29.ª edição da Quinzena de Dança de Almada

De 23 de setembro a 17 de outubro, as salas e espaços culturais da cidade da Quinzena de Dança de Almada acolhem a programação do festival, que se estende também ao Instituto Cervantes de Lisboa.

Num ano de forte aposta na criação artística de coreógrafos e companhias nacionais, e de expressiva parceria com a Mostra Espanha 2021, o programa do evento mantém, contudo, a dimensão internacional. Dos espetáculos aos programas da plataforma coreográfica, mas sobretudo nas sessões de videodança, será possível ver dança contemporânea proveniente de países como a Hungria, Itália, França, Países Baixos, Brasil, Grécia, Israel, Bélgica, Alemanha, Estados Unidos, Malásia, China, México, Argentina, México, Chile, Áustria, Equador ou Arménia.

Na abertura desta 29.ª edição, a anfitriã e organizadora Companhia de Dança de Almada estreia uma nova produção no Teatro Municipal Joaquim Benite. RGB resulta do convite da direção artística a dois jovens coreógrafos - Jon López e Martxel Rodriguez | Led Silhouette - que se têm vindo a destacar no panorama da dança contemporânea espanhola. Em residência artística desde meados de agosto, os criadores propõem uma peça que procura ser uma experiência artística caleidoscópica que usa os sentidos, a geometria, o movimento e a plasticidade, com grande ênfase na utilização da luz.

O cartaz de espetáculos segue com um programa bipartido da italiana Compagnia Bellanda, do qual se destaca Sono Solo Tuo Padre, segundo lugar do prémio Pina Bausch no FIDCDMX / Cidade do México, em 2018. É apresentado dia 25 de setembro, no Auditório Fernando Lopes-Graça. 

De 30 de setembro a 3 de outubro a Plataforma Coreográfica Internacional oferece, nesta edição, cinco diferentes programas, com 9 representantes portugueses e 8 de outros países. Por este dias, a cidade de Almada torna-se num importante ponto de encontro para coreógrafos e bailarinos, que partilham experiências e apresentam ao público os seus trabalhos no Auditório Fernando Lopes-Graça (Prog. 1 e 4), no Auditório Osvaldo Azinheira - Academia Almadense (Prog. 2 e 3) e na Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea (Prog. 5).

Dia 7 de outubro é dedicado aos filmes. De tarde, a proposta vai para um road movie (de dança), Bird Dog, sob a direção da coreógrafa espanhola Marina Mascarell. A viagem, ao vivo (não é pré-gravada), é um ato efémero que acontece nas ruas de quatro cidades diferentes - Tóquio, Lisboa, Nova York e Haia - numa peça site specific apresentada por quatro intérpretes conectados por meios técnicos. Para ver em streaming, no site da Quinzena de Dança de Almada, em http://quinzenadedancadealmada.cdanca-almada.pt/ e na página de Facebook do festival (@quinzenadedancadealmada).

À noite, chega à tela do Auditório Fernando Lopes-Graça o filme de dança Retrato,  criação do projeto LaB InDança, promovido pelo Município de Santa Maria da Feira, no âmbito da iniciativa PARTIS III – Práticas Artísticas para a Inclusão Social, da Fundação Calouste Gulbenkian. O filme tem direção artística e conceção de Clara Andermatt e realização de antónio gil. A projeção será seguida de conversa com os artistas.

Da húngara Góbi Dance Company, chega-nos Freestyle, uma coprodução nipo-húngara que não foge ao estilo geométrico e minimalista que caracteriza as obras da coreógrafa Rita Gobi. András Rényi, crítico da revista húngara Színház, realça isso mesmo: “Pode ser algo sintomático que o traço mais característico dos corpos dançantes seja uma touca, que transforma a cabeça na forma de uma esfera uniforme e reduz ao mínimo o rosto do bailarino. Um verdadeiro sucesso! Lembra-me as “figuras artificiais” de Oskar Schlemmer: como se pudéssemos ver os reflexos irónicos da sublime utopia teatral da centenária Bauhaus ao olhar os nadadores que em Freestyle vão mudando de forma.”. Para ver dia 9 de outubro, no Auditório Fernando Lopes-Graça.

