Inscrições abertas para o Mestrado em Estudos Africanos do ISCTE-IUL

O ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, informa que estão abertas as inscrições para o Mestrado em Estudos Africanos (MEA), um dos mais antigos e conceituados mestrados nesta área científica no espaço da língua portuguesa, que inicia em Setembro a sua 23ª edição.

 

 

Este mestrado tem formado, desde 1989, um grande número de mestres com carreiras prestigiadas na investigação e ensino, sector empresarial, diplomacia, administração pública e organizações internacionais e da sociedade civil.

 

O MEA adopta uma abordagem multidimensional e interdisciplinar ao estudo do desenvolvimento social, económico e político em África, proporcionando competências de investigação e profissionais na área científica de Estudos Africanos em duas vertentes principais: (1) a análise dos processos económicos, sociais e políticos nas sociedades africanas e (2) a gestão de desenvolvimento económico e social em África.

Com a duração de dois anos em regime pós-laboral, o curso, que decorre no ISCTE-IUL, no centro de Lisboa, cobre as principais disciplinas sociais incluindo Sociologia Africana, Antropologia e História de África, Estado e Política, Globalização e Relações Internacionais, Teorias de Políticas do Desenvolvimento, Planeamento e Avaliação de Projectos, e o estudo de Organizações Não-governamentais. O segundo ano é dedicado à elaboração da dissertação ou do trabalho de projecto.  

 

Sobre o Mestrado em Estudos Africanos:

§           O Mestrado em Estudos Africanos tem a duração de dois anos.

§           O horário do curso é pós-laboral, duas vezes por semana, das 18:00 às 22:30. 

§           Pode ser frequentado em regime de tempo inteiro ou de tempo parcial.

§           Confere 120 créditos (ECTS) e o grau de Mestre em Estudos Africanos.

§           Está organizado em dois Ramos de Especialização:

  • Estado, Política e Relações Internacionais
  • Gestão do Desenvolvimento Social e Económico

§           Os dois primeiros semestres consistem em dez unidades curriculares distribuídas pelo tronco comum, e por cada um dos ramos de especialidade.

§           O segundo ano é dedicado à elaboração da dissertação ou do trabalho de projecto.

§           Os seminários no segundo ano permitem o acompanhamento sistematizado na organização da investigação e na elaboração da dissertação.

§           Aos alunos que concluam o primeiro ano é atribuído o Diploma de Estudos Pós-Graduados em Estudos Africanos, com 60 créditos (ECTS).

§           Mais informações em: http://iscte-iul.pt/cursos/mestrados/9503/apresentacao.aspx

 

Contactos para mais informação:

Nome: Ulrich Schiefer (Coordenador); Maria Luís Figueira (secretariado)

Instituição: Escola de Sociologia e Políticas Públicas, ISCTE-IUL

Telefone: +351 210 464 123  Ext.291505

Email: Maria.Luis.Figueira@iscte.ptaclsnc@iscte.pt

 

18.08.2014 | por martalanca | ISCTE, Mestrado Estudos Africanos, Universidade

AfrikPlay - Filmes à Conversa | ISCTE-IUL

27 Junho | 18h00 às 19h00 | Auditório B103, Ed. II - ISCTE-IUL


YESTERDAY SLAVES: DEMOCRACY AND ETHNICITY IN BENIN (Camilla Strandbjerg e Eric Hahonou.29’, 2011) Com Pedro Osório (FCSH-UNL)


“A escavidão, emancipação, democracia, cidadania e grupos étnicos são alguns dos tópicos focaods neste filme. FIlmado no norte do Benin, o filme desenha o longo caminho para a liberdade de um homem. A sua trajectória pessoal, simultaneamente particular e arquetípica, demonstra como os Gando, um grupo socialmente marginalizado, agarrou a oportunidade de aceder à representação política e à cidadania durante a recente implementação da descentralização democrática no país. Como nos é explicado por um Presidente de Câmara e seus conselheiros, a trajectória dos Gando em direcção ao poder e cidadania teve início numa mobilização em torno de uma identidade Gando, através de moviemtnos sociais e culturais. O documentário revela o processo universal e complexo da construção de identidades colectivas.”

