Inauguração - Ateliê Mutamba

Acontecerá na próxima quinta-feira(11), a inauguração da 3• edição  do Ateliê  Mutamba.   
O evento integrará  a programação do Festival,  “O Futuro já era”, no CINE SÃO PAULO.  
Esta mensagem é um convite para que se faça presente  e participe da  conversa com o curador desta edição, Hugo Salvaterra e os artistas Edmar Moon, Graciana Chamba e Nark Luenzi 
Contamos com sua presença!

09.07.2024 | by martalanca | ateliê mutamba

01.01.1970 |

Ciclo "Ciências Sociais e Audiovisual", Curtas do Ateliê Mutamba

QUA . 18 OUT . 16H AUDITÓRIO SEDAS NUNES - ICS-ULISBOACiências Sociais e Audiovisual

Sessão do ciclo “Ciências Sociais e Audiovisual”, com a projeção de 5 curtas do Ateliê Mutamba, formação em cinema com formato de residência artística, em Luanda (13+17+25+12+12=120 min, Angola, 2022 e 2023), realizadas por Gegé M’Bakudi, Stélio Macedo, Irene A’mosi, Cristiane Baltazar e Resem Verkrom, seguido de conversa com o coordenador Orlando Sérgio (Kino Yetu) e o realizador Resem Verkrom, moderada por Inês Ponte (ICS-ULisboa).

Mais informações sobre o ciclo aqui 

Organização: Inês Ponte (ICS-ULisboa)

 

04.10.2023 | by martalanca | ateliê mutamba

Ateliê Mutamba - Residências Artísticas

Está a decorrer no Hotel Globo o programa de residência Ateliê Mutamba, com realização KinoYetu e patrocínio Goethe-Institut Angola.

Irene A’mosi , Gegé M’bakudi e Resem Verkron, são os artistas em residência desta primeira edição e em maio serão os protagonistas de uma exposição colectiva do programa onde poderão expressar de forma prática o resultado artístico destes quatro meses.

Com coordenação de Orlando Sergio e curadoria de Ery Claver, nesta edição pretende-se explorar o conceito de interdisciplinaridade: arte, formação, partilha e novas descobertas em um mesmo espaço, que confluam no final numa exposição colectiva. Uma residência artística com três artistas e um curador que durante quatro meses assumirão o compromisso de interligar vivências e contribuir para a construção de um legado social, que na ausência de um nome que englobe tudo que a arte significa para nós, resolvemos chamar de diálogos culturais. Ter a arte como uma prioridade e uma ferramenta de reflexão dos tempos actuais, influenciará para uma outra realidade, temos a convicção que questionar o passado e uma ação consciente no presente, é fundamental para a construção de uma sociedade verdadeiramente justa e um futuro melhor para todos nós.

Sobre o Projecto

Localizado no mítico Hotel Globo, um edifício construído na década de 50 que já foi albergue temporário de figuras proeminentes da cena cultural, tais como: Ruy Duarte de Carvalho e Rogério de Carvalho, e da nova geração como Toy Boy, Kiluanji Kia Henda, Thó Simões, Nadine Sierget. Entre 2004 e 2010, o salão principal do edifício, foi um dos espaços expositivos da Trienal de Luanda e, nos últimos cinco anos, os quartos do antigo hotel, transformaram-se no local de exposição do evento anual Fuckin ́ Globo, que também fez uso das traseiras para realização de eventos como concertos, performances, debates e mostras de cinema.

Nesta nova ocupação do espaço, com o projeto Ateliê Mutamba - Residências Artísticas, pretende-se explorar o conceito de interdisciplinaridade: arte, formação, partilha e novas descobertas em um mesmo espaço, que confluam no final numa exposição colectiva. Uma residência artística com seis artistas e dois curadores que durante seis meses assumirão o compromisso de interligar vivências e contribuir para a construção de um legado social, que na ausência de um nome que englobe tudo que a arte significa para nós, resolvemos chamar de diálogos culturais. Ter a arte como uma prioridade e uma ferramenta de reflexão dos tempos actuais, influenciará para uma outra realidade, temos a convicção que questionar o passado e uma ação consciente no presente, é fundamental para a construção de uma sociedade verdadeiramente justa e um futuro melhor para todos nós.

Durante os últimos anos a arte contemporânea africana ganhou notoriedade e iniciativas como esta residência podem ser entendidas como parte desta transformação no universo artístico. Por muito tempo questões estruturais no continente, fizeram com que a arte tivesse a sua importância relativizada. O movimento de resistência cultural dos artistas foi fundamental na conquista de um novo lugar para um o imaginário na arte contemporânea africana e continua a ser. Além da troca entre os participantes da residência, teremos outros convidados e um diálogo constante com a cidade. Com uma metodologia interativa, no final de cada etapa haverá uma exposição, já que assim como a vida, a arte só faz sentido quando compartilhada. O Ateliê Mutamba - Residências Artísticas, é uma proposta de interação social, com intuito de garantir novas experiências a todos os envolvidos.

16.03.2022 | by Alícia Gaspar | ateliê mutamba, goethe institut angola, Hotel Globo, kinoyetu, Residência Artística