mostra de filmes e conversa com Welket Bungué

TERÇA-FEIRA, 7 DE MAIO 201918h00 - 21h I Hangar 
Apresentação de filmes do realizador Welket Bungué com conversa no final da sessão, na qual o público pode colocar questões sobre aspetos da sua ideologia cinematográfica e auto-retrato fílmico.
Entrada: 3€ (gratuita para sócios)  
VÃ ALMA (4º episódio) (2018) MENSAGEM (2016) e NADA FIZEMOS (2019) AGINAL (2018)> Filme exclusivo, título será divulgado no evento < (2019) BASTIEN (2016) EU NÃO SOU PILATUS (2019)
Balanta e luso-guineense, Welket Bungué, nasceu em Xitole (Guiné-Bissau) em 1988. Filho de Paulo T.Bungué, engenheiro florestal especializado na cultura do cajueiro, conhecedor exímio do território florestal guineense e filho de Segunda N’cabna, ex-militar e aposentada da Guarda Nacional Guineense. Teve como referência materna Mª de Fátima B. Alatrache, senhora de brandos costumes, que exerceu muitos anos como professora na GB. Filho de emigrantes, Welket iniciou a sua formação artística em 2005. É licenciado em Teatro no ramo de Atores (ESTC/Lisboa) e pós-graduado em Performance (UniRio/RJ). É Membro Permanente da Academia Portuguesa de Cinema desde 2015. Em 2012 foi distinguido com “Prémio de Melhor Ator” pela sua interpretação em MÜTTER.

Realizou as curtas-metragens MENSAGEM, WOODGREEN, AGINAL, ARRIAGA (2018) e BASTIEN no qual foi distinguido pelo “Prémio de Melhor Ator” e “Melhor Primeira Obra’” nos prémios Shortcutz 2017. Desde 2016, trabalha regularmente com a companhia de teatro Mala Voadora (Portugal). É também locutor para entidades internacionais, desenvolve Escrita Dramática, Argumento de Cinema, Performances e Teatro. Atualmente vive entre o Rio de Janeiro e Berlim.

02.05.2019 | por martalanca | Guiné Bissau, Welket Bungué

"Guinea-Bissau: Micro-State to 'Narco-State", organizado por Patrick Chabal

disponível em Amazon a partir de 31 de Março. conta com a participação de vários autores entre os quais:
Part one: Historical Fragilities
1. Dimensions of Historical ethnicity in the Guinea-Bissau Region
Toby Green
2. Guinea-Bissau’s Colonial and Post-Colonial Political institutions
Joshua B. Forrest
3. Guinea-Bissau’s Rural economy and society: a reassessment of
colonial and Post-Colonial Dynamics
Philip J. Havik
Part two: Manifestations of the crisis 
4. Rural Livelihoods and social stability in Guinea-Bissau: The end of an era?
Marina Padrão Temudo and Manuel Bivar Abrantes
5. History, Mixture, Modernity: Religious Pluralism in Guinea-Bissau Today
Ramon Sarró and Miguel de Barros
6. Gendered Patterns of Migration and Changing Gender Relations in Guinea-Bissau
Aliou Ly
7. The Guinean Diaspora after 1998
José Lingna Nafafé
Part three: Political consequences of the crisis 
8. ethnicity and the Political system Post-1998
Christoph Kohl
9. Global Geopolitics and the Failure of securitization in Guinea-Bissau
Simon Massey
10. The‘narco-state’andtheimpactoninstitutionsinGuinea-Bissau and
Countries in the sub-Region
Hassoum Ceesay
Conclusion
Toby Green

06.01.2016 | por martalanca | Guiné Bissau, Patrick Chabal

*PABIA DI AOS - Por Causa de Hoje*

ILHAS - um programa realizado por Julie Vrillaud e Fannie Vrillaud

Esta peça sonora é um relato de Catarina Laranjeiro sobre o colonialismo, a guerra colonial e o neocolonialismo na Guiné-Bissau, sobre as memórias de uma guerra esquecida nos livros de história, sobre uma possibilidade de se repensar no que aconteceu e no que acontece actualmente nesta e noutras ex-colónias portuguesas. Um relato baseado e ambientado por passagens sonoras do seu documentário Pabia di Aos onde são ouvidos os discursos das pessoas que ficaram lá, longe. E uma leitura de trechos do livro Naus de António Lobo Antunes.

ouvir na STRESS.FM

 

“No documentário PABIA DI AOS é-nos mostrado o que ainda resta da guerra colonial quarenta anos depois, num país onde essa memória não é pacífica. De facto, aqueles que aderiram ao movimento de libertação e aqueles que lutaram no exército colonial põem em cena uma multiplicidade de discursos e memórias irreconciliáveis. Somos assim conduzidos a uma viagem que problematiza a herança colonial na Guiné-Bissau, problematizando o que ainda hoje permanece por se contar sobre os contornos desta guerra.”