http://rucforsk.ruc.dk/site/en/publications/les-esclaves-dhier%281d125221-0f90-479d-85e5-dffd03b9cef8%29.html
http://afrikplay.wordpress.com/https://www.facebook.com/AfrikPlay

 

27.06.2012 | por martacacador | escravidão, filmes á conversa. Afrikplay, ISCTE

CONFERÊNCIA: Inviabilidade dos Estados Sahelianos - FERRAN INIESTA | ISCTE-IUL

6 Junho (4ª feira) 18h, Sala C2.02 (Edificio II)
Entrada Livre


04.06.2012 | por martacacador | conferências, Estudos Africanos, ISCTE

CONFERÊNCIA: Clientelismo e corrupção em África - FERRAN INIESTA | ISCTE-IUL

5 Junho (3ª feira) 18h, Sala C2.02 (Edificio II)
Entrada Livre


04.06.2012 | por martacacador | conferências, Estudos Africano, ISCTE

2º Seminário de estudos sobre "A imigração Brasileira na Europa" | ISCTE

4 a 6 de Junho | Edifício II - Piso 1 Grande Auditório e Sala de Exposições (IUL/ISCTE)

Painel I - Juventude e Descendentes

Painel II - Retorno

Painel III - Saúde e Práticas de Saúde

Painel IV – Mercado de Trabalho

Painel V – Participação e Acção Política

Painel VI – Genero e Sexualidades

Painel VII – Mídia, Comunicação, Representação e Redes

Painel VIII – Religião, Crenças e Cultos

Painel IX – Famílias, Casamentos e Novas Conjualidade

+ info sobre o Seminário aqui

Instituto Universitário de Lisboa (IUL/ISCTE)
Morada: Avenida das Forças Armadas 26,Lisboa   
Autocarros: 31, 735, 738, 755, 764, 768
Metro: EntreCampos ou Cidade Universitária (Linha Amarela)
 

 

Instituto Universitário de Lisboa (IUL/ISCTE)Instituto Universitário de Lisboa (IUL/ISCTE)Instituto Universitário de Lisboa (IUL/ISCTE)

02.06.2012 | por martacacador | Brasil, imigração brasileira, ISCTE, seminarios

ConferênciaS de Estudos Africanos: Clientelismo e Corrupção em África

5 Junho 18h | Sala C202 - Edifício II - ISCTE-IUL

 

31.05.2012 | por martacacador | conferências, Estudos Africanos, ISCTE

II Conferência Internacional sobre o Desporto em África | Lisboa

5 e 6 de Junho | Auditório B203 - ISCTE-IUL

O Centro de Estudos Africanos do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), em colaboração com o Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, o “Sport”: Laboratório de História do Esporte e do Lazer da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Núcleo de Estudos Africanos da Universidade Federal Fluminense, promoverá em Lisboa, a 5 e 6 de Junho de 2012, a II Conferência Internacional sobre o Desporto em África, subordinada ao tema Desporto e lazer no continente africano: práticas e identidades.

