Colóquio de homenagem a Pires Laranjeira

9, 10 e 11 de novembro de 2021. Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória | Centro de Literatura Portuguesa


Assinala-se este ano o 70.º aniversário do lançamento, em Luanda, da revista Mensagem, que veio agitar as águas da cultura e da literatura em Angola, criando as bases para a afirmação de uma verdadeira literatura angolana. Aconteceu também, em maio do ano passado, o 70.º aniversário do Professor, ensaísta e poeta Pires Laranjeira, cuja jubilação da Universidade de Coimbra não pôde ser devidamente assinalada devido à crise pandémica que então se vivia.

Pretende-se agora, numa iniciativa conjunta das Faculdades de Letras do Porto e de Coimbra, destacar este duplo aniversário, abrindo espaço para uma reflexão alargada sobre as literaturas africanas de língua portuguesa.

9 de novembro

Faculdade de Letras da Universidade do Porto Sala de Reuniões (piso 2)

Link Zoom: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89100543517

9h00 – Sessão de abertura

Diretora da FLUP, Fernanda Ribeiro

Coordenadora do CITCEM, Amélia Polónia

Membro da Comissão Organizadora, Francisco Topa

9h30 – 1.a sessão – Vida e obra de Pires Laranjeira – I

Rita Olivieri-Godet (ERIMIT / U. Rennes 2 / IUF) e Pauline Champagnat (ERIMIT / U. Rennes 2) – A dimensão internacional do ensino e da investigação de Pires Laranjeira: um pensamento em constante ebulição

Bárbara dos Santos (LAM / Girlufi – U. Bordeaux Montaigne) – Uma perceção do pensamento de Pires Laranjeira desde a França

Lola Geraldes Xavier (I. P. Macau / I. P. Coimbra) – Pires Laranjeira: cartografia de uma obra, mensagem de uma vida

11h00 – Pausa para café

11h30 – 2.a sessão – Vida e obra de Pires Laranjeira – II

Maria de Lurdes Sampaio (U. Porto) – Horizontes incertos, ideias claras: notas de leitura em torno de algumas lições do mestre Pires Laranjeira

Iris Maria da Costa Amâncio (U. Federal Fluminense) – Ensino e divulgação das literaturas africanas de língua portuguesa no Brasil

Andreia Oliveira – Caminhos desbravados: o projeto “Sexualidades e género nas literaturas africanas e a língua portuguesa”

13h00 – Intervalo para almoço

15h15 – 3.a sessão – Pires Laranjeira no abraço dos escritores angolanos: “Vida, irmão, sempre não é lição de estudar – se aprende é primeiro, o estudo só depois…”

José Luandino Vieira João Melo

José Luís Mendonça Carlos Ferreira

17h00 – Pausa para café

17h30 – 4.a sessão – Nos 70 anos de “Mensagem”

Carmen Lucia Tindó Secco (U. Federal Rio de Janeiro) – Ressonâncias de Agostinho Neto e Mensagem na poesia angolana contemporânea

Sílvia Brunetta – (Re)escrever a nação nos versos: o impulso da revista ‘Mensagem’ para a formação do cânone literário angolano

Francisco Topa (U. Porto) – O projeto da ‘Mensagem’ de Luanda e o seu número de estreia

19h00 – Encerramento dos trabalhos do 1.o dia

20h00 – Jantar (no Hotel Ipanema)

10 de novembro

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Link Zoom para os dias 10-11: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89100543517

[ID da reunião: 842 7385 6954]

16h00 – Inauguração da exposição de obras de Pires Laranjeira – Sala do Instituto de Estudos Brasileiros (5.o piso) – presencial

Membro da Comissão Organizadora, Doris Wieser

Casa de Angola em Coimbra, Bento Monteiro

Secretário-Geral da União dos Escritores Angolanos, David Capelenguela Diretor do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas, Osvaldo Silvestre

Leitura de poesia de Pires Laranjeira

Beatriz Laranjeira Coimbra Maria João Simões (U. Coimbra)

17h30 – Doris Wieser (U. Coimbra) – Exibição do documentário Viver e escrever em trânsito: entre Angola e Portugal (Doris Wieser, 2021, 60 min.) – Anfiteatro III (4.o piso)

20h00 – Jantar no Restaurante Papa (inscrições prévias)

11 de novembro

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra – Sala do ILLP (7.o piso)

9h00 – Sessão de abertura

Membro da Comissão Organizadora, Doris Wieser Diretor do CLP, Carlos Reis 

Diretor da FLUC, Albano Figueiredo

9h30 – 5.a sessão – Vida e obra de Pires Laranjeira – III

Vergílio Alberto Vieira – Quando a ocasião se põe em obra: Louvor & Simplificação de J. L. Pires Laranjeira

António Jacinto Pascoal – Pires Laranjeira: o pensador no seu labirinto

Jane Tutikian (U. Federal do Rio Grande do Sul) – O vento que passa: o fim das certezas herdadas

11h00 Pausa para café

11h30 – 6.a sessão – Representações de heróis e da nação

Luís Kandjimbo (U. Óscar Ribas) – Herói épico e personagens autoexistentes nas literaturas orais africanas. Para uma filosofia dos nomes próprios ficcionais

Fátima Mendonça (U. Eduardo Mondlane) – Modelos de herói na moderna narrativa africana

Inocência Mata (U. Lisboa) – Literatura Angolana: a materialidade da escrita da nação

13h00 – Intervalo para almoço

15h00 – 7.a sessão – O ensino das literaturas africanas de língua portuguesa

Catarina Rodrigues – Alcance pedagógico das literaturas africanas de língua portuguesa

Maria Nazareth Soares Fonseca (U. Federal de Minas Gerais) – Ensino e divulgação das literaturas africanas de língua portuguesa no Brasil: notas sobre um período singular

Majda Bojic (U. Zagreb) – (Para além dos) ecos de Angola na Croácia: desdobramentos pedagógico-literários

Solange Luís (ISCED – Lubango) – Aprender e ensinar através do manual de Literaturas

Africanas de Expressão Portuguesa

17h00 – Pausa para café

17h30 – 8.a sessão – As literaturas africanas num mundo em expansão

Ana T. Rocha – “Literaturas africanas de expressão portuguesa”, de Pires Laranjeira: manual e história da literatura

Fabíola Guimarães Mourthé (CEFET-Minas Gerais) – 2 X 70 (septuagésimo duplo de cultura e angolanidade): Pires Laranjeira e a revista “Mensagem”

Alberto Sismondini (U. Coimbra) – Diálogos austrais, a revista ‘Sul’ e a publicação de autores africanos lusófonos

19h00 – Sessão de encerramento, com intervenção de José Luís Pires Laranjeira

04.11.2021 | by Alícia Gaspar | colóquio, língua portuguesa, literaturas africanas, Luanda, pires laranjeira, revista mensagem

II Griots- Colóquio de culturas africanas, Natal- Rio Grande do Norte.

O GRIOTS- Colóquio de culturas africanas é um evento que acontece a cada 2 anos na cidade de Natal- