Rui Gomes Coelho

Rui Gomes Coelho trabalha sobre arqueologia do passado recente. Os seus interesses focam-se na constituição sensorial de modernidades alternativas, e em comunidades que mobilizam a cultura material contra abordagens nacionalistas do património cultural. Tem colaborado em projetos arqueológicos nos EUA, Portugal, Brasil, Alemanha, Espanha, Croácia e Guiné-Bissau. As suas publicações mais recentes incluem o ensaio “The Garden of Refugees” [O Jardim dos Refugiados] no volume The New Nomadic Age: Archeologies of Forced and Undocumented Migration [A Nova Era Nómada: Arqueologias da Migração Forçada e Indocumentada], editado por Yannis Hamilakis, 2018 e o artigo “An Archaeology of Decolonization: Imperial Intimacies in Contemporary Lisbon” [Uma Arqueologia da Descolonização: Intimidades Imperiais na Lisboa Contemporânea], publicado no Journal of Social Archaeology, 2019. É professor no Departamento de Arqueologia de Durham University. Trabalhou no Joukowsky Institute for Archaeology and the Ancient World, na Brown University, e no programa de Cultural Heritage and Preservation Studies no Departamento de História da Arte da Rutgers University. É também investigador da UNIARQ—Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa.

Artigos do autor