Circulador em São Paulo

O Circulador é um plataforma de pesquisa baseada na cidade de São Paulo, Brasil, que tem como objetivo identificar e fortalecer as redes de diálogos e cooperação artística e cultural entre os países de língua portuguesa.
Defendendo uma maior integração deste espaço complexo, diverso e descontínuo, o projeto busca desafiar a exclusividade da cooperação cultural do eixo Norte-Sul, articulando conversas entre os principais centros urbanos da CPLP e promovendo encontros mais constantes entre a comunidade artística dos países da comunidade.
O primeiro projeto de publicação da plataforma será produzido em 2019, com fundos do Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, e terá como foco a comunidade artística da CPLP atuante na cidade de São Paulo, maior metrópole de língua portuguesa do mundo.


As edições do Circulador operam como suporte para experimentação em pesquisa e para a identificação e exposição da produção jovem destes países em distintos setores da cultura, pautando a reflexão sobre políticas culturais internacionais e a integração deste espaço de língua partilhada.
O projeto está atualmente fazendo um levantamento de profissionais da cultura, de todas as linguagens artísticas, que tenham nacionalidade de algum país ou território de língua portuguesa e que estejam atualmente baseados na cidade ou Estado de São Paulo, ou que pratiquem intensamente o trânsito entre a cidade e outra cidade lusófona. Quem quiser participar da pesquisa ou tenha indicações de perfis pode escrever para a direção do projeto no contato: ocirculador@gmail.com
A publicação será impressa e disponibilizada integralmente em formato digital, sendo também enviada aos principais acervos e bibliotecas de instituições em todos os países da CPLP. Site

18.02.2019 | por martalanca | artistas, CPLP, trabalho em rede

CHAMADA DE TRABALHOS PARA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL GÉNERO NA ARTE DE PAÍSES LUSÓFONOS: CORPO, SEXUALIDADE, IDENTIDADE, RESISTÊNCIA

27 - 28 OUTUBRO 2017 (6ª feira - Sábado) FCSH- Universidade Nova de Lisboa 

Tony GumTony GumA conferência internacional Género na Arte de Países Lusófonos: Corpo, Sexualidade, Identidade, Resistência integra-se num conjunto de eventos organizados pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado (MNAC-MC), pelo Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Universidade de Évora (UE) e Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS.NOVA) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/UNL) que têm como objetivo principal debater de um modo transdisciplinar as questões de género no panorama artístico de países lusófonos contemporâneo (século XXI) desafiando assim os modelos tradicionais de produção de conhecimento do Norte Global. Com esta conferência procuramos juntar pessoas de diferentes contextos e proveniências que debatam estas questões de modo a contribuir para a construção de uma plataforma de troca de ideias, de experiências, de oportunidades de criação, de partilha e de solidariedade. As contribuições vindas de académicos, artistas, curadores, activistas, entre outras pessoas que demonstrem interesse em reflectir sobre estes temas são bem-vindas.

