MESA REDONDA: "os desafios da criação artística em África"

COM MAMADÚ BALDÉ, MATAMBA REIS, DANIEL MARTINHO, JOÃO JOSÉ SILVA, MARTA LANÇA E ONYEKA NWELUE 

dia 16 de junho, sabado, às 16h30 no Arte & Manha

 

“ODEIO A IDEIA DE QUE A VIDA AFRICANA É SIMPLES – COMO UM ESTÔMAGO VAZIO E UM CORPO NU À ESPERA DE SEREM ALIMENTADOS, VESTIDOS, ALOJADOS OU CURADOS. É UMA CONCEPÇÃO QUE ESTÁ INCORPORADA NO – DESENVOLVIMENTO – IDEOLOGIA E PRÁTICA” - ACHILLE MBEMBE

FALAR D’OS DESAFIOS DA CRIAÇÃO ARTÍSTICA EM ÁFRICA É ABRIR UMA PORTA DE QUESTÕES, UM MUNDO DE DISCUSSÃO MAIS COMPLEXO DO QUE AS INQUIETAÇÕES DE UMA SOCIEDADE CRIATIVA POR SI SÓ. SÃO, DE FACTO, IMENSAS AS QUESTÕES QUE “CRIAR” LEVANTA. EM PRIMEIRO FALAMOS DA ORDEM INTERIOR – OS TEMAS, AS FORMAS, INSPIRAÇÕES, MENSAGENS – E POR OUTRO LADO, NÃO MENOS IMPORTANTE TEMOS AS QUESTÕES EXTERNAS – ACEITAÇÃO, COMPREENSÃO, ENQUADRAMENTO. 
A FRASE DE ACHILLE MBEMBE UM DOS IMPORTANTES PENSADORES AFRICANOS REMETE-NOS PARA UM CRUZAMENTO IMPORTANTE NO PENSAR SOBRE DESAFIOS ARTÍSTICAS EM ÁFRICA. AQUI ENCONTRO UM APELO IMPORTANTE PARA A FORMA COMO SE VÊ OS CRIADORES AFRICANOS, O QUE SE ESPERA DELES E A LIBERDADE CRIATIVA QUE GOZAM. 
PODE UM AFRICANO ESCREVER SOBRE EUROPA? QUAL É O LUGAR DA UNIVERSALIDADE NA CRIATIVIDADE AFRICANA? A QUEM PERTENCE A IDENTIDADE ATRIBUÍDA AOS ARTISTAS E QUAL É O LUGAR DA ARTE NA SOCIEDADE? AS QUESTÕES NÃO SE ESGOTAM POIS A ESTAS ADICIONAM-SE OUTRAS QUESTÕES COMO INVESTIMENTO E SUSTENTABILIDADE.

 

integrado no programa do África Mostra-se 

16.06.2012 | por martalanca | Africa, criação artística

Baobá- Moda AfroUrbeBrasileira

‘O baobá é uma árvore milenar que cresce em solo africano, simboliza o conhecimento ancestral.
A BAOBÁ é uma marca de roupas e acessórios, criada em 2006 pela estilista e jornalista brasileira Tenka Dara. 
A marca Inspira-se na relação entre as Áfricas e o Brasil cria pontes entre culturas. 
As roupas e acessórios são feitos com as CAPULANAS, tecidos tradicionais de Moçambique, utilizados por mulheres moçambicanas há muitas gerações. 
As peças da BAOBÁ são exclusivas, as estampas não se repetem no mesmo modelo.
BAOBÁ é um pouco da ÁFRICA no BRASIL.’

Visite o blog e a loja online.

