Programação 1 de Julho no Bartô

28.06.2012 | por joanapereira | bartô, Chapitô | 0 comentários

HOJE 25 Maio | Especial África: concerto Guiné + dj Lady GBrown, no Bartô/ Chapitô

Vem curtir uma grande noite africana de celebração do dia de África!25 de Maio, sexta-feira, das 22h às 4h  - ENTRADA LIVRE!

Concerto de grandes músicos guineenses, com a participação de:
Zeras Bunca Sanha, vocalista
Sadjo Csssamá- ritimistaSanha- viola
Wié- batarista
Zeca Lucassa- viola solo
Kabum-djembé
Artista convidados: Xangai, Zezé e Dinis Costa.
+ dj Lady GBrown

LadyGold&Brown A.K.A LadyGBrown nasce em 2003 quando quis partilhar essa paixão com mais gente. Por  influência de amigos como Selekta Lexo (Raska), Dr Bastard entre outros, começou por tocar no Bob Rasta na altura o único bar de reggae no Bairro Alto. Foi residente no bar do Colectivo Club Naval; Mexe Café; Velvet; Mesquita bar; Espaço Groove Art; Summer Echo-Costa da Caparica; Bar L; Groove bar;  Maxime;  Mood; Souk; Left; Bacalhoeiro;  MusicBox;  Jamica; Club Europa; Lisboa Festival África/Lisboa Mistura/Festival de Cinema Africano com Colectivo AfroBlu;  Club Ferroviario; Bar do Cais; Pensão Amor; Arte & Manha. Faz parte do Colectivo AfroBlu Dj’s com João Gomes- Cool Hipnoise, Johny- Cooltrain Crew e Dj Lucky. É um projecto de Música Negra onde fazemos uma viagem desde os anos 60 até aos dias de hoje, MiriamMakeba; Cesária Evora; Salif Keita; Pantera; Jorge Ben Jor; Miles Davis; Elias dia Kimuezo; PauloFlores; Bezzera da Silva; Nigga Poisson e muitos outros. O ritmo saí do continente negro, cruza o Atlântico rumo às Caraíbas e recarrega as baterias em Portugal.

É SÓ DANÇAR!!!!

25.05.2012 | por joanapereira | Africa, bartô, Chapitô, Guiné | 0 comentários

ZONA FRANCA NO BARTÔ - INAUGURAÇÃO

Só pode ser surpresa, só pode ser verdade: o improvável conjunto (Rui Duarte, Marta Lança e Adriano Jordão), com o seu vasto conhecimento do universo boémio, vai programar, atacar, brincar e gerir o Bartô, o bar do Chapitô, a partir de Outubro.

Zona Franca inicia-se nesta experiência mas há-de seguir viagem para outras paragens, e o princípio é dinamizar espaços de encontro, onde as artes convivam com as noites, sem temer a manhã.
Concentração agora no Bartô. Todas as noites (à excepção de segunda-feira, dia em que não há peixe) acolhemos e propomos coisas boas. Da rubrica fado é bondage aos sons africanos e (in)continentes ao domingo, passando pelas tertuliantes conversas bravias, até aos sábados onde se giródisco e não se toca o mesmo, podem escolher o melhor momento para nos brindar com companhia animada. Pegámos em conceitos que já existem (não vamos inventar a roda, certo?) e lavrámos a terra para nova colheita. E então, as bandas fazem-se ao tanque-palco, académicos trocam a aula por uma conversa de copo na mão, o dj transpira para tocar, e o artista não dá mais tiros sem ricochete. Um programa vivo e extremamente atraente, a ver vamos.
Atent@s às gulas nocturnas, podem contar com tábuas de enchidos, queijos e outras surpresas gustativas.O improvável conjunto cá vos espera.
ZONAFRANCA|ZONALIBERTADA  inauguração do Zona Franca | Bartô | 7 de Outubro | 22h
A festa da inauguração serve para nos conhecermos, mostrar ao que vimos e rebentar a pista ao som dos incansáveis Bailarico Sofisticado. A exposição de Alejandro Levacov projecta as nossas utopias na tela, uma performance vem desafiar-nos, e a alegria de celebrar não nos larga.