 Catarina Laranjeiro


14.10.2014 | por martalanca | Catarina Laranjeiro, colonialismo, guerra colonial, Guiné Bissau

“Guiné-Bissau, Terra Sabi” e “Produtos, Técnicas e Saberes da Tradição Bijagó”

No âmbito da celebração do Dia do Consumo Nacional, que se a 20 de Dezembro, a Tiniguena realiza, em parceria com Artissal, Coajoq, No Kume Sabi e Kafo, organizações que integram o Grupo de Trabalho para a Promoção dos Produtos da Terra, um conjunto de atividades que decorrerão das 9H30 às 14H00 no Complexo do Espaço da Terra, sita nas dependências da sede da Tiniguena, no Bairro Belém.
Durante o evento, será lançado a 2ª Edição do Livro de Receitas da gastronomia tradicional guineense “Guiné-Bissau, Terra Sabi” e do 2º Caderno Cultural do CRET sobre “Produtos, Técnicas e Saberes da Tradição Bijagó”.

ver programa

16.12.2013 | por martalanca | Guiné Bissau, Tiniguena

As One ft WJ NHA LIFE ...

16.12.2013 | por martalanca | Guiné Bissau

Because of Today de Catarina Laranjeiro no Doclisboa'13

 57’ / Portugal / 2013
Forty years after the war in Guiné-Bissau, those who joined the liberation movement and those who fought in the ranks of the colonial army display a whole range of speeches and irreconcilable memories.
The director will be at the 31st of October screening.
31 OCT. 17:00 - São Jorge - Sala 3

Pavia de Ahos / Because of Today

Catarina Laranjeiro | 57’ / Portugal / 2013 VERDES ANOS

Na Guiné-Bissau, quarenta anos depois da guerra, aqueles que aderiram ao movimento de libertação e aqueles que lutaram no exército colonial põem em cena uma multiplicidade de discursos e memórias irreconciliáveis.

 A realizadora irá estar presente na sessão de 31 de Outubro.

29.10.2013 | por martalanca | Guiné Bissau

Patche Di Rima dia 08 de Agosto no espaço B.leza na noite di MANDJUANDADI

A madjuandadi é, numa tradução nua e crua, a convivência. Convivência essa que se faz, atendendo a numerosos factores, nomeadamente idade, gênero, etnia etc… Mas tendo sempre como pano de fundo a música, o cantar guineense que exterioriza o sentimento humano em todos os seus estados, recorrendo muita das vezes aos  (proverbios) ditos para fazer passar as mensagens.

Destaca-se o crioulo como a língua por meio da qual as cantigas de dito são expressas; investiga-se a origem dos termos mandjua e mandjuandadi, este último visto como organização de mulheres com estrutura, regras de funcionamento e eventos dos quais participam. As mandjuandadi são vistas também como lugar de manifestação cultural no qual as cantigas de dito são criadas, ganham corpo, ritmo, performance. A análise dessa performance vale-se, dentre outros recursos, da construção de operadores de discursos dos quais a cabaça e o pano se mostram como elementos de um sistema de sentido, na sua relação e articulação com as cantigas de dito. Procura-se demonstrar que as cantigas de mandjuandadi constituem uma das matrizes da poesia guineense poesia, já que em ambas fazem-se presentes tanto os recursos poéticos quanto temas que remetem a lugares e sentimentos que o sujeito poético encena.Para concluir deve-se realçar  e, na Guiné-Bissau, a oralidade ocupa um lugar muito importante; o cantar é onipresente, pois acompanha o contar – a narrativa –, o riso e o pranto, a alegria e a dor. O nascimento, a iniciação, o casamento, a morte, os mortos e os ancestrais proporcionam momentos de exaltação coletiva e são motivos para se entoarem as mais diversas canções. Por isso, diante da reduzida fonte escrita sobre as tradições guineenses, julga-se que, mais do que lamentar essa falta, é preciso tomar iniciativas que possam inverter a situação, abrindo caminhos para estudos e pesquisas sobre esse volumoso e rico patrimônio cultural. Por isso trouxemos para aqui hoje a nossa mandjuandadi para juntos cantarmos a nossa guinendadi.
BY: LAGARTIXA ANDRE MENDES

