"Fanun Ruin", de Zia Soares

Sáb, 10 set 2022 / 19:30 – 20:30
Bilhetes

Concebido no âmbito da programação paralela da exposição Europa Oxalá, este espetáculo prolonga reflexões sobre o passado colonial e os seus efeitos no presente, suscitando questões em torno da memória, da identidade e do luto.

Cortesia António Castelo.Cortesia António Castelo.

FANUN RUIN começa no encontro com os crânios timorenses em Coimbra. Começa no revoltoso timorense desterrado para Angola e na angolana que se desterra. Começa nas perguntas.

Como eram os rostos dos decepados? Onde estão os restos dos corpos dos crânios?

Quando retornam os ossos usurpados? Quem os espera?

Quem ainda se lembra? Quem quer esquecer?

Como encarnar os ossos?

A atriz fala. Põe na voz a vida.

0: Ritos de Lorosae.
1882: Desterramento.
35: Crânios.
1959: Revoltosos.
1959: Desterramento.
1974: Autodesterramento.
2021: Ossos usurpados.
2022: FANUN RUIN

Cortesia Neusa TrovoadaCortesia Neusa Trovoada

Ficha Técnica

Autoria, Direção e Interpretação Zia Soares

Direção de arte Neusa Trovoada

Cocriação de vídeos António Castelo

Música Xullaji

Cocriação de movimento Lucília Raimundo

Iluminação Mafalda Oliveira

Elenco de vídeo Agostinho de Araújo, Aoaní Salvaterra, Domingos Soares, Fátima Guterres, Lídia Araújo, Lucília Raimundo, Manuel de Araújo, Priscila Soares

Assistência à cenografia Carlos Trovoada, Nig d’Alva

Técnico de som Luís Moreira

Fotografia António Castelo

Assistência geral Aoaní d’Alva

Cabelos Zu Pires

Maquilhagem Ana Roma

Produção Fundação Calouste Gulbenkian, SO WING

Apoios Centro Cultural da Malaposta, Polo Cultural Gaivotas Boavista

Zia Soares é uma artista apoiada pela apap – Feminist Futures, um projeto cofinanciado pelo Programa Europa Criativa da União Europeia

Agradecimentos Domingos Soares e Priscila Soares, Agostinho de Araújo, Ana Alves, António Soares Nunes, Bruno Sena Martins, José Amaral, Luís Costa, Manuel de Araújo

 

31.08.2022 | by Alícia Gaspar | cultura, europa Oxalá, fanun ruin, Fundação Calouste Gulbenkian, Identidade, luto, memória, Zia Soares

#2 SENNA SPECTABILIS OU CARNAVAL

PERFORMANCE de Flávia Gusmão 25.2.22, 18h30 GALERIA ZÉ DOS BOIS 

Este é o segundo de cinco capítulos do projeto Na Lut@, uma homenagem à produtora e ativista Samira Pereira.
Com direção artística da actriz e criadora Flávia Gusmão, NA LUT@ é composto por 5 capítulos que resultam em objetos artísticos distintos. O 1º capítulo, a audio-performance #1FLAMBOAIÃ, estreou no Festival de Teatro Mindelact 2021, em Cabo Verde.
O Luto e a Perda são as temáticas transversais aos capítulos, que partem das 5 fases do luto estabelecidas por Elisabeth Kubler-Ross: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. As fases definidas pela autora não são sequenciais e determinadas cronologicamente, são intermitentes e até simultâneas, o que encontra paralelo nos objetos artísticos produzidos em cada capítulo, que se entrecruzam.
#2 SENNA SPECTABILIS OU CARNAVAL parte da ideia de celebração, da vontade de criar uma festa celebrando alguém, mas parte, principalmente da necessidade de sair do estado de tristeza e recolhimento para onde somos arrastados com a perda.
A tristeza do luto cansa: cansamo-nos de nos sentir tristes e que nos vejam tristes.
Este segundo capítulo convoca a ideia de festa como catalisador de alegria e energia, e estas como veículos para digerir a dor e a raiva.
Mas será que resulta?

FICHA ARTÍSTICA

Criação Flávia Gusmão Apoio à criação Sofia Berberan, Marta Furtado, Xullaji, Madalena Palmeirim, Renato Linhares e Olga Matviychuk
Voz Xullaji e Flávia Gusmão Apoio técnico e edição Olga Matviychuk Comunicação e Assessoria de Imprensa Rita Bonifácio Imagem Gráfica Sílvia Prudêncio Co-produção Associação Zé dos Bois

23.02.2022 | by martalanca | Flávia Gusmão, luto, performance, Samira Pereira