Meninos negros vão ao cinema: a marginalidade como estética para um outro sonho de liberdade

Meninos negros vão ao cinema: a marginalidade como estética para um outro sonho de liberdade Tornar as masculinidades negras como categoria nas teorias de gênero, não de forma isolada ou contrária à ascensão dos movimentos feministas negros ou LGBT, mas como mais uma particularidade do discurso que põe em causa o patriarcado branco. A hegemoneidade das masculinidades brancas são uma das principais facetas do conjunto de dominação, controle e repressão do aparato colonial que funda as sociedades ocidentais da contemporaneidade.

Afroscreen

08.08.2019 | por Marco Aurélio

Carlos Paca - “O teatro é a verdade, a reciprocidade no momento”

Carlos Paca - “O teatro é a verdade, a reciprocidade no momento” A diferença é que o negro no Brasil sente-se brasileiro e em Portugal sente-se imigrante, fazem-nos sentir assim. O governo português diz que está a promover a integração, mas de que forma, se somos excluídos de todos os sectores da sociedade? Mas há também o reverso da moeda: o que é que os actores negros fazem para contrapor esta situação? - reflecte o actor angolano, sediado em Portugal.

Cara a cara

11.10.2010 | por Marta Lança