Boubacar Boris Diop

Escritor senegalês (1946), vive em Dakar e escreve para o “Neue Zürcher Zeitung”. Depois de frequentar a escola francesa, descreveu as suas experiências de racismo num romance que nunca foi publicado. Aos 20 anos adoptou o nome de um imigrante russo do romance “Os Caminhos da Liberdade” de Sartre. Licenciado em Literatura e Filosofia, ensinou em Saint-Louis, norte do Senegal. Ligado ao marxismo, fundou um clube anti-colonial que organizava danças acompanhadas de discursos políticos. Publicou peças, guiões, ensaios e romances, entre os quais: “Le temps de Tamango” (1981), “Os tambores da memória” (1990) e “Murambi, o livro dos ossos” (1998). Trabalha em jornalismo escrito e rádio. Em Kigali fez parte, com outros artistas, do projecto “Rwanda: escrever pelo dever da memória” (1998). 

Artigos do autor