15.06.2012 | por joanapereira | Africa, África-Brasil, Brasil, moda

Festa da Literatura e do Pensamento do Norte de África

Festa da Literatura e do Pensamento do Norte de África 
22 Junho | 23 Junho | 24 Junho
Fundação Calouste Gulbenkian
Entrada Livre


1.ª sessão: Os bloggers da Primavera Árabe22 de Junho 2012, 19h00 - TendaMaria João Tomás (moderadora) (Portugal) / Mona Prince (Egito) / Danya Bashir (Líbia) / Yassine Ayari (Tunísia) / Aboubakr Jamai (Marrocos)
2.ª sessão: O Estado das Artes/ 23 de Junho 2012, 19h00 - TendaBouchra Khalili (moderadora) (Marrocos) / Ahmed El Attar (Egito) / Mohamed Siam (Egito) / Nermine Hammam (Egito) / Soufiane Ouissi (Tunísia) 
3.ª sessão: A Primavera Árabe explicada por Tahar Ben Jelloun 23 de Junho 2012, 22h00 - Anfiteatro ao Ar LivreTahar Ben Jelloun (Marrocos) 
4.ª sessão: O protagonismo das mulheres nos países do norte de África/ 24 de Junho 2012, 19h00 - TendaMichket Krifa (moderadora) (Tunísia-França) / Nawel Skandrani (Tunísia) / Olivia Marsaud (França) / Nahed Nasrallah (Egito)  
5.ª sessão: Pensadores do Norte de África/ 24 de Junho 2012, 22h00 - Anfiteatro ao Ar LivreKarim Ben Smail (moderador) (Tunísia) / Fethi Benslama (Tunísia) / Wassyla Tamzali (Argélia) / Samy Ghorbal (França)

Fonte: http://www.proximofuturo.gulbenkian.pt/licoes/festa-da-literatura-e-do-pensamento-do-norte-de-africa

08.06.2012 | por joanapereira | Africa, Calouste Glubenkian, literatura

África Mostra-se: Mostra de Cinema e Cultura Africana - 14 a 17 de Junho

De forma a enriquecer a programação do evento, a equipa do África Mostra-se - Mostra de Cinema e Cultura Africana pretende dar visibilidade a artistas oriundos de diferentes países africanos, retratando de forma abrangente o panorama artístico deste continente.
Sob o tema central “os desafios da criação artística em África”, a edição 01 do AFM irá decorrer nos dias 14, 15, 16 e 17 de Junho no Institut Français du Portugal, Arte & Manha e ATLA - Associação de Tempos Livres. Durante os quatro dias do evento desejamos mostrar ao público português e às diásporas africanas, imagens, sons e manifestações artísticas de uma África positiva e confiante.
Continuamos a acreditar que o encontro de artistas, o intercâmbio de experiências e a cooperação saem favorecidos com a criação de um espaço de apresentação como o AFM01 que pretende ter uma influência positiva numa sociedade que se quer tolerante e livre de qualquer sentimento de discriminação.Sonhando por estreitar laços culturais e por fazer emergir uma nova perspetiva sobre África, abrimos um espaço de reflexão com os olhos postos no futuro tendo a arte como plataforma de comunicação.Mais informações sobre programação e preços em https://www.facebook.com/mostraafricamostrase.




28.05.2012 | por joanapereira | Africa, cinema

HOJE 25 Maio | Especial África: concerto Guiné + dj Lady GBrown, no Bartô/ Chapitô

Vem curtir uma grande noite africana de celebração do dia de África!25 de Maio, sexta-feira, das 22h às 4h  - ENTRADA LIVRE!

Concerto de grandes músicos guineenses, com a participação de:
Zeras Bunca Sanha, vocalista
Sadjo Csssamá- ritimistaSanha- viola
Wié- batarista
Zeca Lucassa- viola solo
Kabum-djembé
Artista convidados: Xangai, Zezé e Dinis Costa.
+ dj Lady GBrown

