'Bustagate', de Welket Bungué

Bustagate com Isabél Zuaa e Cleo Tavares. // Um ano depois do incidente do Bairro da Jamaica (zona da margem Sul de Lisboa) eis o panorama escandaloso da violência e desigualdade social em Portugal. Eis um filme-intervenção póstumo à sua personagem imaginária, dedicado aos portugueses. // “Temos de entender quais são as questões sociais fraturantes da nossa sociedade. Somos brandos, e por isso acreditamos que a colonização de África, da América do Sul (…) foi uma missão importante que uniu a humanidade. Hoje grande parte da nossa riqueza deriva dos ganhos do nosso passado de violência, portanto devemos muito a esses povos agora ex-colonizados. LIVRES.”

Bustagate é um filme híbrido, que mistura textualidade e três narrativas visuais para contar e asfixiar o público, fingindo colocá-los no mesmo lugar que a nossa deflagrada heroína (a Sociedade). Bustagate, um ano depois do incidente do Bairro da Jamaica (zona da margem Sul de Lisboa). Através dos comentários do artista como agente político em nome do Ministério Público Português, Welket faz o recorte de um panorama escandaloso e desajustado de violência e desigualdade social em Portugal. Aqui está um filme-intervenção póstumo ao personagem imaginário aqui chamado Pretugal (personificando o Luís Giovani Rodrigues), dedicado ao povo português (aos tradicionalmente “nativos” e aos descendentes do continente africano que nasceram aqui). Esta criação segue o assunto principal do filme-manifesto (ou filme-intervenção) anterior Eu Não Sou Pilatus (Seleção Oficial DocLisboa - Competição Internacional, 2019).

 

05.06.2020 | por martalanca | Welket Bungué

mostra de filmes e conversa com Welket Bungué

TERÇA-FEIRA, 7 DE MAIO 201918h00 - 21h I Hangar 
Apresentação de filmes do realizador Welket Bungué com conversa no final da sessão, na qual o público pode colocar questões sobre aspetos da sua ideologia cinematográfica e auto-retrato fílmico.
Entrada: 3€ (gratuita para sócios)  
VÃ ALMA (4º episódio) (2018) MENSAGEM (2016) e NADA FIZEMOS (2019) AGINAL (2018)> Filme exclusivo, título será divulgado no evento < (2019) BASTIEN (2016) EU NÃO SOU PILATUS (2019)
Balanta e luso-guineense, Welket Bungué, nasceu em Xitole (Guiné-Bissau) em 1988. Filho de Paulo T.Bungué, engenheiro florestal especializado na cultura do cajueiro, conhecedor exímio do território florestal guineense e filho de Segunda N’cabna, ex-militar e aposentada da Guarda Nacional Guineense. Teve como referência materna Mª de Fátima B. Alatrache, senhora de brandos costumes, que exerceu muitos anos como professora na GB. Filho de emigrantes, Welket iniciou a sua formação artística em 2005. É licenciado em Teatro no ramo de Atores (ESTC/Lisboa) e pós-graduado em Performance (UniRio/RJ). É Membro Permanente da Academia Portuguesa de Cinema desde 2015. Em 2012 foi distinguido com “Prémio de Melhor Ator” pela sua interpretação em MÜTTER.

Realizou as curtas-metragens MENSAGEM, WOODGREEN, AGINAL, ARRIAGA (2018) e BASTIEN no qual foi distinguido pelo “Prémio de Melhor Ator” e “Melhor Primeira Obra’” nos prémios Shortcutz 2017. Desde 2016, trabalha regularmente com a companhia de teatro Mala Voadora (Portugal). É também locutor para entidades internacionais, desenvolve Escrita Dramática, Argumento de Cinema, Performances e Teatro. Atualmente vive entre o Rio de Janeiro e Berlim.

02.05.2019 | por martalanca | Guiné Bissau, Welket Bungué