Apresentação de dança guineense

Chamo-me Inês Oliveira e sou realizadora de cinema*. Estou neste momento a preparar uma longa-metragem de ficção cuja história se passa no seio da comunidade imigrante guineense. Durante os castings encontrei um coreógrafo guineense, o José Carlos Imbombo, também conhecido por Nasilhas. Ele é considerado o grande coreógrafo das danças tradicionais guineenses. José carlos participou nos filmes de Flora Gomes como actor e coreógrafo. Actualmente trabalha com um grupo de cerca de 20 jovens bailarinas/actrizes/cantoras, que são de uma força energizante e grande inspiração.

O seu trabalho está muito confinado aos bairros sociais e conseguirem ensaiar é um grande esforço que fazem (trabalham muitas horas e a maioria também estuda). Quando as vi dançar as lágrimas saltaram-me dos olhos, foi uma pura experiência estética, de afirmação de vida. Gostava de vos convidar a verem uma demonstração do seu trabalho que organizei nos Recreios da Amadora no dia 25 de Julho, próxima 2ª feira, pelas 20h. O propósito de é precisamente pô-los em contacto com profissionais do espectáculo em Portugal.

22.07.2011 | by martalanca | dança, Guiné Bissau

The Impossible Music Sessions - Baloberos Crew

The Impossible Music Sessions were created by founder Austin Dacey to give a voice to artists in countries plagued by censorship, and lacking freedom of speech. In this session NJ/NYC hip hop artist Hasan Salaam brings the music of Guinea Bissau’s (West Africa) Baloberos Crew to life in Brooklyn, NY, while the Baloberos appear live via the Internet. In 2009, members of the Baloberos crew were jailed, beaten, and threatened for two days because of their song “7 Minutes of Truth”. The song was a brutally honest and heartfelt depiction of the corruption, violence, and instability plaguing their country. It came at a time when their current President was assassinated by members of his own military. Hip hop has become many different things. However, at its core, it remains to be a voice for the voiceless. The goal of the Impossible Music Sessions is to insure that voice is always heard, despite those who will kill to keep it silenced. Please support the movement and share this video. Thank you.
www.impossiblemusic.org

www.hasansalaammusic.com

www.simplyflow.com

www.hiphopharmonyafrica.com

www.nomadicwax.com

07.06.2011 | by martalanca | Baloberos Crew, Guiné Bissau, hip hop

África Estranha, BISSAU

África Estranha, grupo de dança contemporânea africana apresenta nova peça, 21 de abril, 18h30, centro cultural português.

O Movimento Cultural Ubuntu pretende valorizar, preservar e fomentar a produção cultural guineense num contexto multicultural. 

19.04.2011 | by martalanca | dança, Guiné Bissau

EU SOU ÁFRICA - 10º episódio PEPITO - GUINÉ BISSAU

sábado, 9 de Abril, às 19h na RTP2

 

Carlos Schwarz da Silva, guineense nascido em Farim, em 1949, só exerceu o nome enquanto se fazia engenheiro agrónomo em Lisboa, ao mesmo tempo que se diplomava na luta estudantil contra a ditadura. Na Guiné Bissau, todos o conhecem por Pepito, lutador incansável contra as más práticas de Estado, mas sobretudo contra a fome, pela cidadania e pelo desenvolvimento. Fundador do pioneiro DEPA (Departamento de Experimentação e Pesquisa Agrícola) e da ONG Acção para o Desenvolvimento (AD), deputado, neto de polacos que sobreviveram ao Gueto de Varsóvia, filho de um jurista nacionalista preso pela PIDE e amigo de Amílcar Cabral, pai de 3 filhos, avô de 2 netos, Pepito é, nas palavras dos anciãos balantas, um “homem grande”.