LadyGold&Brown A.K.A LadyGBrown nasce em 2003 quando quis partilhar essa paixão com mais gente. Por  influência de amigos como Selekta Lexo (Raska), Dr Bastard entre outros, começou por tocar no Bob Rasta na altura o único bar de reggae no Bairro Alto. Foi residente no bar do Colectivo Club Naval; Mexe Café; Velvet; Mesquita bar; Espaço Groove Art; Summer Echo-Costa da Caparica; Bar L; Groove bar;  Maxime;  Mood; Souk; Left; Bacalhoeiro;  MusicBox;  Jamica; Club Europa; Lisboa Festival África/Lisboa Mistura/Festival de Cinema Africano com Colectivo AfroBlu;  Club Ferroviario; Bar do Cais; Pensão Amor; Arte & Manha. Faz parte do Colectivo AfroBlu Dj’s com João Gomes- Cool Hipnoise, Johny- Cooltrain Crew e Dj Lucky. É um projecto de Música Negra onde fazemos uma viagem desde os anos 60 até aos dias de hoje, MiriamMakeba; Cesária Evora; Salif Keita; Pantera; Jorge Ben Jor; Miles Davis; Elias dia Kimuezo; PauloFlores; Bezzera da Silva; Nigga Poisson e muitos outros. O ritmo saí do continente negro, cruza o Atlântico rumo às Caraíbas e recarrega as baterias em Portugal.

É SÓ DANÇAR!!!!

25.05.2012 | por joanapereira | Africa, bartô, Chapitô, Guiné

BUALA FAZ DOIS ANOS, E É DIA DE AFRICA

foto de Jean Deparafoto de Jean Depara

Amigos, colaboradores e leitores:

Escrevo de Luanda para saudar toda esta plataforma que tem vindo a alargar a sua rede. Faz hoje dois anos que pusemos o BUALA online, com a convicção de que era um espaço necessário, e ainda não nos arrependemos!

Este projecto editorial tem sido apenas possível graças a uma equipa dedicada e voluntária de editores, colaboradores, tradutores e consultores. Revelou-se um fenómeno crescente de visitas e colaborações, uma energia que se quer manter assim, dinâmica, rigorosa, de acolhimento de ideias novas e diferentes perspectivas que têm contribuído paro nosso sentido problematizante sobre a cultura e contemporaneidade africana, tão imensa quanto complexa. Prestamos um serviço de informação cultural, numa liberdade editorial que preza a qualidade e a pluralidade, e que gostaríamos de desenvolver mais e mais para benefício de todos.

Apesar de não termos financiamento, e de isso nos contranger bastante no que gostaríamos de executar, hoje é dia de festa e o BUALA aqui está para ficar, aberto a todos.

+ INFO SOBRE O BUALA 

Agradeço a todos que colaboram connosco!

 

porque se comemora África logo hoje?

A Organização da Unidade Africana escolheu o dia da sua constituição, 25 de Maio de 1963 como o Dia da África, para celebrar os africanos.
47 Anos desde a criação, em Addis Abeba (Etiópia), da Organização de Unidade Africana (OUA), em carta assinada por 32 estados africanos já independentes na altura.
O acto constituiu-se no maior compromisso político dos líderes africanos, que visou a aceleração do fim da colonização do continente.
No dia 25 de Maio de 1963 reuniram-se 32 Chefes de Estado africanos com ideias contrárias à subordinação a que o continente estava submetido durante séculos (colonialismo, neocolonialismo e “partilha da África”).
Dessa reunião, nasceu a OUA (Organização de Unidade Africana). Pela importância daquele momento, o 25 de Maio foi instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 1972, Dia da Libertação de África. A criação da OUA traduziu a vontade dos africanos de se unirem numa força comum, capaz de responder, de forma organizada e solidária, aos múltiplos desafios com que se defrontam para reunir as condições necessárias à construção dos seus países. Como a OUA mostrou-se incapaz de resolver os conflitos surgidos continuamente em toda a parte do continente, os golpes de estado tornaram-se uma prática. Economicamente, os indicadores também estavam longe de serem animadores, concorrendo para isso a própria instabilidade militar e as múltiplas epidemias.
Assim, a 12 Julho de 2002, em Durban, o último presidente da OUA, o sul-africano Thabo Mbeki, proclamou solenemente a dissolução da organização e o nascimento da União Africana, como necessidade de se fazer face aos desafios com que o continente se defronta, perante as mudanças sociais, económicas e políticas que se operam no mundo.
Contudo, resolveu manter a comemoração do Dia de Africa a 25 de Maio, para lembrar o ponto de partida, a trajetória e o que resta para se chegar à meta de “uma África unida e forte”, capaz de concretizar os sonhos de “liberdade, igualdade, justiça e dignidade” dos fundadores.
Dos 54 estados africanos, 53 são membros da nova organização: Marrocos afastou-se voluntariamente em 1985, em sinal de protesto pela admissão da auto-proclamada República Árabe Saharaui, reconhecida pela OUA em 1982.