Programa

- AfrikPlay | Filmes à Conversa: “Town of Runners” (Jerry Rothwell, 2012) | Dia 5 de Junho às 16:15, Auditório B203
- Filme: “Volta do Cacau, 2011 - São Tomé e Príncipe” | Dia 6 de Junho às 13:00, Auditório B203
- Exposição Fotográfica: “Onde Está a Bola?: Campos de Futebol em São Tomé e Príncipe”, Fotografias de Augusto Nascimento | De 4 a 8 de Junho, Ed. II, 1º Piso
- Lançamento do Livro “Futebol e Colonialismo: Corpo e Cultura Popular em Moçambique”, Nuno Domingos, Apresentação de Victor Melo (UFRJ, Rio de Janeiro) | Dia 6 de Junho às 18:30, Auditório B203

Para + info: http://conferenciadesportoemafrica.wordpress.com/

31.05.2012 | por martacacador | conferência, desporto em africa, ISCTE

AfrikPlay | Filmes à Conversa LISBOA

24 de MAIO | CEMETERY STATE (Filip De Boeck e Sarah Vanagt. 72′, 2010)

Com Ramon Sarró (ICS-IUL)

ISCTE – IUL, Ed. I, Auditório 4, 18 horas

“Em Kinshasa, capital da república Democrática do Congo, crianças e jovens assumiram a gestão da morte. A morte passou a ser o seu ‘brinquedo’, e o caixão tornou-se como uma bola de futebol com a qual se brinca e lança ao ar. ‘Cemetery State’ observa como estes jovens coveiros, cantores e músicos, usam o corpo dos mortos como uma plataforma alternativa para atacar e contestar os anciãos, e criar a sua própria (de)ordem.”

http://afrikplay.wordpress.com/ | https://www.facebook.com/AfrikPlay

 

23.05.2012 | por marialuz | African Cinema, ISCTE

Seminário Arts prophétiques en Afrique

Journées d’Études - Arts prophétiques en Afrique

24 e 25 de Maio |Sala C610|Edifício 2, Centro de Estudos Africanos (ISCTE-IUL), LISBOA

Organisées par Julien Bonhomme (École Normale Supérieure) et Ramon Sarró (Université d’Oxford et Instituto de Ciências Sociais, Lisboa)

A relação entre a arte e o profetismo, formas alternativas e complementares de imaginação, tem sido pouco estudada pela antropologia da religião.Porém, muitos artistas foram proféticos na sua obra, e muitos profetas foram artistas na sua forma de imaginar o futuro e até de materializar esta imaginação em textos, desenhos, ou até cidades. A interligação entre arte e profetismo é um lugar ideal para estudar o “trabalho do espírito” de que nos falava Lévi-Strauss e para estudar a interface entre o mundo da palavra e da mensagem e o mundo das imagens e das conexões não-verbais.

Numa viagem que decorre no Congo (região paradigmática da efervescência profética) no primeiro dia e além do Congo (África ocidental e diáspora) no segundo dia, e apoiando-nos na produção de imagens (quadros, filmes), analisaremos comparativamente a conexão entre arte e profetismo em África num seminário de dois dias financiado pelo projeto ANR “Création, Rituel, Mémoire” (Musée du quai Branly, Laboratoire d’anthropologie sociale). O seminário contará ainda com a presença de David Wabeladio Payi (doctor Honoris Causa pela Universidade de Kinshasa), ele próprio inventor por revelação divina de uma forma de escrita e de arte denominada “Mandombe”, muito utilizada no Congo e em Angola e que originou, por um lado, uma arte muito original, já adotada por vários artistas de Kinshasa, e por outro lado um alfabeto de grandes possibilidades aprendido e transmitido em centros de ensino em África e na diáspora.

Para mais informações: facebook.com/CentroEstudosAfricanos

21.05.2012 | por martacacador | Centro de Estudos Africanos, Estudos Africano, ISCTE, seminário

António Santamaria no ISCTE-IUL: CONFERÊNCIAS DE ESTUDOS AFRICANOS

17 Maio 17:30h
Sala C302 Edifício II - ISCTE-IUL

15.05.2012 | por martacacador | António Santamaria, Estudos Africanos, ISCTE

Os Estados Unidos em África no século XXI

Conferência: Os Estados Unidos em África no século XXI
7 de Maio de 2012, ISCTE-IUL, Auditório B104