A 10 de outubro é a vez do coreógrafo e bailarino espanhol Jacob Gómez subir ao palco para apresentar o solo For You, e Un Niño, peça resultante de uma semana de residência artística com a escola da Companhia de Dança de Almada | Ca.DA Escola, na qual participam os bailarinos alunos.

Da companhia PURGA.c, dia 15 de outubro, será possível ver no Auditório Osvaldo Azinheira - Academia Almadense, Longue Marche. Com coreografia e direção artística de Rodrigo Teixeira, o trabalho estreado no Clube Estefânia | Escola de Mulheres, em Lisboa, é o mais recente desta jovem companhia, que regressa à Quinzena depois de em 2018 se ter apresentado na Plataforma Coreográfica Internacional.

E a fechar o cartaz de espetáculos, dia 17 de outubro, a estreia de uma nova criação dos portugueses também repetentes no festival, Catarina Casqueiro & Tiago Coelho. Em Deux—Same, a dupla criativa propõe-se questionar a alteridade entre o começo individual e o coletivo, partindo de materiais cuja essência é o movimento.

Antes ainda, para os mais novos, o festival propõe a última criação da Companhia de Dança de Almada, O fio da Macaquinha, de Ana Lázaro e Inês Pedruco. Com entrada gratuita para grupos escolares, o espetáculo que fala sobre a relação entre pessoas, será apresentado nos dias 7 e 8 de outubro. Dia 16 de outubro, o coletivo EmbalArte estreará O Museu Andante | Visita Guiada ao Mundo de Júlio Pomar, uma criação de Ângela Ribeiro a partir do livro “Júlio Pomar”, da coleção “Artistas Portugueses do Século XX”, de Mafalda Brito e Rui Pedro Lourenço.

Na mais internacional secção do festival, a Mostra de Videodança, transversal a toda a programação, este ano é possível ver 37 vídeos de diferentes realizadores e coreógrafos representantes de 17 países, dos quais 12 portugueses. As diferentes sessões propostas poderão ser vistas no Instituto Cervantes de Lisboa (I Sessão), no Auditório Osvaldo Azinheira - Academia Almadense (II e IV Sessão) e na Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea (III e V Sessão).

Entre espetáculos, videos e filmes, workshops, mesas-redondas e conversas com criadores, são muitas as razões para assistir à 29.ª edição da Quinzena de Dança de Almada, que começa dia 23 de setembro.

_

A programação do festival, bem como informação sobre datas, locais e modo de ingresso estão disponíveis online, em http://quinzenadedancadealmada.cdanca-almada.pt/ 

_

O evento pode ser acompanhado no Facebook e Instagram, em https://www.instagram.com/quinzenadedancadealmada/  e http://www.facebook.com/companhiadedancadealmada.

_

Organização:

Companhia de Dança de Almada

_

Financiamento:

Câmara Municipal de Almada

Direção-Geral das Artes

República Portuguesa | Cultura

_

Parceiros de programação:

Mostra Espanha 2021

Instituto Cervantes

MASH - Machol Shalem Dance House

Barnes Crossing

Irene K

CEAP - Centro de Estudos de Artes Performativas

INET-MD - Instituto de Etnomusicologia - Pólo da FMH

Up2DANCE

_

Parceiros de comunicação:

Coffeepaste

TV Almada

Jornal Almadende

_

Apoios:

Embaixada de Espanha em Portugal

Ministério da Cultura e do Desporto de Espanha

Câmara do Comércio Portugal - Israel

Embaixada de Israel em Portugal

Pousadas de Juventude

Cacilhas Guest Apartments

Mercure Hotels

Villa Batikano’s

Veg-e-tal - Restaurante Vegetariano

Annapurna - Cozinha Nepalesa

Burro Velho - Espaço Cultural, Pizzeria, Bar

Coisas degostar - Take Away & Delivery

Hamburguês - Hambúrgueres Artesanais

Nestlé Fitness

Fertagus

TST - Transportes Sul do Tejo

Almada Forum

UrbanInk

07.09.2021 | by Alícia Gaspar | Almada, arte, criação artística, dança, expressão corporal, festival, lisboa, quinzena de dança de Almada