TÓPICOS

Esta conferência pretende reunir pessoas de diferentes países das lusofonias, vindas da academia, do activismo e de outras áreas, para reflectirem e dialogarem, de um modo crítico, transdisciplinar e sistémico, sobre a questão do género no foro da arte e da cultura contemporâneas. 
As contribuições devem focar-se na área das artes e da cultura e abordar, entre outras questões relevantes:
● O cruzamento da arte focado no género com perspectivas feministas, LGBTI, queer e pós-colonialistas;
● Representações de corporalidades e performatividades que questionam as categorias fixas de sexo, género, identidade sexual e desejo fazendo emergir novos discursos culturais identitários de subjectivação e autodeterminação, assertivos e autónomos;
● O género enquanto dimensão intrinsecamente ligada a outras, como a raça, a orientação sexual, a classe, a cultura, a idade, a (dis)capacidade e a educação, que conjuntamente produzem dinâmicas interaccionais específicas hierarquizadas;
● Num mundo globalizado, a combinação, de modo diversificado e complexo, de múltiplos hábitos sexuais e regimes de género, vindos de pessoas com diferentes pertenças no que respeita à cultura, nação e religião, multiplicam as configurações e variações das dimensões de género em que é possível viver;
● O modo como os corpos das minorias descriminadas como as mulheres, os gays, as lésbicas, transgénero e transsexxuais, entre outros, são afectados pela desigualdade de género que os oculta;
● Histórias de vida - herstories, e queerstories – em espaços e temporalidades concretas que mostram por meio de múltiplos suportes artísticos as suas vivências, passando-as do silêncio à representação revelando o que anteriormente fora proibido, escondido e ignorado no campo do desejo e da sexualidade;
● A dimensão de género na esfera íntima - nas relações, decisões e gestos da vida quotidiana - enquanto espaço onde se exerce o poder;
● Grupos culturais alternativos ligados ao apoio e divulgação de práticas artísticas centradas em identidades não heteronormativas sublinhando e revelando as ficções, as construções sociais e relações de poder em torno das categorias de género binárias;
● Os discursos que defendem a ‘naturalidade’ das identidades e sexualidades normativas que procuram impor;
● O «devenir» (tornar-se, transformar-se) beauvoiriano do género –desvendando as estruturas e processos responsáveis pela própria formação do género;
● O pós-pornográfico enquanto discurso e espaço de afirmação da vontade de criação que se distancia e recusa o discurso pornográfico heteronormativo;
● Personae e máscaras de género que rompem e questionam os discursos sociais, nomeadamente os dos meios de comunicação de massas, considerados responsáveis pela alienação, deturpação e criação de estereótipos de género, e pela percepção das sexualidades como meras mercadorias dessubjectivadoras.

Continuar a ler "CHAMADA DE TRABALHOS PARA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL GÉNERO NA ARTE DE PAÍSES LUSÓFONOS: CORPO, SEXUALIDADE, IDENTIDADE, RESISTÊNCIA"

01.07.2017 | por martalanca | arte, CPLP, género

Encontro "Perspetivas Económicas dos Países da CPLP"

A UCCLA vai realizar a sua Assembleia Geral no Porto durante a manhã do próximo dia 31 deste mês. À tarde desse mesmo dia, a partir das 15h00, na sala 2 do Coliseu daquela cidade, haverá um Encontro subordinado ao tema Perspetivas Económicas dos Países da CPLP, cujo programa é o seguinte: 

15:00 / 16:15 -  “Diversificação e Financiamento das Economias”

                            Oradores: Prof. Doutor João Ferreira do Amaral (Prof. Catedrático no ISEG)

                                   Dr. Carlos Costa Pina (Administrador de empresas)

                                  Moderador: Prof. Luís Todo Bom (Prof. universitário e gestor)

16:15 / 16:30 –    Pausa para café

16:30 / 17:45 – “Economia e Geo-política do Petróleo”

                          Oradores: Prof. Doutor Nuno Ribeiro da Silva (Prof. Catedrático convidado do ISEG e PCA da Endesa)

                          Dr. Agostinho de Miranda (advogado especialista em assuntos petrolíferos)

                          Prof. Doutor António Costa e Silva (PCE da Partex)

                           Moderador: Dr. Vítor Ramalho (Secretário-geral da UCCLA)

18:00 / 18:30 – “Uma perspetiva de África”

                                   Orador: ex-Presidente da República de Cabo Verde, Comandante Pedro Pires

Este Encontro é aberto ao público sem necessidade de inscrição.

17.05.2016 | por claudiar | CPLP, economia, uccla

CPLP 20 Anos – A Diversidade Cultural Que Nos Une”

Sua Excelência Embaixador Murade Murargy, Secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, tem a honra de convidar V. Exa.ª a participar na cerimónia solene de comemoração do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP.

A cerimónia, com o tema “CPLP 20 Anos – A Diversidade Cultural Que Nos Une”, terá lugar na Sede da CPLP, no dia 5 de maio de 2016, às 14h00.