A Conferência “Os Estados Unidos em África no Século XXI” tem como objectivo essencial analisar a política dos Estados Unidos para o continente africano no século XXI. A conferência deverá interpretar as causas da(s) política(s) norte-americanas, bem como as suas consequências a nível global, regional e local. Pretende-se igualmente analisar a perspectiva africana, isto é, o modo como a política dos Estados Unidos foi recebida e até influenciada pelos diversos países africanos. A interacção África-Estados Unidos será sempre analisada tendo em conta as diversas conjunturas internacionais, desde os atentados de 11 de Setembro de 2001 à “primavera árabe” de 2011, passando pela guerra global ao terrorismo, pela mudança de administração em Washington e pelos próprios desenvolvimentos africanos. Entre outras questões concretas estarão em foco: os Estados Unidos e África durante a Guerra Fria; a criação do Africom; continuidades e mudanças entre Bush e Obama; África e a guerra global ao terrorismo; a importância dos recursos estratégicos africanos; a questão do Sudão; a pirataria no “corno de África”; os Estados Unidos e a Primavera Árabe”; a intervenção da NATO na Líbia.

COORDENAÇÃO
Luís Nuno Rodrigues (CEHC/ISCTE-IUL e IPRI-UNL)
Alexandra Magnólia Dias (CEA/ISCTE-IUL)

ORGANIZAÇÃO
Instituto Português de Relações Internacionais, Universidade Nova de Lisboa
Centro de Estudos de História Contemporânea, ISCTE-IUL
Centro de Estudos Africanos, ISCTE-IUL

FORMATO
A Conferência terá a duração de um dia, com sessões de manhã e de tarde.

PÚBLICO-ALVO
Esta conferência é dirigida a um público com interesse pelas áreas de História, Ciência Política e Relações Internacionais e Estudos Africanos, incluindo professores, investigadores, militares, diplomatas, jornalistas, empresários e decisores públicos e privados, estudantes, em particular doutorandos e mestrandos nas áreas de História, Ciência Política e Relações Internacionais e de Estudos Africanos, bem como ao público em geral.

COORDENAÇÃO
Luís Nuno Rodrigues (CEHC/ISCTE-IUL e IPRI-UNL)
Alexandra Magnólia Dias (CEA/ISCTE-IUL)

ORGANIZAÇÃO
Instituto Português de Relações Internacionais, Universidade Nova de Lisboa
Centro de Estudos de História Contemporânea, ISCTE-IUL
Centro de Estudos Africanos, ISCTE-IUL

PROGRAMA
7 de Maio de 2012 - Auditório B104

10.00 | Sessão de Abertura
Representantes das entidades organizadoras.
Coordenadores da Conferência.

10.15 | Conferência de Abertura: David J. Francis (University of Bradford, UK)11.15 | Coffee Break

11.30 | Sessão 1 – «Os Estados Unidos e África: perspectivas históricas, desafios contemporâneos»
Moderador: Carlos Gaspar (IPRI-UNL)
Intervenções:
Luís Nuno Rodrigues (ISCTE- IUL)• Ryan Irwin (International Security Studies, Yale University, USA)
Monde Muyangwa (Africa Center for Strategic Studies, USA)

Debate
13.00 | Almoço
14.30 | Sessão 2 – «AFRICOM»Moderador: Helena Carreiras (ISCTE-IUL & National Defense Institute)

Intervenções:
James Jay Carafano (The Heritage Foundation, USA)
Roland Marchal (Centre d’Études et de Recherches Internationales, Sciences Po, France)
António Pinheiro (National Defense Institute, Portugal)

16.00 | Coffee Break
16.15 | Sessão 3 – «Regional Approaches» Moderador: Manuela Franco (Diplomatic Institute)

Intervenções:
Alexandra Magnólia Dias (ISCTE-IUL)
Proença Garcia (Institute for Higher Military Studies)
Alex Vines (Chatham House, UK)

Debate
17.45 | Encerramento

26.04.2012 | por herminiobovino | conferência, ISCTE, lisboa

Saberes Étnico-Culturais e Saberes Científicos na Formação Intercultural - Congresso

Painel 11
11. Saberes Étnico-Culturais e Saberes Científicos na Formação Intercultural:

Maria Pombo Martins Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL) - Portugal ommartins@fc.ul.pt;
Darlinda Maria Pacheco Moreira Universidade Aberta – Portugal darmore@uab.pt;
José Manuel Cravo Pombeiro Filipe Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL) – Portugal josemanuelfilipe@sapo.pt.