25.05.2012 | por martalanca | Africa, aniversário, buala

25 Maio| Dia de África: Quinteto Ricardo Pinto no Centro Cultural Malaposta

Quinteto Ricardo Pinto volta aos palcos com o seu estreante álbum Sintra Project, desta feita para um concerto agendado para 25 de MaioDia de África, às 21H45, na sala Café-Teatro do Centro Cultural Malaposta.
Cinco temas originais - compostos pelo músico português Ricardo Pinto, Trompetista ligado exclusivamente e há mais de uma década a projectos de Jazz e música portuguesa - são sonorizações em imagens que refletem a tão típica vila portuguesa de Sintra e os ambientes marcados por uma densidade única, reflexo de uma ligação íntima do autor à sua terra.

No Dia de ÁfricaRicardo Pinto, também ele intimamente ligado à criação de projectos que cruzam os universos portugueses e africanos – como os Yeti Project ou a Kumpania Algazarra, reúne o Quinteto com o seu nome para mais um concerto, estando também agendadas actuações no Out Jazz (22 Julho), na Volvo Ocean Race (05 de Junho) e no Rock in Rio (01 Junho, Palco Sunset com os Black Mamba & Tiago Betencourt).

Data | 25 de Maio de 2012

Local | Café-Teatro do Centro Cultural Malaposta

Hora | 21H45

Preço | 6€

Sítio online | http://fewgrecords.com

 

19.05.2012 | por joanapereira | Africa, música

De 21 a 25 de Maio: ÁFRICA DIVERSA | Expoentes dos estudos afro no Centro de Artes Calouste Gulbenkian


Escritores, pensadores, acadêmicos, atores e músicos reunidos
no projeto ÁFRICA DIVERSA
Evento contará com expoentes da cultura afro-brasileira e africana e oferecerá oficinas, minicursos e palestras.
De 21 a 25 de maio no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian. Entrada franca.
Valorizar e difundir as culturas afro-brasileira e africana através de apresentações culturais e atividades literárias: esse é um dos objetivos do projeto África Diversa que, em sua segunda edição traz ao Rio de Janeiro uma agenda que mostrará um pouco do legado afro-brasileiro e africano. O evento é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura do Rio e oferecerá, durante cinco dias (de 20 a 25), no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian (coração da Praça XI – conhecida como Pequena África; reduto por excelência dos negros brasileiros), um seminário educativo com oficinas, cursos, palestras e debates com escritores, pesquisadores e artistas que trabalham com estes temas. Da mesma forma, poderá prestigiar e participar de apresentações artísticas diárias e lançamento de livros. O evento tem como objetivo a formação de educadores e artistas que desejam se aprofundar no conhecimento de temas sobre cultura afro-brasileira e africana. Todos os eventos têm entrada gratuita.

Milton Teixeira. Luiz Carlos Prestes Filho. Reginaldo Prandi. Joel Rufino dos Santos. Hassane Kouyaté. Tânia Andrade Lima. Ondjaki. Esses são alguns dos artistas e escritores que realizam um trabalho de excelência com cultura africana e afro-brasileira e que ministrarão palestras, minicursos e oficinas no Seminário. As inscrições devem ser feitas através do site www.africadiversa.com.br, a partir do dia 11 de maio. Haverá minicursos sobre os griots, danças populares maranhenses, o maracatu, contos afro-cubanos, orixás e contação de histórias.

“O projeto atende à necessidade de formação de educadores e artistas que desejam se aprofundar no conhecimento de questões ligadas à cultura afro-brasileira e africana. Nossos palestrantes, que possuem larga experiência nos temas,  terão o desafio de trazer novas questões, olhares  e reflexões sobre a formação de identidade, a diversidade cultural, a relação entre tradição e contemporaneidade, o diálogo África-Brasil e, sobretudo, a importância da transmissão oral nestas sociedades”, explica a curadora do África DiversaDaniele Ramalho.