Testemunha o 25 de Abril frente ao quartel do Carmo, com a mulher, Isabel Lévy Ribeiro, e juntos regressam a Bissau, determinados a viver intensamente o tempo histórico que lhes coube. Com 25 anos e um diploma na mão, Pepito sabe principalmente que quer mobilizar as pessoas para a acção, mesmo que isso signifique recomeçar inúmeras vezes do zero. Ele e os seus recomeçaram sempre. A viagem que fazemos, de Bissau à Floresta de Cantanhez - dois dos pólos de acção da AD - , é uma travessia pela sabedoria de um país repleto de singularidades. Uma paragem no quartel de Guiledge, marco importante da luta pela independência. “A Guiné Bissau tem trinta e duas etnias: são trinta e duas maneiras de pensar diferente, de dançar diferente, de fazer cultura diferente, de filosofias de vida diferentes. É uma riqueza extraordinária se todas forem consideradas elementos que potenciam a união”. São estes saberes que Pepito privilegia – contrariando leis ou métodos impostos pelo exterior –nas reuniões com os mais-velhos, na festa com os mais novos, nas conversas com mulheres e homens de experiências variadas, muitos dos quais ousaram seguir as práticas informais e eficazes que a equipa do engenheiro agrónomo foi pesquisando e testando, um projecto que se declina na agricultura e no eco-turismo, mas também nas Escolas de Verificação Ambiental, nas televisões e rádios comunitárias. Nas tabancas do sul, no antigo quartel de Guiledge - marco crucial da luta pela independência, memória viva -, em Quelélé, o que está em marcha é a luta contínua pela cidadania e por condições de vida dignas para os guineenses. Uma conversa profunda com o seu pai espiritual, o Rei dos Nalus, mergulha-nos num discurso de grande afecto e sabedoria.

 

+ info

 

Engenheiro agrónomo, Guiné-Bissau (1949-2014), com ascendências que misturaram sangues das mais variadas origens (caboverdiano, português, judeu, polaco) e que para a Guiné-Bissau regressou, quando jovem licenciado pelo Instituto Superior de Agronomia (Lisboa), para se dedicar à causa do desenvolvimento das populações do país que o viu nascer e que ele ama entranhadamente, sendo tão difícil, ali, onde a pobreza e o atraso dos povos se casaram com o desleixo, o gangsterismo e a corrupção (muitas destas maleitas são o que sobrou das terríveis experiências do “marxismo-leninismo africano”), resistir aos desenganos. E nota-se que, para resistir e persistir, Carlos Schwarz da Silva (“Pepito”, assim lhe chamam os amigos) ainda se ilumina no exemplo e na obra (incompleta, porque interrompida por Spínola, a PIDE e a traição de alguns dos “seus”) de outro agrónomo guineense, Amílcar Cabral.

07.04.2011 | by martalanca | Eu Sou África, Guiné Bissau, Pepito

ANÚNCIO DE VAGA ENGº AGRÓNOMO_TINIGUENA (GUINÉ-BISSAU)

No quadro do projecto Anos Ku Tem Tera! Promover a soberania alimentar, fortalecer a economia e a governação local, uma parceria entre a TINIGUENA, a DIVUTEC e o CIDAC, financiado pela EU, pretende-se recrutar um(a) Engenheiro(o) Agrónomo(a) guineense, com o seguinte perfil:

1.1.  Formação superior em Agronomia e/ou agroeconomia

1.2.  Mínimo de 5 anos de experiências de terreno no domínio da agricultura durável e gestão integrada dos espaços rurais

1.3.  Conhecimento e domínio de métodos participativos de animação comunitária e organização do mundo rural

1.4.  Conhecimento e experiência de dinâmicas económicas geradoras de auto-emprego no mundo rural

1.5.  Conhecimento da realidade socioeconómica e sistemas de produção das comunidades das zonas de intervenção do projecto

1.6.  Capacidade de produzir relatórios e documentos técnicos

1.7.  Capacidade de trabalho em equipa

1.8.  Conhecimento, interesse e convicções nas questões centrais abordadas pelo projecto (conservação da biodiversidade, soberania alimentar, direitos comunitários, desenvolvimento participativo e durável)

