Anozero’19, Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra

Anozero’19, Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra É neste espanto respeitoso de quem inventou o que não existia que o visitante vai sendo surpreendido pela sinestesia das obras que habitam o despovoado, fantasmagórico e potente convento-quartel, irmanadas pelos fios do conto do escritor Guimarães Rosa, que dá o mote e entrelaça todos os contributos. “Como assentar num lugar sistematicamente invadido por tamanha força?”, interroga o guia da exposição, fazendo dessa pergunta o centro político do projeto bienal.

Vou lá visitar

18.12.2019 | por Carla Baptista