02.05.2016 | por claudiar | comemorações, CPLP

Património arquivistico e fotográfico comum aos países da CPLP

Fundos e documentos relativos ao património arquivístico e fotográfico comum  aos países da Comunidade  dos Países de Língua portuguesa (CPLP), são pesquisáveis nas bases de dados online  da Rede portuguesa de Arquivos e da Direção Geral de Arquivos (Arquivo Nacional da Torre do Tombo e Centro Português de Fotografia e Arquivos Distritais dependentes).

consultar aqui

28.06.2012 | por franciscabagulho | arquivo, CPLP

Conexão Lusófona - O Festival

Está a decorrer na cidade de Lisboa uma viagem pela cultura dos países de língua portuguesa com várias iniciativas promovidas pela Conexão Lusófona - primeira organização de jovens da Lusofonia.
O festival de encerramento terá lugar no dia 12 de Maio no Mercado da Ribeira a partir das 21h. 

Enquadradas na programação oficial da semana cultural da CPLP, as iniciativas da Conexão Lusófona pretendem criar um efeito multiplicador que levem a uma nova dimensão o número de jovens que despertam para o tema Lusofonia. Seja no âmbito cultural, por meio de novas experiências musicais, literárias e artísticas, seja no âmbito de uma presença mais ativa e consciente na dinâmica da cidadania lusófona.

09.05.2012 | por joanapereira | conexão lusófona, CPLP, festival, Grupo Leya, lusofonia, Mercado da Ribeira

Prémio Fundação PLMJ de Vídeo-arte da CPLP

Concurso aberto a artistas da CPLP

A Fundação PLMJ, instituída pela sociedade de advogados PLMJ – A.M. Pereira, Sáragga Leal, Oliveira Martins, Júdice e Associados e sedeada em Lisboa, apoia a arte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) através do desenvolvimento de uma colecção, da organização de exposições, da edição de livros e da realização de outros projectos. Neste âmbito, a Fundação PLMJ, em colaboração com o Instituto Camões, promove o Prémio Fundação PLMJ de Vídeo-arte da CPLP, com periodicidade anual, mediante o lançamento de um concurso aberto a artistas nascidos ou residentes na CPLP (excepto Portugal), nomeadamente Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Para concorrer ao Prémio Fundação PLMJ de Vídeo-arte da CPLP, os interessados deverão enviar uma obra em suporte DVD (duas cópias devidamente identificadas) para os Centros Culturais do Instituto Camões na CPLP até ao dia 15 de Abril de 2012, acompanhada da seguinte informação em suporte CD: título e data da obra; ficha técnica da obra; memória descritiva da obra; CV; morada, número de telefone e endereço electrónico. Os elementos constantes da candidatura (DVD e CD) não serão devolvidos aos concorrentes.

A Fundação PLMJ premiará uma obra com a respectiva aquisição no montante de 2.500 euros. A Fundação PLMJ compromete-se a apresentar essa obra na próxima exposição dedicada à arte da CPLP organizada pela Fundação PLMJ no seu espaço expositivo em Lisboa, bem como noutros projectos promovidos pela Fundação PLMJ.

A Fundação PLMJ notificará, por correio electrónico, o autor da obra premiada até ao dia 30 de Junho de 2012. A Fundação PLMJ reserva-se o direito de não atribuir o prémio se concluir pela inexistência de obras que preencham os requisitos de qualidade conformes com as exigências deste concurso. Das decisões da Fundação PLMJ não caberá recurso, sendo sempre e em qualquer circunstância definitivas.

Para esclarecimentos, contactar Ana Cristina Ramos ou Joaquim Caparica através dos endereços de correio electrónico anacristina.ramos@plmj.pt e jcaparica@instituto-camoes.pt ou dos telefones +351 210964103 e +351 213109145.

