Chamada para dossiê "América Latina-Moçambique / Moçambique-América Latina"

Está aberto o call for papers para o dossiê “América Latina – Moçambique / Moçambique – América Latina”, organizado por Matheus Serva Pereira (ICS-ULisboa) and Priscila Dorella (Universidade Federal de Viçosa), na Revista Eletrônica da ANPHLAC (Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas).


A data limite para submissão de proposta é 31/07/2021.

Para mais informações, podem consultar o website da associação.

Moçambique conquistou sua independência em 1975, após anos de luta armada contra o controle colonial português, por meio de um processo influenciado, entre outras experiências, pelas revoluções latino-americanas da segunda metade do século XX. A posição geográfica de Moçambique, assim como suas diversas correntes intelectuais, suas práticas artísticas e desafios econômicos, obriga aos pesquisadores do passado moçambicano estabelecerem uma constante troca de escalas entre o local, o nacional e o global. O caminhar pelas ruas atuais da capital do país, Maputo, nos leva facilmente a encarar essa questão. Suas ruas foram ganhando novos nomes após a independência, com o objetivo de homenagear importantes figuras das lutas das esquerdas e, consequentemente, latino-americana, como Che Guevara, Salvador Allende, Augusto Cesar Sandino, etc. Na América Latina, infelizmente continua difusa a visão sobre Moçambique. No Brasil, em específico, alguns setores econômicos associados a práticas predatórias de extração de riquezas do solo moçambicano perpetuam na contemporaneidade visões estereotipadas sobre os africanos que se assemelha ao olhar colonial português de meados do século XIX e XX. Talvez seja no campo dos trabalhos literários, sobretudo pela divulgação de autores como Mia Couto, Paulina Chiziane e, mais recentemente, Ungulani Ba Ka Khosa, que um novo saber sobre a história e cultura moçambicana esteja ganhando novos significados na América Latina. 

Uma pauta importante das lutas anticoloniais contemporâneas está no esforço de desracializar a História da África, rechaçar sua exotização e compreender o continente como parte integrante de uma história global. Nessa direção, os estudos desenvolvidos na América Latina sobre a África cresceram exponencialmente nas últimas décadas, ampliando os interesses para além das experiências de escravização. O objetivo do dossiê é o de reunir novos trabalhos historiográficos que reflitam as conexões entre a América Latina e Moçambique, que estabeleçam comparações e/ou aproximações entre ambos os espaços geográficos e suas experiências sociais, abrindo horizontes de mútuo conhecimento em uma perspectiva cronológica abrangente e instigante para que esse passado conectado viva nas nossas histórias.

05.02.2021 | por Alícia Gaspar | america latina, call for papers, dossiê, história de áfrica, Moçambique

Teatros da América Latina - Colóquio Internacional - 4 - 7 Setúbal

28.04.2017 | por martalanca | america latina, tchiloli, Teatros

Está a América Latina a virar? - conversa com Aldo Casas

Está a América Latina a virar? Uma conversa com Aldo Casas, antropólogo e militante político argentino, na próxima segunda-feira, 9 de Maio às 21h30.

Com o dobrar do século, sucederam-se importantes processos de transformação social e política em diferentes latitudes a Sul no continente americano. Em diversos países, governos com programas progressistas prometiam contrariar décadas de conservadorismo e políticas ultra-liberais, que generalizam desigualdades, pobreza e dependência. Hoje, perante a degenerescência desses projectos ou pela ofensiva da direita mais agressiva, instala-se a perspectiva da imposição das políticas abertamente anti-populares. Haverá uma tendência continental, estaremos perante uma onda que anuncia uma nova vaga de retrocesso e selecção social? O que une e quais as diferenças entre as realidades nos diferentes países? Quais as perspectivas de resistência e alternativa no campo popular? O contributo de Aldo Casas lança o debate em torno destas e outras perguntas, mote para esta conversa em que procuramos reflectir e conhecer melhor uma realidade que apenas surge de forma limitada no nosso espaço mediático. 

Para mais informações:

Facebook

05.05.2016 | por claudiar | america latina, conversa, política, transformações sociais

Prêmio Literário Casa de las Américas 2013 - Luiz Ruffato, Chico Buarque

A faceta de escritor de Chico Buarque recebeu mais um prêmio nesta quinta-feira (31) em Havana, onde também foi reconhecido o talento do mineiro Luiz Ruffato.

Luiz RuffatoLuiz Ruffato
Além dos brasileiros, escritores de Argentina, Cuba, Chile, México, Uruguai, Honduras, Peru e Equador foram homenageados na capital cubana durante a 54ª edição do tradicional Prêmio Literário Casa de las Américas 2013.

De um total de 770 obras dos gêneros romance (172), poesia (328), literatura testemunhal (56), ensaio histórico-social (42) e literatura brasileira (158), a Argentina, com 200 obras, foi o país com maior participação seguida de Brasil, Cuba, Colômbia, Chile e Peru.

O prêmio principal de literatura brasileira foi para o romance “Domingos Sem Deus”, de Luiz Ruffato, segundo a ata do júri porque “apresenta diversos episódios independentes que se entrelaçam, formando o mosaico de um Brasil essencial, embora esquecido”.

Chico Buarque, por sua vez, recebeu um prêmio honorífico de Narrativa, enquanto o mexicano Víctor Barreira Enderle recebeu a mesma distinção na categoria Ensaio e o uruguaio Rafael Courtoisie em Poesia.

O Prêmio Casa de las Américas é outorgado anualmente em Havana desde 1960 nas categorias de poesia, conto, romance, teatro, ensaio, testemunho, literatura para crianças e jovens, caribenha de expressão inglesa, caribenha francófona, brasileira e de culturas originárias.

fonte

01.02.2013 | por herminiobovino | america latina, Brasil, literatura, literatura brasileira

Artesur

ARTESUR is a non-profit association created by a group of professionals interested in cultural exchange between Europe and Latin America.

The website, launched at the Centre Pompidou in November 2011, is a free and inedit web network of Latin America artists and contemporary art.Published both in English and Spanish, it showcases the work of artists, curators, galleries, institutions and events from the Latin-american continent.

The goals of ARTESUR are: to contribute to the spreading of Latin America contemporary art in Europe through our bilingual website (English / Spanish), which has an online catalogue of artists, curators, galleries, festivals and artistic residencies; to create spaces for art production and curatorial practice that may stimulate cultural intersection between both continents; to produce editorial tools and cultural events that may promote reflection on the cultural crossing between European and Latin America’s multiple cultures,focusing on the growth of contemporary art, academic-scientific studies, and the new urban cultural manifestations. ARTESUR expects to stimulate and to bring out an equal dialogue between Europe and Latin Americ’a artistic communities.

ArteSur is a self-funded project, which has since 2011 been sponsored by the Maison de l’Amérique Latine (Paris). Since its creation, ARTESUR is working along with several institutions in France and in Latin America (Centre Pompidou, Embassies of Ecuador and Colombia in Paris, etc.)

Albertine de Galbert, Jorge Flores and Ana María Guerrero coordinate ARTESUR.

12.03.2012 | por martalanca | america latina