Aida Gomes, escrever para se descobrir - 2

Aida Gomes, escrever para se descobrir  - 2 Crescer entre várias culturas fê-la também crescer emocionalmente, e em conhecimento, sentindo-se composta por todas estas parcelas: origem angolana, infância e adolescência entre Angola e Portugal, formação adulta na Holanda, experiências nas áreas de desenvolvimento e todas as vivências.

Cara a cara

04.03.2011 | por Marta Lança

Encruzilhadas históricas: reunir experiência e gerar convicções, entrevista à escritora Aida Gomes 1

Encruzilhadas históricas: reunir experiência e gerar convicções, entrevista à escritora Aida Gomes 1 Tenho sempre consciente o enorme esforço do que é construir-se um país de novo; nas casas novos tijolos e nas janelas vidros. Pergunto-me sobre as pessoas: basta-lhes também pintar de novo as paredes das casas? Na Holanda quem viveu a guerra ainda traz as marcas consigo; não consegue deitar comida fora porque passou fome, não consegue apagar de si a vulnerabilidade de ter sobrevivido (mesmo o ódio ao inimigo de então subsiste). Não sei até que ponto o facto de ter crescido fora de Angola, país onde questões políticas trouxeram uma guerra longa, terá afectado as minhas escolhas profissionais. Guerra, conflito e política foram os assuntos dominantes do meu trabalho.

Cara a cara

24.02.2011 | por Marta Lança

Os Pretos de Pousaflores - PRÉ-PUBLICAÇÃO AIDA GOMES

Os Pretos de Pousaflores - PRÉ-PUBLICAÇÃO AIDA GOMES No Heilongo a Ercília não pára de perguntar, alguma vez viste o mar? “É assim, o mar tem telhas de zinco azul transparente e paredes de nuvens. Os peixes têm camisas prateadas e casacos de lapelas douradas. Os lagartos jardineiros alisam a areia para que nas águas dancem flores de sal colorido.”

Mukanda

30.01.2011 | por Aida Gomes