Deslocalizar a Europa: revisitando Cabral, Césaire e Du Bois

Deslocalizar a Europa: revisitando Cabral, Césaire e Du Bois Implicou ainda a necessidade de construção de uma identidade panafricana ou negra como condição de ancoragem nacional ou local, o que incluiu o confronto com tradições existentes ou a reinventar – para além do “sangue e do solo”. São estas dimensões transnacionais que há que reequacionar na nossa contemporaneidade. Até que ponto serão os começos anticoloniais – essa tabula rasa que caracterizaria o ato de descolonização (Fanon) – ainda capazes de dar conta dos desafios com que o mundo hoje se depara?

Mukanda

02.10.2013 | por Manuela Ribeiro Sanches