a ela: a diversidade, a multiculturalidade, as etnias, as tradições milenares, as artes, a culinária, os rituais... Mas para falar da África não podemos esquecer que falamos de um continente antigo, com extensões gigantescas, de tradições culturais variadas, de muitos países, povos, línguas, dialetos, tribos, religiões.

17.09.2011 | por Letra Falante

Os porquês da fome em África

Os porquês da fome em África A emergência alimentar que afecta mais de 10 milhões de pessoas no Corno de África voltou a colocar na actualidade a fatalidade de uma catástrofe que não tem nada de natural. Secas, inundações, conflitos bélicos… contribuem para agudizar uma situação de extrema vulnerabilidade alimentar, mas não são os únicos factores que a explicam.

16.09.2011 | por Esther Vivas

Investigador da Universidade de York publica estudo sobre o Novo Paradigma Migratório Caboverdiano no contexto global

Investigador da Universidade de York publica estudo sobre o Novo Paradigma Migratório Caboverdiano no contexto global Pedro F. Marcelino, acaba de lançar em Agosto um livro dedicado à emergência de um novo paradigma migratório em Cabo Verde, subjacente a um contexto sócio-económico em que a emigração de caboverdianos para o estrangeiro convive já com uma imigração de africanos, chineses, e europeus para as ilhas, a par do regresso de muitos caboverdianos residentes no exterior. O estudo avança que as medidas anti-terroristas e de gestão migratória tanto nos EUA como na União Europeia no período pós-11 de Setembro terão alterado o mapa migratório da África Ocidental, sem no entanto mudar as aspirações de milhares de pessoas que continuam a querer partir.

16.09.2011 | por Pedro F Marcelino

Conversas à tardinha

Conversas à tardinha Conversas entre as crianças sobre temas que têm a ver com alguns dos obstáculos com que se confrontam no seu dia a dia, devidos à exclusão social: o tráfico e consumo de droga que algumas delas chegam a presenciar em certas zonas do seu bairro, a prisão onde podem encontrar-se familiares ou amigos destes; o roubo e o crime, acerca dos quais todas elas já ouviram falar, pelo menos enquanto acontecimento provável. Trata-se de perceber como é que a prática da Filosofia com Crianças pode abrir a reflexão para pensarem a sua situação de modo a sentirem-se mais integradas para além da comunidade em que vivem.

31.08.2011 | por Rita Pedro

António Pedro: a saga islenha de um poeta de caboverdianidade bissexta vista por Dionísio de Deus y Fonteana

António Pedro: a saga islenha de um poeta de caboverdianidade bissexta vista por Dionísio de Deus y Fonteana Em homenagem a António Pedro Costa, homem-teatro, pintor e artista plástico, poeta surrealista, e inventor do Diário fundador do modernismo poético nas nossas ilhas, para além de criador de muitos mal entendidos na historiografia das geneologias literárias caboverdianas

31.08.2011 | por José Luís Hopffer Almada

Como é que se escreve “Choriro”?

Como é que se escreve “Choriro”? Numa perspectiva contemporânea, Nhabezi personifica o projecto político do Ocidente que vem a África “reparar os danos e impactos historicamente causados pelo capitalismo na sua relação colonial com o mundo”. Do ponto de vista estritamente epistemológico, a metáfora aponta para o facto de o Ocidente estar disposto a ajudar a África a resgatar as suas formas de conhecimento e a potenciá-las para o avanço da humanidade.

18.08.2011 | por Lucilioja Manjate

A terceira diáspora

A terceira diáspora Terceira diáspora é conceito para tentar entender o estado mutante das trocas culturais das culturas negras pós-internet. A primeira diáspora foi criada pelo tráfico negreiro. A segunda aconteceu quando populações descendentes de africanos negros se deslocaram novamente por vários continentes, mudando a cara de muitas cidades do mundo: haitianos em Nova Iorque, senegaleses em Paris, surinameses em Roterdã e assim por diante. A terceira diáspora aconteceria agora, quando a comunicação entre todos esses mundos negros é facilitada por vídeos no YouTube, programas da rádio 1Xtra da BBC, arquivos torrent de cinema nigeriano, e muitos outros bytes.

17.08.2011 | por Hermano Vianna

Dois livros sobre multiculturalismo na Banda Desenhada - Frederick Luis Aldama

Dois livros sobre multiculturalismo na Banda Desenhada - Frederick Luis Aldama Matérias como a homossexualidade, os afro-americanos, os asiáticos-americanos, os nativos americanos, os mestiços, o nacionalismo negro, a representação dos outros países, outras nacionalidades, os estereótipos clássicos ou contemporâneos, encontram o seu lugar em textos que se debruçam desde a banda desenhada da Marvel e o Vimaranama de Grant Morrison e Philip Bond a clássicos alternativos como Adrien Tomine a autores contemporâneos, como Derek Kirk Kim e Gene Luen Yang, passando por banda desenhada mais obscura...