A programação tem início às 10h de domingo (20), na Praia de Copacabana, com a apresentação do grupo folclórico do Maranhão ‘Boi Brilho de Lucas’. Às 15h, a ‘Roda de Tambor de Crioula’, também do Maranhão, se apresentará na Praça XV. Na manhã seguinte, no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, haverá a abertura oficial com o Secretário Municipal de Cultura Emilio Kalil (às 9h), será dado início ao seminário e às atividades artísticas como mostra de filmes, shows (Baile Black com DJ Marcello B Groove e show do BNegão), contação de histórias e teatro adulto. Serão apresentados os espetáculos: “The Island”, da Cia do griot Hassane Kouyaté, Deux Temps Trois Mouvements (Dois Tempos Três Movimentos) no dia 24, às 18h, e “Besouro Cordão de Ouro” no dia25/maio, às 20h, com a direção de João das Neves. 

Mais informações (toda a programação) sobre os eventos e inscrições para o seminário no sitewww.africadiversa.com.br, a partir do dia 11/05. As atividades terão certificado de participação para quem se inscrever através página do projeto.
Centro Municipal de Artes Calouste GulbenkianEndereço: Rua Benedito Hipólito, 125 - Praça XIEntrada franca

16.05.2012 | por joanapereira | Africa, Calouste Glubenkian, capitais, estudos, Rio de Janeiro

25 sexta Especial África concerto + dj - Bartô - LISBOA

NOITE PARA DANÇAR E CELEBRAR ÁFRICA - das 22h às 4h -no zonafranca do BARTÔ (Chapitô)

ENTRADA LIVRE 

GingongoGingongoGingongo

As duas irmãs gémeas Tatiana e Tânia Araújo são as Gingongo. Nascidas em Lisboa, filhas de pais angolanos, partilham desde sempre uma enorme paixão pela música. Participaram em diversos projectos musicais e agora decidem apostar num estilo world music. Apresentam os seus originais produzidos e editados pelas mesmas, oferecendo um espectáculo cheio de paixão e magia onde só os sentidos serão os nossos guias.

Renato – baixo; Gerson Marta - guitarra e vozes; Nir Paris – bateria; Tatiana e Tânia Araújo – vocalistas.

http://www.myspace.com/gingongo/music

 

Lady GBrown

Lady GBrownLady GBrownLadyGold&Brown A.K.A LadyGBrown nasce em 2003 quando quis partilhar essa paixão com mais gente. Por  influência de amigos como Selekta Lexo (Raska), Dr Bastard entre outros, começou por tocar no Bob Rasta na altura o único bar de reggae no Bairro Alto. Foi residente no bar do Colectivo Club Naval; Mexe Café; Velvet; Mesquita bar; Espaço Groove Art; Summer Echo-Costa da Caparica; Bar L; Groove bar;  Maxime;  Mood; Souk; Left; Bacalhoeiro;  MusicBox;  Jamica; Club Europa; Lisboa Festival África/Lisboa Mistura/Festival de Cinema Africano com Colectivo AfroBlu;  Club Ferroviario; Bar do Cais; Pensão Amor; Arte & Manha. Faz parte do Colectivo AfroBlu Dj’s com João Gomes- Cool Hipnoise, Johny- Cooltrain Crew e Dj Lucky. É um projecto de Música Negra onde fazemos uma viagem desde os anos 60 até aos dias de hoje, MiriamMakeba; Cesária Evora; Salif Keita; Pantera; Jorge Ben Jor; Miles Davis; Elias dia Kimuezo; PauloFlores; Bezzera da Silva; Nigga Poisson e muitos outros. O ritmo saí do continente negro, cruza o Atlântico rumo às Caraíbas e recarrega as baterias em Portugal.