27.07.2013 | por martalanca | Guiné Bissau, Patché di Rima

A Batalha de Trabatô - Estreia em Portugal, 11 de Julho

O filme “A Batalha de Tabatô” de João Viana estreia amanhã, 11 de Julho, nas salas portuguesas.

O filme estreia em Portugal depois de ter sido distinguido em fevereiro com uma menção honrosa no festival de Berlim e de ter tido antestreia em abril, no festival IndieLisboa.

Trailer



web

10.07.2013 | por herminiobovino | cinema, cinema português, Guiné Bissau

Remna Schwarz ao vivo no Café Tati, LISBOA

9 de Maio, 22h

O Café Tati recebe Remna Schwarz para um concerto a solo, com a sua música, mistura rica de ingredientes sonoros “recolhidos” nos países por onde a sua vida foi passando (Zaire, Mali, Senegal, Guiné Bissau, Portugal, EUA, França), bem como nas músicas que o influenciaram (jazz, blues soul, hip hop, reggae, …).
Cantor, guitarrista e compositor, Remna Schwarz iniciou o seu caminho musical no mundo do hip hop, primeiro no Senegal e depois em França, onde também cantou como corista numa banda de reggae. Durante as digressões com essa banda escreve as suas primeiras canções.
Em 1999 começa uma carreira a solo e vai conquistando espaço na cena musical francesa. Abriu concertos de músicos como Youssou Ndour, Lokua Kanza, Niominka BI ou Daraa-J, foi músico residente em vários clubes de jazz parisienses, e, com a sua banda, ganhou alguns prémios de âmbito nacional.
Lança o seu primeiro disco, “Saltana” (2007), edição independente.Vive actualmente em Cabo Verde onde trabalha também como produtor musical e onde abriu em 2011 a terceira edição do Kriol Jazz Fest. Já neste ano representou a Guiné Bissau numa turné pela Guiné, Senegal e Gâmbia, no âmbito do circuito de concertos dos Institutos Franceses.

08.05.2013 | por franciscabagulho | Guiné Bissau, música

"A Batalha de Tabatô" no IndieLisboa

A estreia do filme “A Batalha de Tabatô” no IndieLisboa irá decorrer no dia 24 de Abril, Quarta-Feira, às 21h30 no Grande Auditório da Culturgest, em Lisboa. O filme será também exibido no dia 26 de Abril, Sexta-Feira, às 19h15 no CC Classic Alvalade.

 

26 de Abril, 23H, RITZ CLUBE, 5 Euros

A festa integra a programação do INDIE BY NIGHT e contará com a actuação dos SUPERCAMARIMBA + CONVIDADOS e dos BAILARICO SOFISTICADO DJ SET.

 

22.04.2013 | por martalanca | cinema, Guiné Bissau

Finhani - O Vagabundo Apaixonado (2012)

Lançamento do livro (Romance) “Finhani – O Vagabundo Apaixonado” de Emílio Lima, pela Corubal e a Chiado Editora, no Centro Cultural Franco Bissau Guineense.
Sexta-feira, 12 de Abril de 2013 | 17h00

(…) Imagine como pode terminar uma aventura transcontinental, por um corpoprofundamente agoniado, corroído pela ganância e brutalidade dos homens e,consumado pelas balas de canhões?

Foi assim que nasceu a ilusão do Finhani Pansau Kam-mecé, em emigrar paraEuropa, só com a roupa de corpo, após ter visto a casa e a família que construiucom muito amor e suor transformarem em escombros e fragmentos de sonhos (…)

Inspirado no poema “Vagabundo Apaixonado”, este romance transpira histórias verídicas. Traz à luz do dia a problemática da delinquência juvenil nos subúrbios… da escravatura moderna, perpetrada pelos grupos de mafiosos e traficantes que operam entre a Europa, América do Sul e África.