10.08.2011 | por Pedro Moura

África e as trapalhadas financeiras internacionais

África e as trapalhadas financeiras internacionais É um artigo de 2009 mas vale a pena ler para se perceber melhor o que se seguiu. A primeira década do milénio acabava e a maioria dos Estados africanos cumpria meio século de existência: duas boas razões para fazer a revisão do «Estado das Nações» e do (in)cumprimento dos objectivos enunciados pelos «pais fundadores» e reiterados pelas Nações Unidas na viragem do século. Mas a crise económica mundial que começou nos Estados Unidos em 2007, quando o Gana comemorava com grande pompa os 50 anos da sua independência, atingiu em cheio o continente africano e a turvou o horizonte.

09.08.2011 | por Nicole Guardiola

África – Portugal – Brasil: trajetórias, memórias e identidades

África – Portugal – Brasil: trajetórias, memórias e identidades O Instituto Marroquino de Estudos Hispano-Lusófonos lança um convite à reflexão plural e multidisciplinar sobre a convergência dos espaços civilizacionais mediterrâneo e atlântico para a realização da obra “África – Portugal – Brasil: Trajetória, memória e identidade”.

05.08.2011 | por Mohammed ElHajji

Representação das artes na África desde o século passado, contributos para um estudo

Representação das artes na África desde o século passado, contributos para um estudo É sabido que não há relação direta entre desenvolvimento económico e criação artística e cultural. Contudo, sabemos que há uma relação direta entre criação cultural e a sua recepção em regimes onde a democracia se instala e o desenvolvimento económico acontece. Os melhores exemplos de produção em países africanos ilustram-no.

04.08.2011 | por António Pinto Ribeiro

O sal da terra

O sal da terra Passadas algumas décadas, a autora Margarida Paredes viria a confirmar mais uma vez o seu inconformismo criativo e político, com a publicação do romance "O Tibete de África". Editado numa década tão profundamente marcada pelo regresso de muitos escritores portugueses às memórias da “sua” África, O Tibete de África é muito diferente, pela multiplicidade de pontos de vista e pistas de leitura que oferece.

02.08.2011 | por Jessica Falconi

Tragicômico retrato dos filhos de Angola

Tragicômico retrato dos filhos de Angola Angola pós-independência, com seus conflitos e contradições, sua conturbada construção de uma identidade, as feridas abertas no período colonial e as dores e violências de uma guerra civil fratricida, os sonhos e pesadelos antagônicos de gerações, é o pano de fundo dos contos de Filhos da Pátria (Editora Record, 2008), do jornalista, poeta e professor universitário João Melo, editor da revista África 21.

22.07.2011 | por Salim Miguel

Panafricanismo e solidariedade com Angola

Panafricanismo e solidariedade com Angola No rescaldo do Dia de África, a ATD prossegue a evocação de acontecimentos de 1961 com a "Conferência dos líderes nacionalistas de países africanos não independentes" (Winneba, Ghana, 28 de Junho a 05 de Julho), homenageando assim um grande líder africano: Kwame Nkrumah (1909-1972).

21.07.2011 | por Associação Tchiweka de Documentação

Operação Carlota

Operação Carlota Este artigo de Gabriel García Márquez, extraído da 53ª edição da revista Tricontinental, de 1977, só inclui a primeira etapa da "Operação Carlota", pois o autor conclui com a derrota das forças que invadiram a nação angolana e o início da retirada gradual das tropas cubanas, em 1976, quando parecia que tudo tinha concluído. Contudo, tal como acordaram os presidentes Fidel Castro e Agostinho Neto, um número mínimo de tropas ficou em Angola para garantir sua soberania. A situação começou a complicar-se, e a luta se intensificou de novo, mais uma vez a África do Sul interveio, de maneira que se iniciou uma nova etapa da "Operação Carlota", que concluiu só 14 anos depois, com a derrota definitiva dos racistas sul-africanos. O último soldado cubano retornou no mês de maio de 1991.

20.07.2011 | por Gabriel García Márquez

Baltasar Lopes, um homem arquipélago

Baltasar Lopes, um homem arquipélago Texto de apresentação do livro "Baltasar Lopes, um homem arquipélago na linha de todas as batalhas", de autoria de Leão Lopes.

05.07.2011 | por Rui Figueiredo Soares

"Terceira Metade": Entre o mel e o veneno: os perigos do doce encanto da língua portuguesa

"Terceira Metade": Entre o mel e o veneno: os perigos do doce encanto da língua portuguesa ...incorporo a lusofonia como um debate, algo que se distancia de qualquer substância, um foco virtual que, tendo como referência a língua portuguesa, adquire uma dinâmica própria em distintos contextos nacionais. Longe de estarmos diante de um pensamento consensual, a lusofonia paira sobre situações de tensão que colocam estes distintos contextos em contato.

03.07.2011 | por Omar Thomaz Ribeiro