26.02.2012 | por martalanca | CPLP, videoarte

Cena Lusófona: paradoxos e irracionalidades

A Cena Lusófona tem em curso um projecto de promoção da leitura em parceria com a Escola Secundária D. Dinis, em Coimbra. A acção inclui visitas guiadas ao seu Centro de Documentação e Informação (CDI), a disponibilização de parte do seu acervo na biblioteca da escola e leituras de peças de teatro por alunos e actores profissionais.
No passado dia 17 de Novembro tiveram lugar as duas primeiras visitas ao CDI, com quase uma centena de alunos. Durante a visita e em declarações aos jornais, vários deles destacaram a riqueza do Centro (aberto ao público, com atendimento especializado) e a sua importância para o conhecimento da realidade social e cultural dos países de língua portuguesa.
Este projecto acontece numa altura em que está a decorrer, por iniciativa da Câmara Municipal de Coimbra, o concurso para a requalificação da Ala Central do Colégio das Artes, no Pátio da Inquisição, onde se prevê a instalação da Cena Lusófona e do seu CDI a partir de 2013. Sediada em Coimbra desde 1996, a associação passará assim a dispor de melhores condições para desenvolver o seu trabalho, contribuindo para a consolidação de um importante polo cultural no centro da cidade, junto ao Teatro da Cerca de São Bernardo e ao Centro de Artes Visuais.
O CDI é apenas uma das áreas de intervenção da Cena Lusófona. Dedicada ao intercâmbio teatral entre os países de língua portuguesa, a associação trabalha nas áreas da criação artística (promovendo ou apoiando co-produções internacionais), da formação (com destaque para os três estágios internacionais de actores realizados), dos festivais (a “Estação” é o primeiro festival rotativo na CPLP, com edições realizadas em Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Brasil e Portugal) e das edições (uma colecção de dramaturgia, uma revista, um jornal, documentários), entre outras.
No final de 2010, a Cena Lusófona deixou de ter financiamento do governo português. Apesar dos esforços para encontrar soluções alternativas – candidaturas a projectos internacionais; o pedido à autarquia para que comparticipe o custo com as actuais instalações até à conclusão das obras; apoios pontuais como o da Fundação Calouste Gulbenkian ao projecto com a Escola D. Dinis –, este recuo do governo português pode destruir o trabalho feito ao longo de 15 anos. Reconhecendo este risco, mais de cem criadores, produtores, investigadores e representantes de estruturas de criação de todos os países lusófonos dirigiram em Maio um apelo ao governo português. Afirmando-se como “testemunhas directas da importância da acção levada a cabo pela Cena Lusófona” e sentindo-se “directamente lesados com esta situação”, alertaram para as consequências de um eventual desaparecimento da Associação: “significaria o desbaratar do investimento feito e do capital de confiança gerado desde 1995, bem como o desaproveitamento da vasta rede de contactos e de cumplicidades artísticas e institucionais que o projecto permitiu desenvolver ao longo dos anos e que tem sido base sólida de importantes realizações e de múltiplas iniciativas de colaboração entre os oitos países de língua portuguesa”. Vários meses depois da sua tomada de posse, o novo governo continua sem dar resposta a este apelo e a situação de asfixia financeira da associação degrada-se rapidamente.
O paradoxo é evidente. Ao fim de 15 anos, o trabalho realizado é reconhecido local e internacionalmente, foram reunidos meios para construir novas instalações, há projectos e candidaturas em curso. E tudo isto pode acabar, em resultado de uma decisão cega de quem não quis sequer dar-se ao trabalho de conhecer o que está feito.
Em altura de crise, parece-nos, mais necessário é aproveitar os recursos de que se dispõe. Partindo do princípio de que Portugal quer continuar a fomentar as relações culturais com os países lusófonos, desperdiçar a experiência adquirida e o investimento público realizado nesta área é, no mínimo, uma enorme irracionalidade.

 

Tirado de Cena Lusófona

05.12.2011 | por joanapires | CPLP, projectos, promoção da leitura

Juventudes no contexto transnacional dos países da CPLP

No âmbito do projecto Missões Exploratórias sobre Juventudes no Contexto Transnacional dos Países da CPLP: Processos de Identificação, Expressões Culturais e Mediações aprovado no âmbito do Programa de Cooperação em Matéria de Ciências Sociais para a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – PCS/CPLP, e apoiado pela CNPq sob o nº 490278/2010-8, coordenado pelo Professor Doutor Frank Marcon da Universidade Federal de Sergipe, vai se realizar um encontro aberto ao público de apresentação do projecto e de debate relacionado com o tema. O evento decorrerá a 25 de Outubro de 2011 no ISCTE-IUL, sala B102, a partir das 14h.

