Um ciclo de debates para questionar a amnésia colonial do Porto e do país

Um ciclo de debates para questionar a amnésia colonial do Porto e do país “Há uma predominância de narrativas ligadas à história colonial e uma ausência de narrativas relacionadas com a escravatura. Não há qualquer menção na toponímia, nos monumentos ou em qualquer manifestação urbana no espaço público que relembre ou simbolize o passado escravocrata do Porto”, acrescenta. Ao trazer intervenientes de fora do espaço geográfico da cidade que reflectiram mais sobre o problema, a discussão de quinta-feira alarga-se obrigatoriamente aos casos de cidades como Lisboa e São Paulo e, no debate seguinte, também a Luanda.

Jogos Sem Fronteiras

27.02.2021 | por Isabel Salema

Pôr pedras nos assuntos: a Câmara do Porto e o monumento ao “Ultramar”

Pôr pedras nos assuntos: a Câmara do Porto e o monumento ao “Ultramar” O passado colonial português é ainda hoje uma cortina de fumo, um quase tabu, um não assunto. Sobre o colonialismo português gravita um enredo de silêncios comprometidos, onde se aliam adesões instantâneas a versões adocicadas da história e formas de organizar publicamente uma narrativa que não convém que se discuta. E uma das formas de contornar a discussão, de omitir os problemas, de prolongar os impensados, é impor a visão única no meio da praça, no meio da rua, encorajando os transeuntes a não pensar para além do que lhes salta imediatamente ao caminho. É a velha estratégia de pôr uma pedra no assunto e organizar publicamente o esquecimento, num processo naturalmente mais grave para as suas vítimas diretas.

Jogos Sem Fronteiras

23.02.2021 | por Hugo Monteiro

Filmes sobre cultura negra em Porto/Post/Doc

Filmes sobre cultura negra em Porto/Post/Doc O Porto/Post/Doc: Film & Media Festival é um festival de cinema do real. Na edição de 2020, o festival apresenta, pela primeira vez, a programação em formato VoD (Video on Demand), promovendo um encontro seguro entre o público e os realizadores para além fronteiras. O evento físico terá lugar entre 20 e 29 de Novembro, nos espaços habituais: Teatro Municipal do Porto - Rivoli, Cinema Passos Manuel, Planetário do Porto, Escola das Artes - UCP e Casa Comum - Reitoria da Universidade do Porto.

Afroscreen

17.11.2020 | por Porto Post Doc

::Diário do Futuro:: ou como repensar o(s) passado(s) colonialista(s)

::Diário do Futuro:: ou como repensar o(s) passado(s) colonialista(s) Eu venho do futuro. Estive nele durante sete dias. Levei o gravador, o bloco de notas, a caneta. Ouvi vozes: todas disparam premências, discursos de preocupação do hoje que serão futuro durante muitos anos. Viajei pelos continentes europeu, americano, asiático e africano, sobretudo. Trago coordenadas que podem ajudar a pensar. Trago muitas urgências. Vai ser assim: tem feminismos, um exército de mosquitos a espalhar febre amarela, curadores a tentar mudar narrativas históricas dominantes, resistência indígena, sociologias da urgência, conferências-performance. E até uma arte depois do fim do mundo, psicadélica.

Vou lá visitar

19.11.2019 | por Vanessa Ribeiro Rodrigues

O Comum em tempos de confusão

O Comum em tempos de confusão O convite para MEXER em “comum”, durante uma semana, convoca-nos a questionar as lógicas de vida rígidas normativas que nos são apresentadas como caminhos únicos para os impasses que vivemos enquanto coletivo humano. O nosso foco é “o comum”, a forma de o construir numa lógica participada gerando alternativas, por agora aparentemente “impossíveis”, mas que se tornam possíveis perante a respiração e o decidir dissipar a confusão.

Mukanda

20.08.2019 | por Hugo Cruz

De Mindelo para a cidade do Porto: Bilan, a nova voz da música cabo-verdiana

De Mindelo para a cidade do Porto: Bilan, a nova voz da música cabo-verdiana De São Vicente para a cidade do Porto, do rock da banda "Freak", de Mindelo, para uma música mais eclética, aberta ao mundo, mas sempre cabo-verdiana. Este poderia ser um breve resumo do percurso do músico Elton Jorge Lima, de 31 anos, mais conhecido por Bilan que, depois de uma passagem pelos "Refilon", em Lisboa, e de ter integrado vários projectos musicais na Cidade Invicta, se prepara para lançar "Ilha", o seu primeiro CD.

Palcos

10.06.2012 | por Joaquim Arena

Mindelo: entre a Ficção e a Realidade

Mindelo: entre a Ficção e a Realidade Descoberta em 1462 por Diogo Gomes, S.Vicente manteve-se praticamente deserta até princípios do séc. XIX, apesar de várias tentativas de colonização, realizadas durante o séc. XVIII. Tentativas frustradas pelas secas que, numa ilha tão escassa em água potável, tornavam a sobrevivência praticamente impossível. Assim é que, em 1813, a população de S. Vicente, estava reduzida a um punhado de “aventureiros, pastores de rebanhos alheios, prostitutas e degregados”.

Cidade

17.06.2010 | por Ana Cordeiro