Companhia de Dança de Almada celebra o Dia da Dança dentro e fora de portas

Para assinalar o Dia da Dança celebrado a 29 de abril, em 2021 a Companhia de Dança de Almada (Ca.DA) aceitou o desafio de se mostrar fora de portas, ao mesmo tempo que apresenta novos talentos à sua cidade natal.

CaDA. Escola.CaDA. Escola.

O programa comemorativo inicia-se a 22 de abril, com a estreia de um espetáculo composto por criações de Maria José Bernardino, Raquel Tavares e Luís Malaquias, coreógrafos residentes nesta cidade, que há vários anos têm demonstrado o seu valor e potencial artístico. O programa tripartido “Amebas Traidoras” + “Gifted” + “Cinza”, da Companhia de Dança de Almada, pode ser visto no Auditório Fernando Lopes-Graça, em Almada, pelas 21h.

A 24 de abril, integrado na primeira edição do festival “Borders of Nature - Borders of Culture” organizado pela companhia Polski Teatr Tańca - Polish Dance Theatre, é apresentado online o videodança “Sete Dias de Inverno”, realizado por Henrique Pina, a partir da coreografia de Bruno Duarte. O videodança pode ser visto durante 48h, com acesso livre, na plataforma VoD do Polish Dance Theatre. Mais informações em http://ptt-poznan.pl/pl/timeline/en

Por sua vez, a 29 de abril em S. João da Madeira, está prevista a apresentação da Companhia de Dança de Almada na “A Cidade Dança”, evento com a curadoria de São Castro. As performances “Marvel”, de Luís Marrafa e “Noir”, de Bruno Duarte compõem um programa bipartido, a ver na Casa da Criatividade, pelas 19h.

Em Almada, o Dia da Dança é assinalado com um espetáculo dedicado a jovens intérpretes formados na Ca.DA Escola. Resultante do trabalho das disciplinas de Repertório Clássico e Dança Contemporânea, o programa foi desenvolvido pelos alunos do Curso Básico e Secundário de Dança (ensino articulado) e do Curso Vocacional, sob a orientação dos professores Maria Franco, Carla Albuquerque e Bruno Duarte. Para ver no Auditório Fernando Lopes-Graça, em Almada, às 21h.

Celebrado desde 1982, a 29 de abril, o Dia da Dança foi instituído pelo CID - Conselho Internacional de Dança, Unesco. É assinalado em todos os países do mundo por milhões de bailarinos, tanto profissionais como amadores. Tem como propósito chamar a atenção para a arte da dança.

CaDA. Comemoração do dia mundial da dança. Pedro SoaresCaDA. Comemoração do dia mundial da dança. Pedro Soares

Amebas Traidoras. CaDA. Joana Casado.Amebas Traidoras. CaDA. Joana Casado.

22 abril | 21:00

Auditório Fernando Lopes-Graça, Almada

Amebas Traidoras + Gifted + Cinza | ESTREIA

Companhia de Dança de Almada

informações e reservas: auditorio@cma.m-almada.pt, 212 724 927/20 (4.ª a 6.ª-feira, das 14h30 às 18h, sáb., das 15h às 18h)

preço do bilhete: 6 euros (-50% para jovens e seniores)

24 abril | 19:00 (hora em Portugal)

Plataforma VoD em https://www.vod.ptt-poznan.pl/

Sete Dias de Inverno (videodança)

Companhia de Dança de Almada

informações: http://ptt-poznan.pl/pl/timeline/en

livre acesso por 48 horas

29 abril | 21:00

Auditório Fernando Lopes-Graça, Almada

Comemoração do Dia da Dança

Ca.DA Escola

informações e reservas: escola@cdanca-almada.pt | 212 500 145 (2.ª a 6.ª-feira, das 16h às 20h)

preço do bilhete: 2,5 euros (preço único)

29 abril | 19:00

Casa da Criatividade, S.João da Madeira

Marvel + Noir

Companhia de Dança de Almada

informações: casadacriatividade@cm-sjm.pt | 962 145 716

CaDA. Cinza. Joana Casado.CaDA. Cinza. Joana Casado.