Para quaisquer dúvidas, esclarecimentos adicionais, não hesite em contactar:
Lisboa: 969432876 | miolindo@hotmail.com – Emílio Tavares Lima
Bissau: 00245 5917716 | corubalgb@gmail.com - Miguel de Barros

03.04.2013 | por herminiobovino | Guiné Bissau, literatura, literatura africana, literatura guineense

Noite Temática da Guiné-Bissau, com Maio Coopé | Sábado, 9 de Março

Este sábado regressam os sabores quentes da Guiné-Bissau ao Centro InterculturaCidade, com Maio Coopé!



20:30 - Jantar Tradicional da Guiné-Bissau

Sujeito a marcação prévia por telefone ou e-mail. Lotação limitada.
Ementa: amendoins e caju torrado, caldo de chabéu, doce de banana com amendoim.
Contribuição (jantar + concerto): 13 afros (inclui entrada, prato e sobremesa)

22:30 - MAIO COOPÉ (música)
Entrada a partir das 22h: 3 afros

Marcações:
Tel. | 21 820 76 57
Email | info.interculturacidade@gmail.com
web
Endereço | Travessa do Convento de Jesus, 16 A, 1200-126, Lisboa

07.03.2013 | por herminiobovino | Guiné Bissau, música, música africana

Projecto Cinecaravana "Hortas Di Pobreza" a chegar à Guiné-Bissau

O projecto CineCaravana consiste em levar a produção recente Hortas Di Pobreza, a cidades, vilas e aldeias da Guiné-Bissau, longe das salas de cinema, apresentando o filme de forma gratuita e aberta a toda a população. O filme Hortas Di Pobreza é uma produção independente que retrata a realidade social e económica da produção e comercialização de caju, produto que envolve a maior parte da população rural da Guiné-Bissau.
A partir da leitura do filme, e ao longo de um período de 22 dias de CineCaravana, colocamos ao dispor das populações um contínuo ciclo de debates e reflexão com o público a respeito das questões retratadas no documentário. Tendo projectado o filme e realizado sessões de discussão sobre as suas principais problemáticas – o comércio justo e a segurança alimentar – em Portugal e no estrangeiro, consideramos essencial que tanto o filme como o debate e reflexão nele subjacentes regressem onde serão mais necessários: o mundo rural guineense, local que deu corpo e alma ao filme.
Os objectivos centrais do projecto CineCaravana desdobram-se em duas áreas fundamentais: a área cultural e a área de intervenção e desenvolvimento local.

No domínio cultural, é nossa intenção levar cultura sob a forma de cinema a populações que não têm acesso a este tipo de arte, num país em que a única sala de cinema existente (em Bissau) fechou na década de 1990. É de igual importância o facto de o filme projectado ser na língua mãe das populações locais – o crioulo – cuja influência na cultura cinematográfica é praticamente inexistente. Espera-se que a projecção de um filme em crioulo possa ainda valorizar as produções locais e dinamizar a apetência para futuras obras nesta língua, normalmente marginalizada, apesar de ser a que une o povo guineense e a única que é compreendida por quase toda a população.
No âmbito da intervenção e desenvolvimento local, pretende-se acima de tudo motivar a uma reflexão conjunta sobre os destinos da população e agricultura locais, tendo em vista a possibilidade de empoderamento dos produtores locais. Discutir formas de organização de produtores e articulações com intervenientes ligados ao comércio justo poderiam ser primeiros passos importantes para uma melhoria significativa na justiça do comércio local e na segurança alimentar das populações.
Não podemos prever que resultados poderão advir destas reflexões comuns, mas antecipamos que a facilitação e promoção deste pequeno “fórum social” estimule a reflexão e o debate em conjunto, essenciais para poderem juntos definir linhas de acção e reflexão sobre os seus problemas comuns.

04.03.2013 | por martalanca | Guiné Bissau

Programa Especial na Radio Gumbe sobre o Dia dos Heróis Nacionais

No passado dia 20 de Janeiro comemorou-se, na Guiné Bissau e em Cabo-Verde, o dia dos heróis nacionais. A data é simbólica por recordar um dos mais carismáticos líderes africanos, nas lutas pela emancipação dos seus povos, Amílcar Cabral.

Para comemorar a data, a Rádio Gumbe emitiu um
programa especial, onde diversos convidados de ambos os países debateram o legado do histórico líder.