A cooperação educacional entre dois países tem pressuposto uma assimetria pelo menos na medida em que os formandos têm sido exclusivamente de um dos países e os formadores exclusiva ou predominantemente do outro país. Quando os formadores cooperantes se interessam pelas culturas do país com que cooperam, podem fazê–lo movidos por interesses pessoais ou profissionais ligados às suas áreas de formação académica ou de investigação, ou induzidos por conceções educacionais que procuram fazer valer os significados das aprendizagens que propõem em função das culturas em que os seus formandos foram socializados, ou em articulação com representações conhecimentos, atitudes ou práticas dessas culturas. É a partir das culturas e sociedades dos formandos que nos propomos considerar a globalidade do processo educacional em que os cooperantes se envolvem, com destaque para os estatutos epistemológicos dos saberes e das culturas com que os formandos são confrontados e o caráter problemático da sua articulação, mas sem esquecer a relação com as dimensões sociais, económicas e políticas de tais estatutos. Uma tal abordagem pode passar pela discussão da existência de uma agenda internacional para estruturar a educação segundo princípios e finalidades generalizados a todos os países e culturas. O termo interculturalidade foi adotado por muitos que têm procurado um quadro global que supere as assimetrias e a antinomia modernidade da ciência ocidental vs ancestralidade e tradicionalidade culturais dos povos objeto de “cooperação”. Sem nos centrarmos nas questões teóricas em torno do termo “interculturalidade”, pretendemos dispor de um espaço para os que desenvolveram a sua prática sob a égide deste termo e daquele desígnio. Procuramos nomeadamente abrir este Encontro aos que no Brasil avançam com esse conceito no âmbito da formação de professores indígenas para a escola inígena diferenciada. É importante estar atentos a algumas questões que se colocam na formação intercultural no Brasil e a questões que se nos podem colocar a partir daí. Para os próprios brasileiros, pode ser interessante explorar as vantagens de um quadro de referência mais amplo – o mais amplo possível – para pensar a interculturalidade e a formação intercultural superando os ciclos viciosos resultantes de antinomias e assimetrias, sem deixar de as assumir onde elas existam. Para estes efeitos, é no mesmo quadro comparativo que nos propomos tratar estas relações entre saberes, desde o Brasil e América Latina à África e Ásia, e à Europa –– onde nos contextos escolares se colocam problemas semelhantes entre os saberes eruditos ou valores tipicamente escolares e os saberes, atitudes e valores adquiridos em culturas populares ou de grupos sociogeográficos por vezes designados como “subculturas”.

18.04.2012 | por herminiobovino | congresso, cultura, ISCTE, lisboa

Conferência: As Sociedades Africanas Face a Dinâmicas Globais _ Migrações, ISCTE, LISBOA

Conferências de Estudos Africanos, 9 de Fevereiro às 16h Auditório C205 _ Edif II, ISCTE-IUL

03.02.2012 | por franciscabagulho | Estudos Africanos, ISCTE, migrações

Yolanda Aixelá no ISCTE-IUL, 10 Fev., LISBOA

Ciclo de Conferências Doutorais do Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas

La construcción poscolonial de Guinea Ecuatorial y el impacto de las migraciones transnacionales, Yolanda Aixelà Cabré (CSIC - Institutò Milà i Fontana, Barcelona) _ 10 Fevereiro 2012, 18h00: ISCTE-IUL, Auditório B203, Edifício II