1.9.  Perfeito domínio do Português e Crioulo

1.10.   Domínio de pelo menos uma língua estrangeira (de preferência Francês) é uma vantagem

1.11.   Capacidade de se integrar dentro de uma instituição e de trabalhar ao seu serviço, abraçando sua história, identidade, valores e percurso

Candidaturas:

As candidaturas deverão ser dirigidas à Direcção da Tiniguena e depositadas na sua sede em Bissau, até ao dia 16 de Abril de 2011, às 13h00, em envelope fechado, contendo os seguintes documentos:

§   Carta de motivação;

§   Curriculum Vitae;

§   Cópia autenticada do Diploma ou Certificado de Habilitações;

§   Fotocópia do Bilhete de Identidade ou Passaporte.

As candidaturas poderão ainda ser enviadas via Internet, para os endereços electrónicos abaixo referidos.

Para consulta dos Termos de Referência e informações adicionais, favor contactar o Assistente PMA da Tiniguena, Sr. Miguel de Barros, nos horários de funcionamento desta organização (das 8H30 às 15H00) e através das seguintes coordenadas:

Telefone: (+245) 325 19 07             E-mail: tiniguena_gb@hotmail.comdebarros.miguel@gmail.com

A TINIGUENA

30.03.2011 | by martalanca | ambiente, Guiné Bissau, Tiniguena

JORNADA CULTURAL GUINEENSE NO CENTRO INTERCULTURACIDADE

5 MAR > SÁB | GUINÉ-BISSAU NO CENTRO INTERCULTURACIDADE 

Centro InterculturaCidade tem o prazer de convidar para a inauguração da Exposição de Batik (pintura em tecido) do artista guineense Anselmo Godinho, queterá lugar no dia 5 de Março na Rua dos Poiais de S. Bento, 90, em Lisboa, às 18h30m,com a presença do artista.

Será servido um porto de honra

Sobre o artista…

Anselmo José Godinho é natural da Guiné-Bissau. Os seus primeiros desenhos foram feitos no chão, com carvão Ainda criança, or influência de um primo mais velho, começou a usar o lápis para desenhar. Já adulto, aprendeu a técnica do Batik na Gâmbia, através de uma Bolsa de Formação  da  delegação da União Europeia em Bissau. O Batik, técnica milenar originária da ilha de Java (ndonésia), consiste em sucessivos tingimentos do tecido após o isolamento de determinadas partes com cera.E foi através desta arte tradicional de pintura em tecido que  Anselmo Godinho veio a exprimir os seus conhecimentos e as suas preocupações sociais, bem como os aspectos culturais da sua terra natal.

Expõs pela primeira vez em 1995 no Centro Cultural Brasileiro de Bissau. Algumas das suas obras de Batik doram expostas recentemente no Centro InterculturaCidade por um curto período de tempo. No entanto, e de forma a alargar a visibilidade do trabalho de um artista que procura -  merece! - oportunidades, o Centro InterculturaCidade decidiu montar~lhe uma exposição um pouco mais elaborada e com mais tempo de exibição.

Após a inauguração da exposição terá lugar um jantar tradicional guineense sujeito a marcação prévia.

20h - Jantar Tradicional da Guiné-Bissau 
Entrada:  Pasta de Abacate com Atum
Prato principal: Caldo de Mancarra (Frango com Amendoim)
Sobremesa: Pudim de Pão à Moda da D. Berta 
12 € por pessoa (incluí vinho, água e café)

Inscrições para o Jantar até dia 4 de Março:
centro.interculturacidade@gmail.com

Centro InterculturaCidade
Tel.: 21 397 57 16
Rua dos Poiais de S. Bento, 73, 1200-346 Lisboa
interculturacidade.wordpress.com