14.05.2012 | por martalanca | Africa, Gingongo

Dr Alban - Hello Africa

Yo! My name is Dr. Alban, the MD - Microphone Doctor. This song is dedicated to the people of Afrika
SweMix, gimme some drums!
Hello Afrika, tell me how you’re doin’
Hello motherland, tell me how you’re doin’ (2X)

Hello Nigeria! That’s my motherland
Coming to Sweden now causin’ hysteria
Takes a long time to travel the globe
So why be shy? Why be humble?
I just came straight of the jungle
You can’t compete with me
‘Cause you know I got the rhythm
I did it before and I’ll do it again
So listen watcha say, yeah hear my point of view
Not everyone can do this, no, in fact only a few
Sophisticated, hardcreated, that’s who I am
And you know I’ve been waiting, so start pumping,
Make some noise
The Mandika tribe, the Hausa tribe, the Fulani tribe,
The Gooya tribe, The Zulu tribe,
Mi no live in a house, mi live in a tree
Electricity can give you a shock
Mi no smoke no cig, mi no take no coke
All mi take is a glass of juice

Continuar a ler "Dr Alban - Hello Africa"

09.05.2012 | por martalanca | Africa, Music

AfrikPlay | Filmes à Conversa‏

AfrikPlay | Filmes à Conversa é um novo projecto que apresenta filmes sobre África contemporânea, organizado pelo CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia) | ISCTE-IUL, e pelo Centro de Estudos Africanos (CEA-IUL) | ISCTE-IUL. É um projecto em construção, e deseja trazer o cinema ao espaço universitário, criando um lugar de debate e reflexão em torno de filmes que apresentem um olhar renovado sobre África.

web
facebook

26.04.2012 | por herminiobovino | Africa, antropologia visual, cinema, Estudos Africanos

Call for Papers: II Conferência Internacional Desporto em África - Desporto e lazer no continente africano: práticas e identidades (prolongamento do prazo para chamada para comunicações)

Chamada para comunicações / call for papers

II Conferência Internacional sobre o Desporto em África

Desporto e lazer no continente africano: práticas e identidades

http://conferenciadesportoemafrica.wordpress.com/

 

O Centro de Estudos Africanos do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), em colaboração com o Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, o “Sport”: Laboratório de História do Esporte e do Lazer da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Núcleo de Estudos Africanos da Universidade Federal Fluminense, promoverá em Lisboa, a 5 e 6 de Junho de 2012 no ISCTE-IUL, a II Conferência Internacional sobre o Desporto em África, subordinada ao tema Desporto e lazer no continente africano: práticas e identidades

Apela-se à participação, em particular, dos académicos que tenham ou queiram desenvolver trabalhos sobre desporto e lazer em África.

A Conferência será aberta ao público. As línguas da Conferência serão o português, o francês e o inglês. Os interessados em participar com a apresentação de comunicações deverão ter presente a seguinte calendarização.

 

30 de Janeiro - submissão de propostas de comunicações

15 de Fevereiro - comunicação da Comissão Científica sobre a aceitação de comunicações 

15 de Maio - entrega dos papers para publicitação no site do CEA-ISCTE/IUL

 

Os resumos das comunicações deverão ter no máximo 200 palavras e ser acompanhados de três palavras-chave. Os proponentes deverão juntar uma breve nota biográfica, assim como indicar a respectiva filiação institucional e os contactos pessoais. As propostas deverão ser enviadas para o seguinte email: desporto.africa.cea@gmail.com

 

Deadline of Call for papers extended to January 30

 

II International Conference on Sport in Africa

Sport and leisure in Africa: practices and identities

http://conferenciadesportoemafrica.wordpress.com/

 

The Center of African Studies of the ISCTE-Lisbon University Institute, in cooperation with the Institute of Social Sciences of the University of Lisbon, the Sport: Laboratory of the History of Sport and Leisure, of the Federal University of Rio de Janeiro and the Group of African Studies of the Fluminense Federal University, are promoting the II International Conference on Sport in Africa, entitled Sport and leisure in Africa: practices and identities, in Lisbon on the 5 and 6 of June 2012.

Papers are welcome, particularly from scholars who study or are interested in developing topics related to sport and leisure in Africa.

The Conference will be open to the public. The Conference languages will be Portuguese, French and English. Those interested in participating with the presentation of papers should take note of the following schedule.