Participam: Andrea Moreira (ISCTE-IUL)Clara Carvalho (CEA-IUL), Cláudio Tomás (ISCTE-IUL), Daniela Bezerra (Universidade Federal de Sergipe, Brasil), Frank Marcon (Universidade Federal de Sergipe, Brasil), Joana Vasconcelos (ISCTE-IUL), Lorenzo Bordonaro (CRIA-IUL e Universidade Nova), Mamadu Jao (INEP, Bissau), Maria da Penha Vasconcellos (Universidade de São Paulo, Brasil), Mateus Neto (Universidade Federal de Sergipe, Brasil)Neusa Gusmão (Unicamp, Brasil), Paulo Malvasi (Universidade de São Paulo, Brasil), Redy Lima (Universidade de Santiago, Cabo Verde), Rubens Adorno (Universidade de São Paulo, Brasil), William Souza Silva (Universidade Federal de Sergipe, Brasil)

 

17.10.2011 | por martalanca | CPLP, juventude

I Fórum da Sociedade Civil da CPLP

O I Fórum da Sociedade Civil da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) vai realizar-se de 28 a 30 de Setembro, em Brasília, subordinado ao tema “Promovendo a participação social na CPLP”.

Organizado pelo Secretariado Executivo da CPLP em coordenação com o Ministério das Relações Exteriores e com a Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil, este I Fórum da Sociedade Civil pretende ser um espaço de integração efectiva das iniciativas existentes e das organizações da sociedade civil da CPLP. Participam organizações de diversos sectores, nomeadamente, da Infância e Juventude, Igualdade de Direitos da Mulher, Trabalho, Educação, Meio Ambiente, Agricultura e Segurança Alimentar, entre outros.

A promoção da participação da Sociedade Civil na CPLP tem como antecedentes a Resolução sobre o Reforço da Participação da Sociedade Civil, de 24 de Julho de 2008; a Resolução sobre o I Fórum da Sociedade Civil, de 20 de Julho de 2009, as Recomendações para a Instalação e Funcionamento do I Fórum da Sociedade Civil, 6 de Novembro de 2009 e a Resolução sobre a Realização do I Fórum da Sociedade Civil da CPLP, de 22 de Julho de 2010.

Cada Estado-membro da CPLP vai enviar uma delegação composta por um membro do governo e por cerca de seis organizações da sociedade civil, com excepção do Brasil que enquanto país anfitrião deste Fórum deverá participar com mais instituições.

Continuar a ler "I Fórum da Sociedade Civil da CPLP"

17.09.2011 | por joanapires | Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), CPLP, participação social

rostos da cplp

entrevista a Marta Lança no programa Rostos da CPLP, de Gabriel Baguet, ouvir aqui 

01.03.2011 | por martalanca | buala, CPLP

Rostos da CPLP

entrevista à nossa colaboradora Cátia Miriam Costa, no programa do jornalista Gabriel Baguet

escutar aqui

 

 

 

 

10.02.2011 | por martalanca | CPLP, Gabriel Baguet

sobre a exposição Idioma Comum

Inaugurou na semana passada mais uma mostra a partir da Colecção da Fundação PLMJ, mas desta vez dedicada a artistas da CPLP (sobretudo de Angola e Moçambique, mas também com presenças de Cabo-Verde, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil, estes dois últimos através de descendentes de países dessas nacionalidades). Trata-se de uma atenção muito recente a estas geografias, que certamente acompanha o crescente interesse por determinadas economias emergentes enquanto potenciais áreas para expansão de negócios num momento em que a Europa atravessa uma crise generalizada (financeira, política, social).