01.03.2011 | by martalanca | Anselmo José Godinho, Guiné Bissau

livro VOZES DE NÓS BISSAU, HUAMBO E SÃO TOMÉ, em Bissau

“VOZES DE NÓS – BISSAU, HUAMBO E S. TOMÉ” 

DIREITOS DAS CRIANÇAS CONTADOS E ILUSTRADOS POR ELAS PRÓPRIAS 

APRESENTAÇÃO PÚBLICA | 18 DE FEVEREIRO | 17 HORAS 

ASSEMBLEIA NACIONAL POPULAR DA GUINÉ-BISSAU 

Ao longo de vários meses crianças e jovens em risco de marginalização, nas cidades de Bissau, Huambo e S. Tomé contaram as suas histórias de vida – oralmente e também sob a forma de desenhos, pinturas e outras brincadeiras. 

Quatro organizações – a AMIC, da Guiné-Bissau em parceria com a Okutiuka, de Angola, a Novo Futuro, de S. Tomé e Príncipe e a ACEP, de Portugal, dinamizaram esse processo. Um ilustrador, Alain Corbel, fez a coordenação artística e duas instituições, a CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e a Fundação Calouste Gulbenkian, criaram as condições financeiras de partida para o projecto onde estas e outras actividades se têm realizado. 

Hoje estamos perante um dos resultados do projecto, o livro “VOZES DE NÓS”, onde podemos ouvir e ver as histórias dessas crianças e jovens, que são afinal retratos feitos pelos próprios, de situações de violação ou de realização de direitos. 

A Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau vai acolher no próximo dia 18, pelas 17h, a primeira apresentação pública deste livro, que irá percorrer depois também as cidades dos outros países envolvidos. 

Neste acto público, acolhido pela Presidência da Assembleia Nacional Popular e organizado com a Comissão Permanente para os Direitos das Mulheres e da Criança, irão estar representadas também a CPLP, através do seu Secretário-Executivo, bem como a AMIC e a ACEP, organizações promotoras do projecto. Mas, sobretudo, irão estar as crianças e jovens de bairros periféricos de Bissau, nomeadamente do Enterramento, que em conjunto são os autores deste livro. 

A intenção dos promotores desta iniciativa é a de assim chamar a atenção para as responsabilidades de toda a sociedade na protecção às crianças e jovens e, ao mesmo tempo, contribuir para a criação de condições de auto-estima e auto-confiança daqueles que vivem situações de maior vulnerabilidade e maior risco de exclusão. 

A apresentação do livro caberá à Doutora Odete Semedo, autora da introdução às histórias das crianças e jovens de Bissau. 

17.02.2011 | by martalanca | crianças, Guiné Bissau

3º episódio do EU SOU ÁFRICA, AUGUSTA HENRIQUES - GUINÉ BISSAU

dia 19, Sábado, às 19h na RTP2

 

Augusta Henriques tem cinquenta e oito anos, dois filhos, uma neta e uma vida inteira de engajamento na transformação social e no desenvolvimento do seu país, a Guiné Bissau. É a fundadora e secretária geral da Organização Não Governamental guineense TINIGUENA - que significa esta terra é nossa. É o poder dessa pertença que Augusta afirma em todas as suas acções. “Não podemos responder pelo ontem nem pelo amanhã, mas hoje podemos fazer a diferença!” Augusta tem personalidade de líder, fala de forma assertiva, e há muito tempo que diz: “Sim, podemos fazer”.