Amílcar CabralAmílcar Cabral

Convidados | Guiné-Bissau
Mário Cabral (Político guineense e antigo combatente)
Miguel de Barros (Sociólogo, guineense e Investigador do INEP)
Ernesto Dabo (Analista Politico e músico)
Julião de Sousa (Investigador guineense da Universidade de Coimbra)
Peter Mendy (Historiador e Professor Universitário, Rhode Island College, EUA)
Rui Landim (Analista Político guineense)
Zé Manuel (Cantor e músico guineense)
Fafali Koudawo (Historiador, Pesquisador e Analista Político)

Convidados | Cabo-Verde
S.E. Comandante Pedro Pires, ex-presidente de Cabo-Verde
Carlos Reis (antigo combatente de Cabo-Verde)
Olívio Pires (antigo combatente de Cabo-Verde)
Dores Silveira (antiga combatente de Cabo-Verde)
Redy Wilson Lima (Professor & Investigador, Universidade de Santiago, Cabo-Verde)

Ouvir programa

26.01.2013 | por herminiobovino | Amílcar Cabral, Cabo-verde, Guiné Bissau, rádio

Conferência e exposição "História da Guiné-Bissau através da história de mulheres - como as mulheres participam na reconstrução do país"

A Musqueba é um Movimento de Mulheres que visa a educação e valorização de mulheres africanas nos contextos onde se inserem com o objectivo de potenciar o seu contributo na luta pela paz e justiça social.
Imbuída do espírito educativo e de consciencialização para as questões do Género que norteia a sua ideologia o Movimento tomou a iniciativa de celebrar o Dia da Mulher Guineense, que se comemora a 30 de Janeiro na FCM-UNL - Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, sita no Campo dos Mártires da Pátria, 130, Lisboa a partir das 18h.
Pretendemos com esta actividade proporcionar um momento de debate público entre todas as pessoas interessadas em conhecer o contributo que as mulheres têm dado pela Guiné-Bissau e por isso iremos partilhar com todos os interessados vivências, reflexões e conquistas feitas pelas Mulheres no alcance da prosperidade económica e social.
Autocarros: 723, 30, 790, 767

26.01.2013 | por martalanca | Guiné Bissau, mulher

casa dos direitos

14.01.2013 | por franciscabagulho | Guiné Bissau

Casa dos Direitos | Guiné-Bissau

 


Nº 2, DEZEMBRO 2012

ALFABETO DO DESENVOLVIMENTO EM BISSAU A 15 DE JANEIRO

A Casa dos Direitos inaugura, a partir de 15 de Janeiro, às 17h30, a itinerância internacional do Alfabeto do Desenvolvimento, uma exposição e livro/catálogo que conta com a reflexão e criatividade de quase 60 autores – entre jornalistas, fotojornalistas e investigadores. Trata-se de um projecto desenvolvido pela ACEP, em parceria com o Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento/ISEG e a Associação InLoco, e que conta com financiamento da Cooperação Portuguesa.

CASA ORGANIZA FORMAÇÃO EM MÉTODOS DE PESQUISA DE TERRENO

De 9 a 15 de Janeiro, a Casa dos Direitos organiza uma formação dedicada às metodologias de pesquisa de terreno. As sessões serão dinamizadas por Sílvia Roque, membro do consórcio da Casa e investigadora no Núcleo de Estudos para a Paz do CES/Coimbra e têm como objectivo capacitar técnicos de ONG guineenses na área da investigação e da pesquisa.

UE APROVA PROJECTO NA ÁREA DOS DIREITOS DAS MULHERES

A União Europeia aprovou o projecto “Mindjeris i Força di Paz” à organização holandesa SNV, em que a Casa participará activamente nos vários tipos de actividades. Com início em Fevereiro de 2013, o projecto irá ser desenvolvido ao longo de dois anos, incidindo no reforço das ONG guineenses, em actividades de advocacia e em programas de sensibilização e informação para a população. O projecto irá também apoiar o reforço do centro de recursos da Casa.