Idioma Comum reúne assim, sob curadoria de Miguel Amado, as obras recentemente adquiridas a 14 artistas, na maior parte das vezes representados por dois trabalhos cada, considerando que existe um “idioma artístico comum aos jovens criadores da CPLP”, cujas produções, também segundo Amado, se caracterizam “por uma linguagem contemporânea, marcada por uma visão do mundo de matriz cosmopolita, abordando tanto a realidade cultural local como a ordem social global num cenário pós-colonial” (cf.  Comunicado de Imprensa no Sítio da Fundação)

É o início de uma mudança de atitude num meio que continua com resistências à aposta na criação artística de contextos culturais com os quais deveríamos estar mais familiarizados. Por isso mesmo é preciso pesquisar mais, conhecer e partilhar mais, para se considerar tanto as diferenças como os pontos realmente comuns e combater a ignorância generalizada. É fundamental arriscar abordagens mais informadas para que o destaque dado a estes artistas tenha efectivas consequências a médio e longo prazo. 

obra de kiluanji kia hendaobra de kiluanji kia henda

Lúcia Marques no blog Próximo Futuro

19.01.2011 | por martalanca | arte contemporânea, CPLP, língua portuguesa

Idioma Comum: Artistas da CPLP na Colecção da Fundação PLMJ

Obras de Abraão Vicente, Délio Jasse, Flávio Miranda, Ihosvanny, Jorge Dias, Julia Kater, Kiluanji Kia Henda, Lino Damião, Mário Macilau, Mauro Pinto, Mudaulane, Pinto, René Tavares e Yonamine

 

Comissariado por Miguel Amado

A exposição “Idioma Comum: Artistas da CPLP na Colecção da Fundação PLMJ”, a inaugurar no dia 13 de Janeiro, às 18H30, no Espaço Fundação PLMJ, e patente até 26 de Março. Esta exposição reúne obras de artistas da CPLP pertencentes à Colecção da Fundação PLMJ, constituindo a primeira mostra deste acervo no Espaço Fundação PLMJ, em Lisboa. 

Com este projecto, a Fundação PLMJ contribui para o reconhecimento dos artistas da CPLP no nosso país e para as relações culturais entre Portugal e os restantes membros da CPLP. Acompanha a exposição um catálogo com reprodução das obras expostas e de outras igualmente adquiridas pela Fundação PLMJ, bem como uma introdução do comissário a este projecto.

obra de Kiluanji Kia Hendaobra de Kiluanji Kia Henda

A Fundação PLMJ desenvolve, presentemente, uma colecção consagrada à arte da CPLP. Este espólio contempla vários artistas da CPLP, quinze dos quais com obras agora expostas. O acervo foca-se em jovens criadores sobretudo angolanos e moçambicanos, mas também das demais nacionalidades da CPLP, cuja presença adquirida nos seus países se expande, agora, a Portugal. As obras expostas caracterizam-se por uma linguagem contemporânea, marcada por uma visão do mundo de matriz cosmopolita, abordando tanto a realidade cultural local como a ordem social global num cenário pós-colonial. É, pois, ao idioma artístico comum aos jovens criadores da CPLP que o título desta exposição se refere, e é da comunhão estilística desta nova arte que emerge o potencial da Colecção da Fundação PLMJ dedicada à CPLP.

 

04.01.2011 | por martalanca | artes visuais, CPLP, lusofonia

Mostra Brasilidade – Quinzena Cultural do Rio de Janeiro

Li Ké Terra vai estar em exibição quinta, 25 de Novembro, às 14h, na Mostra Brasilidade - Quinzena Cultural do Rio de Janeiro, que se realiza de 19 de Novembro a 1 de Dezembro. A esta exibição segue-se um debate com realizadores do DOC TV CPLP Filipa Reis (Portugal), Fernando Eloy (Macau), Victor de Sousa (Timor-Leste), Mathias Mariani (Brasil).
A Mostra Brasilidade – Quinzena Cultural do Rio de Janeiro pretende exibir um pequeno panorama das produções audiovisuais de outros países de língua portuguesa, suscitando o debate e a reflexão sobre a presença lusófona que permeia e cria identificações entre países tão diversos como Moçambique, Angola, Guiné Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Brasil, Portugal, Timor-Leste e, também, Macau (Região Administrativa Especial).

No âmbito das relações e intercâmbio cultural entre países da CPLP e da ocasião da celebração do mês da cultura, faz-se oportuna a realização de um amplo diálogo sobre a brasilidade – identidade, cultura e história brasileiras e sobre as relações de cooperação e parceria entre o Brasil e outros países de língua portuguesa. Como catalisador das discussões culturais e de intercâmbio, está o cinema, proficiente meio de transmissão do imaginário e cultura locais.