 

January 30 - Submission of proposals of papers

February 15 - Communication of the Scientific Committee on the acceptance of communications 

May 15 – Publication of papers on the site of CEA-ISCTE/IUL

 

Abstracts of papers should not exceed 200 words and be accompanied by three keywords. Speakers must attach a brief biographical note and indicate their institutional affiliation and personal contacts. Proposals should be sent to the following email: desporto.africa.cea@gmail.com

17.01.2012 | por joanapires | Africa, call for papers, Centro de Estudos Africanos, desporto, instituto de ciências sociais

Apresentação do livro " The Protean Web. Literature and Ethnography in Lusophone Africa" de Ana Maria Martinho Gale

13.12.2011 | por joanapires | Africa, etnografia, lançamento livro, literatura

Como os americanos vêem África

 

O projecto com o nome The Mapping Stereotypes Project foi desenvolvido pelo alphadesigner. A explicação bem como a visão que os americanos têm dos restantes continentes do nosso planeta, segundo os responsáveis pelo projecto, podem ser consultadas aqui.

14.11.2011 | por joanapires | Africa, América

AFRICA: la política de sufrir y reír

NOVEDAD EDITORIAL
África: la política de sufrir y reír
Patrick Chabal
oozebap
285 pp. PVP: 16 euros

 

“Una importante reflexión sobre aquellos profundos aspectos de la vida africana que la mayoría de las ciencias políticas encuentra demasiado complicados de analizar. Chabal propone respuestas sencillas ante cuestiones muy complejas.”
John Lonsdale, Universidad de Cambridge
 
“En este apasionante libro, escrito con elegancia, Patrick Chabal sostiene que la ciencia política mayoritaria, así como las teorías políticas y económicas ortodoxas, no logran hacer justicia a las complejidades de la vida social africana. En su lugar, nos ofrece una sensitiva comprensión de las realidades políticas desde el punto de vista de la gente que las sufre, pero que también las utiliza en su lucha por una vida digna.”
Tim Kelsall, editor, African Affairs

Texto de la contraportada
Ante el exceso de simplificación de las ciencias sociales, Patrick Chabal utiliza una metodología que no se basa en la teoría política africanista tal y como se ejerce desde las últimas décadas. Es en los matices revelados de la vida, en las inconsistencias del comportamiento individual y colectivo, donde encontramos una visión más iluminadora de los acontecimientos y los procesos. Asimismo, se trata de un acercamiento igual de válido para África que para cualquier otra parte del mundo y rehuye, todo lo posible, el sesgo particularista basado en la suposición de que la realidad del continente africano desafía cualquier clasificación.
La reflexión política debe basarse en la inmediatez de la vida (y la muerte) cotidiana. ¿Cómo se define la gente a sí misma? ¿Dónde pertenece? ¿En qué cree? ¿Cómo lucha para sobrevivir y mejorar su condición? ¿Cuál es el impacto político de la enfermedad y la pobreza?
¿Cuándo se rompió el vínculo entre poder y autoridad? ¿Existen mecanismos de responsabilidad social? ¿Son realmente necesarios los partidos políticos? ¿Cómo interaccionan modernidad y tradición?
El libro nos ofrece una forma radicalmente diferente de analizar la política en África. Al centrarse en la inmensa mayoría de la población, y no en sus élites o en los análisis macroeconómicos convencionales, saca a la luz los modos en que los africanos «sufren y ríen».

Información sobre el autor
Patrick Chabal es uno de los teóricos sobre África más renombrados en todo el mundo. Profesor en el King’s College de Londres, se ha formado en las universidades de Harvard, Columbia y Cambridge. Residente durante un curso en el Instituto de Estudios Avanzados de Princeton, donde se forjó el presente libro, ha impartido clases en facultades de África, Estados Unidos y Europa. Ha escrito extensamente sobre historia, política y cultura de los países africanos y, de forma más general, sobre teoría política. Entre sus publicaciones, encontramos ‘Culture Troubles: Politics and the Interpretation of Meaning’ (2006) y ‘África camina: el desorden como instrumento político’ (1999) ambos con J.-P. Daloz; ‘Power in Africa’ (1992 y 1994) y ‘Amilcar Cabral:
Revolutionary Leadership and People’s War’ (1982 y 2003).