cartaz da exposição ZONAFRANCA|ZONALIBERTADAcartaz da exposição ZONAFRANCA|ZONALIBERTADA
ZONAFRANCA|ZONALIBERTADA - EXPOSIÇÃO  Alejandro Levacov, Buenos Aires, 1973. Aos 12 anos, por causa de uma convalescença prolongada, descobre a literatura e começa a desenhar BD. A partir dos 17 viaja intermitentemente. Em 2001 emigra para Barcelona. Desde 2009 passa grandes temporadas em Lisboa. Actualmente encontra-se em Maputo. Trabalhou, entre outras coisas, como publicitário, cozinheiro, modelo nu, actor e ilustrador.
BAILARICO SOFISTICADO (DJ)  Imagine-se que, durante umas horas, poder-se-ia apagar fronteiras com uma borracha, acender fogos com dois calhaus e ser-se de qualquer tribo, da África à Europa de Leste, passando por Brooklyn e praias tropicais. É que, desde 1999, pode ser-se cidadão do mundo com um Bailarico Sofisticado assim – que o digam os milhares de pessoas que, com eles fazem, nascer o Sol no encerramento do FMM de Sines.

29.09.2011 | por joanapires | alejandro levacov, artes, Chapitô, exposição, zona franca | 0 comentários

I Mostra de Cultura Angolana

De 1 a 8 de Março, Angola vai estar no Chapitô. Numa co-produção entre o Chapitô Colectividade Cultural e Recreativa de Santa Catarina e a Casa de Angola, a I Mostra da Cultura Angolana  apresenta apontamentos de literatura, música, dança, teatro, artes plásticas e gastronomia.

A acção pretende apoiar as iniciativas culturais levadas a cabo por comunidades de expressão portuguesa, promovendo a interculturalidade e a troca de saberes.

“Esta mostra é um pretexto para partilharmos a nossa maneira de ser junto daqueles que nos acolheram, onde seguramente encontraremos memórias do tempo ou dos tempos da caprandanda”, pode-se ler no comunicado de imprensa.

O Chapitô e a Casa de Angola promovem, também, reflexões acerca do papel da mulher nas sociedades africanas e portuguesa. Haverá ainda acções de apoio social às comunidades angolana e portuguesa, materializadas em rastreios de saúde e aconselhamento médico.

Programa

01 de Março 
22h00 
Bartô do Chapitô 

Literatura | Sessão de Autógrafos “Verdades Ocultas”, de Idalina Santos

Música | Tony Jackson

Continuar a ler "I Mostra de Cultura Angolana"

25.02.2011 | por martalanca | Chapitô, cultura angolana | 0 comentários

Teatro Griot no Chapitô

O Teatro Griot apresenta o seu primeiro espectáculo dirigido ao público infanto-juvenil, “O Corcunda e a Cigana”.

A história do bebé disforme abandonado pela mãe na escadaria da magnífica Catedral de Notre - Dame em Paris, destacou-se aos olhos da encenadora, pelo seu carácter contemporâneo, conferido na peça, pelas injustiças sociais traçadas pela profundidade das personagens, e pela chamada de atenção ao julgamento precoce com base na aparência.
Ao Teatro Griot, impôs-se celebrar a real e evidente multiculturalidade das sociedades actuais através do teatro com pequenos apontamentos de música, dança, circo. 
“O Corcunda e a Cigana” é um drama vivido numa das épocas mais cinzentas da História da Humanidade, no entanto é uma peça viva, com cor, que exulta o amor. O amor mais verdadeiro de todos. Aquele que só se vê com o coração.

Tenda do Chapitô de 15 de Janeiro a 13 de Fevereiro de 2011

16.01.2011 | por martalanca | Chapitô, Daniel Martinho, teatro | 0 comentários