FACULDADE DE DIREITO PROMOVE FORMAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

Começou a 12 de Novembro a formação sobre Direitos Humanos e Igualdade de Género para as Organizações da Sociedade Civil, realizada pela Faculdade de Direito da Guiné-Bissau. A formação acontece na Casa dos Direitos, e deve prolongar-se até Fevereiro de 2013. Temas como “As Liberdades Pessoais e Políticas”, “A Violência Doméstica”, “Educação para a Cidadania” integram o programa, que terá uma componente prática de trabalho de campo. A atividade é financiada pelo PNUD. Ler mais…
 ARTISSAL ORGANIZOU FEIRA “CABAZ DI TERRA” NAS INSTALAÇÕES DA CASA

ARTISSAL organizou, em Dezembro, uma feira/exposição nas instalações da Casa dos Direitos, que constituiu uma oportunidade para conhecer os produtos típicos e genuínos da Guiné-Bissau, desde o artesanato à panaria tradicional, bijuteria, compotas, mel, entre outros. A ARTISSAL é uma ONG guineense de Desenvolvimento local, constituída em Julho de 2004, que intervém nos domínios do Comércio Solidário e do Comércio Justo. Ler mais…

CINEMA NA CASA - FALA DI MINDJERIS

A Casa dos Direitos acolheu uma sessão de cinema e debate, no âmbito da jornada de luta contra a violência para assinalar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência sobre a Mulher, a 25 de Novembro. Fala di Mindjeres, que significa “vozes de mulheres”, foi o filme exibido, no qual se seguiu um debate sobre as diferentes formas de violência e discriminação. Consulteaqui um excerto do filme.

 

07.01.2013 | por martalanca | casa dos direitos, Guiné Bissau

A Poesia da Guiné-Bissau: História e Crítica

A Poesia da Guiné-Bissau: História e Crítica (Editora Arte e Ciência, 2012, 304 páginas) é obra que se apresenta como um estudo panorâmico dos poetas de língua portuguesa da Guiné-Bissau, organizados segundo uma cronologia histórica. Enfoca, com efeito, a produção literária poética, escrita em língua portuguesa, da Guiné-Bissau a partir de 1990, detectando um desenvolvimento significativo do gênero no país, um recrudescimento da identidade nacional e um aumento quantitativo e qualitativo do acervo de poetas desta literatura. O autor do estudo, o crítico literário brasileiro João Adalberto Campato Jr., brinda-nos com um ensaio de crítica e história literária que busca enriquecer a bibliografia sobre literaturas de países africanos de língua portuguesa, ressaltando o florescimento da poesia no país e, a par da objetividade científica, não se recusa a julgamentos críticos e valorativos. O livro é prefaciado pelo professor Pires Laranjeira, da Universidade de Coimbra, e pode ser encontrado  na livraria Cutura (www.livcultura.com.br).

20.11.2012 | por martalanca | Guiné Bissau, poesia guineense

Djumbai de Cidadania de Lisboa

“Como os jovens guineenses na diáspora podem mobilizar-se em favor da Guiné-Bissau?”

17/11/2012 (Sábado) na Faculdade de Direito de Lisboa (Portugal)
09h00 – 09h30: Apresentação Edson Incopté (AEGB-L) e Rui Jorge Semedo (MAC)
09h30 – 12h00: Tertúlia - Como podem as organizações juvenis e jovens em contextos de diáspora podem mobilizar-se em favor da Guiné-Bissau? – Miguel Barros (MAC)
- Como podem as jovens raparigas potenciar a sua cidadania em contextos de exclusão nas zonas suburbanas em contexto diaspório? – Rita Ié (AEGB-L) e Miguel de Barros (MAC)
12h00 – 13h00: Almoço
13h00 – 14h00: Apresentação das conclusões - Estratégias e modalidades para o reforço da participação juvenil em Buba –Nélson Lopes (MAC) e Rui Jorge Semedo (MAC)

18.11.2012 | por martalanca | Guiné Bissau

Rescaldo do djumbai da cidadania em Cacheu

O segundo Djumbai da Cidadania juntou nos dias 27 e 28 de Julho em Cacheu cerca de 70 jovens em debate acerca do golpe de estado de 12 de Abril: como é que este foi vivido em Cacheu e como podem as associações juvenis mobilizar-se para impedir novos golpes de estado e construir a democracia participativa a partir das suas comunidades.
Uma das principais ideias do Djumbai foi a criação de um “Movimento pró-Cacheu”, que promova desenvolvimento e democracia que não só tenha iniciativas concretas para resolver problemas locais mas exija que os compromissos políticos assumidos com a comunidade e o país, sejam cumpridos. Um espaço de debate de ideias e acções em que se ensaie a democracia participativa.
Para mais informação, ver ver aqui

31.07.2012 | por martalanca | Cacheu, Guiné Bissau