23.11.2010 | por martalanca | CPLP, DOC TV CPLP

CPLP precisa de "efectiva ambição política global"

O antigo ministro da cultura e ex-embaixador de Portugal na Unesco, Manuel Maria Carrilho, defendeu na passada segunda-feira, na abertura do colóquio internacional “Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas num universo globalizado”, que os países da CPLP devem reencontrar-se “com as suas raízes históricas mundiais comuns” e “crescer em cosmopolitismo” para “se avançar na lusofonia”, dando à CPLP “uma efectiva ambição política global” e os meios para a concretizar.
Carrilho afirmou que tem faltado visão visão à política da língua portuguesa: esse reencontro e cosmopolitismo “em boa parte está por fazer” e “não deve ser adiado”, sendo necessário agir em função de “uma visão da lusofonia à altura dos desafios actuais”.

O ex-ministro referiu-se concretamente à necessidade de problematizar a base cultural que deve alicerçar uma política linguística internacional. “Tem-se valorizado, e bem, o chamado valor económico da língua, que em Portugal se aponta para 17 por cento do PIB [Produto Interno Bruto], [bem como] o valor da língua nas relações com o exterior, mas em matéria de língua não há valor económico sem uma robusta base cultural”.
A alavanca da estratégia de qualquer promoção da língua está na verdade fora dela: está na literatura, no cinema, no teatro, na música, no audiovisual, na produção dos conteúdos. Mas também está nos contactos, nas itinerâncias, nas parcerias que nestas áreas têm que ser “estruturais e exemplares”. Está na construção de um “espaço público comum”, sem o qual nenhuma comunidade comunica. “A política da língua faz-se em todos estes domínios, porque a língua não é uma essência, uma herança à margem do tempo, mas uma criação contínua que exprime a vida dos indivíduos e das comunidades”, defendeu Carrilho.

Continuar a ler "CPLP precisa de "efectiva ambição política global""

31.10.2010 | por martalanca | CPLP, língua portuguesa, lusofonia

DOCTV na Cinemateca

A partir de amanhã e até sexta-feira decorre na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, a Mostra dos Documentários resultantes do 1º Programa DOCTV da CPLP, com filmes de todos os países membros desta organização.

Mais informações nos sites do ICA e da Cinemateca.

14.09.2010 | por guilhermecartaxo | cinema, cinemateca, CPLP, documentário

14º aniversário da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

No âmbito da comemoração do 14º aniversário da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), a Praça da Figueira, em Lisboa, recebeu um colorido espectáculo musical que contou com a actuação de artistas dos países-membros da organização. A apresentação esteve a cargo da moçambicana Vânia Oliveira, cantora, actriz e escritora.

A CPLP, criada em Lisboa a 17 de Julho de 1996, representa uma comunidade espalhada por vários continentes, de mais de 240 milhões de falantes da língua portuguesa, a língua mais falada no mundo. É composta de 8 Estados-Membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Após a recente cimeira de Luanda, a 23 de Julho, Angola passou a presidir à CPLP durante os próximos 2 anos.

continue a ler

30.07.2010 | por martalanca | CPLP, música

Vender a CPLP por um barril de petróleo?

Na próxima cimeira da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa) a realizar a 23 de Julho em Luanda vai ser discutida a entrada da Guiné Equatorial naquela organização internacional. A Guiné Equatorial, para quem não saiba, é uma das ditaduras mais ferozes do mundo. Tem como líder Teodoro Obiang Nguema, que nas últimas eleições em Setembro de 2009 ganhou com 95,8% dos votos válidos. Não, isto não significa que este líder é muito popular - antes quer dizer que a fraude eleitoral é maciça. Na Guiné Equatorial, nunca houve uma eleição livre, e o Presidente Obiang é o ditador que há mais anos se mantém no poder naquela região do mundo. Dos 100 membros do Parlamento, 99 pertencem ao partido do Presidente que controla todos os recursos do país.

continue a ler a coluna de Marina Costa Lobo aqui.

28.06.2010 | por martalanca | CPLP