 

Descarga dos capítulos íntegros en PDF:

-Introducción

-La política de ser

Continuar a ler "AFRICA: la política de sufrir y reír"

04.11.2011 | por joanapires | Africa, livro

Rencontres de Bamako: Biennale africaine de la photographie – 9 ème Edition

Rencontres de Bamako

Biennale africaine de la photographie – 9 ème Edition

1er novembre 2011 - 1er janvier 2012

 

Vernissage le 1er novembre 2011 à partir de 15h30. Mémorial Modibo Keïta, Bamako.

Contact: artbakerybonendale@gmail.com.

 

Carte Blanche à un jeune commissaire:

Ruth Colette Afane Belinga

en partenariat avec ArtBakery - Bonendale, Cameroun.

Mémoire / Goddy Leye


Exposition Monographique en hommage à Goddy Leye, avec les oeuvres de Goddy Leye, la

participation de Bill Kouélany (Congo-Brazzaville), Ann Mary Gollifer (Bostwana) et le soutien de l’Institut Français, de Cécile Bourne-Farrell (France), Estella Mbuli(Cameroun), Justine Gaga (Cameroun) et Adeline Chapelle (France).

03.11.2011 | por joanapires | Africa, biennale africaine de la photographie, exposição de fotografia

'Ordinary Rendition' / Peterson Kamwathi

Untitled Study, 2011Untitled Study, 2011

Peterson Kamwathi Waweru, born 1980 in Nairobi, has occupied himself for a long time with symbols and their meaning. In the exhibition he shows current drawings, woodcarving and graffiti, negotiating the historical, social and psychological mechanisms of conditioning and manipulation not only in his own society.

There is also a new publication - a cooperation with the Goethe-Institut and Verlag fuer Moderne Kunst Nürnberg, edited by J. Hossfeld and U. Vierke.

Exhibition from 27.11.11 to 04.03.12

Iwalewa-Haus, University of Bayreuth, Germany

 

 

 

01.11.2011 | por nadinesiegert | Africa, Art, Bayreuth, exhibition, Iwalewa-Haus, Kenya, Peterson Kamwathi

'Not in the title' / Sam Hopkins

Not in the title / photocollage 2011Not in the title / photocollage 2011

Sam Hopkins´ installation „Not in the title“ is inspired by Nigerian and Ghanaian horror movies from the collection of the Iwalewa-Haus. A selection of these movies is shown in the original version mixed with manipulated sequences that are integrated digitally. The installation asks about authenticity and searches for the reception of global artworks in a local context.

Sam Hopkins lives in Nairobi (Kenya). His art is concerned with public space and interactivity. Examples are the media collective Slum TV and Urban Mirror Nairobi.

Exhibition from 27-11-11 / 04-03-12

Iwalewa-Haus, University of Bayreuth, Germany

 

 

 

01.11.2011 | por nadinesiegert | Africa, Art, exhibition, Kenya, Nigeria, Nollywood, Sam Hopkins

IWALEWA-HAUS Archive Laboratory Utopia

In October 2011 Iwalewa-Haus celebrates its 30th anniversary - a motive to reflect, celebrate, critically discuss, experiment, imagine and visualize under the headlines of archive, laboratory and utopia. Exhibitions, a workshop and program take place in that context to present the past, present and future of Iwalewa-Haus.

The focal point of the archive tells the history of Iwalewa-Haus with the exhibitions ”Spuren - 30 Jahre Iwalewa-Haus’ and ‘Visions d’ailleurs’. In the laboratory we show three projects developed in the context of short time artist residencies by three young artists from Kenya and Angola. Finally utopia considers the future of Iwalewa-Haus. In an international workshop we discuss important topics such as local and international cooperations, museum pedagogics, teaching and research, exhibition and publication practises and the artist in residence program.

 

Iwalewa-Haus, University of Bayreuth, Germany.

 

 

01.11.2011 | por nadinesiegert | Africa, Art, exhibition

In Progress - Seminário sobre Ciências Sociais e Desenvolvimento em África

26.10.2011 | por joanapires | Africa, ciencias sociais, seminário