20.04.2021 | by Alícia Gaspar | Almada, arte, corpo, dança, dia da dança, evento

Um homem chamado Romeu Correia -

Exposição comemorativa do centenário do nascimento (1917-2017)

A assinalar o centenário do nascimento de Romeu Correia, o Museu da Cidade, na Cova da Piedade, recebe uma exposição que celebra e divulga a sua obra enquanto escritor, desportista, cidadão, cinéfilo e dramaturgo. Inauguração: 8 de abril às 16h.«A exposição organiza-se numa linha de continuidade entre o espaço exterior do jardim e os dois pisos de exposições temporárias, numa abordagem biográfica referenciada ao seu universo literário: objetos, documentos, imagens, citações, que remetem os visitantes para as paisagens, quotidianos, espaços de trabalho, movimento associativo, prática desportiva, festa, resistência e ativismo cívico, organizando narrativas, contando, não “a História” de Romeu Correia, mas as suas “histórias”, que se cruzam com as de outros, em Almada, Portugal, ao longo de quase todo o século XX.
No primeiro piso evoca-se a obra literária, destacando oito títulos (romance, teatro e contos) e no segundo piso desenvolve-se a sua biografia, contextos de intervenção, redes de cumplicidades e afinidades em abordagens temáticas. O design museográfico é de José Manuel Castanheira, sublinhando a importância da experiência do teatro na obra de Romeu Correia e a cenografia como contexto narrativo.»

8 de abril a 31 de dezembro 2017  / Terça a sábado: 10h às 13h e das 14h às 18h / Museu da Cidade, Cova da Piedade

Sobre Romeu Correia
Com cerca de 41 títulos publicados – contos, novelas, romance, teatro, biografias e divulgação da história local –, colaborador regular de revistas como a Vértice, jornais como a República Jornal do Comércio, Diário Popular, Jornal de Almada, Jornal Record, entre outros.A obra de Romeu Correia é indissociável do imaginário de gerações de almadenses, reconstruindo e fixando paisagens, lugares, personagens e histórias quotidianas que marcam a identidade da cidade, afirmam valores e causas comuns.
Sobre José Manuel Castanheira
Pintor e cenógrafo, é autor de mais de 200 cenografias. Trabalhou com directores como Rogério de Carvalho, Serge Belbel, Jorge ListopadJoão Mota, Aderbal Freire-Filho, Artur Ramos,António FeioJoão Lourenço, Rui Mendes, Graziella Galvanni, Carlos Fernando, Juan Carlos Perez Fuente, João César MonteiroJoão Brites, José Luiz Gomez, Maria Ruiz, Rosário Ruiz Rodgers, Joaquim BeniteFernanda Lapa, Paulo Matos, José Sanchis Sinisterra, Gastão Cruz, Robert Quintana, Carlos Avilez, Rui Sena, Fernanda Lapa, Ricard Salvat, Yannis Kokkos, Paulo Filipe, Eugeni Amaya e Christiane Jatahy.

É autor de 6 livros: 2013 / Castanheira-Cenografia (edição quadrilingue com prefácios de Georges Banu, Marcel Freydefont e João Carneiro), 2014 / Desenhar Nuvens (Manual de sobrevivência de um cenógrafo I), Viriato Rey (edição bilingue), 2016 / O Tempo das Cerejas (Manual de sobrevivência de um cenógrafo II), Frei Luís de Sousa (prefácio de Alberto Pimenta) e 2015 - co-autor com Pedro Castanheira de Viagem a Itália (Edições Caleidoscópio).

09.04.2017 | by martalanca | Almada, José Manuel Castanheira, Rome Correia, teatro