01.02.2012 | por franciscabagulho | Guiné Equatorial, ISCTE, Yolanda Aixelà Cabré

Candidaturas Mestrado em Estudos Africanos no ISCTE, LISBOA

Mestrado em Estudos Africanos é um curso inscrito no quadro dos programas de 2º ciclo estipulado pelo Processo de Bolonha e que visa o estudo interdisciplinar do desenvolvimento social, económico e político na África contemporânea. Dirigindo-se a interessados nacionais e estrangeiros, africanos e não-africanos, oferece tanto a possibilidade de uma especialização científica quanto a de uma preparação para o desenvolvimento de funções profissionais. O mestrado tem a duração de dois anos (quatro semestres) e está organizado em dois Ramos de Especialização: Estado, política e relações internacionais. Gestão do desenvolvimento social e económico. Os dois primeiros semestres consistem em dez unidades curriculares (cinco por semestre). Incluem um tronco comum de unidades curriculares e unidades curriculares especificas a cada Ramo de Especialização. Os terceiro e quarto semestres são dedicados à elaboração da dissertação ou do trabalho de projecto. Este ciclo de estudos destina-se a licenciados em ciências sociais, em economia e em ciências da gestão e também a licenciados noutras áreas científicas interessados em aprofundar conhecimentos científicos e desenvolver capacidades profissionais no domínio cientifico dos Estudos Africanos.

ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa

Candidaturas aceites até 16 de Janeiro de 2012. Inicio das Aulas: 6 de Fevereiro de 2012

Todas as Informações aqui

05.12.2011 | por franciscabagulho | Estudos Africanos, ISCTE

Call for papers- Conferência Internacional

 O Instituto da Defesa Nacional (IDN), em parceria com o Centro de Estudos Africanos do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), promoverá nas instalações do IDN em Lisboa, a 10 e 11 de Outubro de 2011, uma Conferência Internacional sobre “A Prevenção e a Resolução de Conflitos em África”.

Submissão de Propostas de Comunicações até 30 de Abril. Para mais informações consulte aqui.

10.04.2011 | por ritadamasio | conferência, conflitos, internacional, ISCTE, resoluçao

Ciclo de Conferênci​as AvalPortug​al- Encontros sobre Eficácia da Ajuda ao Desenvolvi​mento

Na sequência da mesa redonda sobre a eficácia da ajuda ao desenvolvimento que se realizou em Janeiro no ISCTE-IUL, o Grupo de Trabalho sobre Cooperação Internacional da AvalPortugal inicia agora um conjunto de encontros no âmbito do Ciclo de Conferências sobre Avaliação de Políticas Públicas, dedicados à avaliação e eficácia da ajuda ao desenvolvimento.

Terá lugar no dia 22MAR às 18h00 no Auditório Afonso de Barros, Ed. II, ISCTE-IUL .

O tema em discussão será o Apoio Directo ao Orçamento em Moçambique e será apresentado por Edson Cortez.

Organizado por: ESPP/ISCTE-IUL; AvalPortugal e CIES/ISCTE-IUL

16.03.2011 | por ritadamasio | conferência, Cooperação, desenvolvimento, ISCTE, Moçambique

Conferênci​a com Dr.René Gerrets da Universidade de Amsterdão

Convite
 
 
Dia 14 de Fevereiro de 2011, 2ª feira, às 18:00, no Auditório Afonso de Barros, se efectuará o  Seminário de Estudos Africanos,  apresentado pelo Doutor René Gerrets, Universidade de Amesterdão, sobre Partnership’ and (dis-)empowerment in international health: a troubling view from a malaria intervention in southern Tanzania.

08.02.2011 | por ritadamasio | Empowerment, Estudos Africanos, international health, ISCTE, Partnership, RenéGerrets, Tanzania