A agitação da avenida principal de Bissau, perto do mercado Bandim, contrasta com a paz das ilhas Urok, no arquipélago dos Bijagós. Augusta Henriques move-se entre estes dois mundos, passando recentemente mais tempo na sua ilha natal, a Formosa. Formou-se em Portugal mas sempre teve presente que o seu futuro era na Guiné-Bissau, “um país novo para construir” e cheio de orgulho à época da independência. Regressa para trabalhar no primeiro Ministério da Educação do país e, mais tarde, no enquadramento da lei para as organizações não governamentais guineenses. Há 20 anos criou a TINIGUENA para trabalhar em prole da sustentabilidade e da protecção da biodiversidade do seu país, nomeadamente no arquipélago dos Bijagós, a primeira área marinha protegida comunitária da África ocidental. A gestão harmoniosa dos recursos naturais que ali se pratica e as estratégias erguidas em conjunto com as comunidades são, afirma Augusta Henriques, “um exemplo de governação para o país”. acredita. Esta associação manteve-a “na Guiné-Bissau de cabeça erguida, de mangas arregaçadas e de peito aberto para abraçar as coisas boas” e procurar alternativas para melhorar as condições de vida das pessoas.

 

10.02.2011 | by martalanca | Augusta Henriques, Eu Sou África, Guiné Bissau

Morreu o Rei dos Nalús

Soube agora que faleceu Aladje Salifo Camará, o Rei dos Nalús, em Cadique, na Guiné Bissau. Em Dezembro fomos lá visitá-lo à Tabanka Farim com Pepito, que se sentia seu filho. O Rei dos Nalus agradeceu-nos que filmássemos para levarmos uma imagem do povo da Guiné Bissau unido. Ele era a clássica biblioteca viva, sabia tudo sobre os factos e histórias dos últimos cem anos, filósofo e combatente da independência da Guiné-Bissau. Tinha palavras sábias para as coisas das mais diversas naturezas, e de uma humildade rara. Pepito recorda que costumava ir para casa descodificar as metáforas durante dias a fio. Desta vez lembrou-lhe as laranjas que lhe oferecia sempre que lá ia visitá-lo e que comia com especial satisfação. Pediu-lhe desculpa por ter comido as laranjas todas. Ele riu-se e disse: “Fomos nós os dois, juntos, que démos cabo delas.”

Desta vez fez uma espécie de discurso de despedida, que privilégio ter estado lá. 

rei dos nalús e sua esposa, foto de Marta Lança, dez 2010rei dos nalús e sua esposa, foto de Marta Lança, dez 2010

24.01.2011 | by martalanca | Guiné Bissau

Homenagem a Amílcar Lopes Cabral e Heróis da luta pela libertação da Guiné-Bissau e Cabo-verde

A Associação de Estudantes da Guiné-Bissau em Lisboa e o Núcleo de Estudantes Africanos da Faculdade de Direito, no dia 20 de Janeiro de 2011 vai realizar uma Cerimónia em Homenagem a Amílcar Lopes Cabral e Heróis da luta pela libertação da Guiné-Bissau e Cabo Verde.
Programa do Evento
Faculdade de Direito de Lisboa Sala de Audiências, Hora: das 16:30h às 19:30
Tema: “Homenagem dos Heróis Nacionais da Guiné-Bissau e Cabo-Verde e a Influência do Pensamento de Amílcar Cabral nos dois Países”
16:30 Abertura solene da Conferência
Conferencistas
Eng. Domingos Simões Pereira
Secretário Executivo da C.P.L.P
Dr. José Luís Hopffer de Almada
Jurista e Analista político
Prof. Doutor Julião Sousa
Professor de História e investigador na Universidade de Coimbra
Dr. Rony Roreira
Sociólogo
Prof. Doutor António Duarte da Silva
Professor Universitário e autor dos livros: Independência da RGB, Invenção e Construção da RGB
Moderador
António Lopes Soares “Tony Tcheka”
Jornalista e Poeta
18:00h Espaço de Debate
18:30h Encerramento
pelo Excelentíssimo Senhor Embaixador da Guiné-Bissau em Portugal, Dr. Fali Embaló

15.01.2011 | by martalanca | Amílcar Cabral, cabo verde, Guiné Bissau

Noite Cultural Ubuntu Djintis Sta Cu Nos

05.07.2010 | by martalanca | Guiné Bissau, ubuntu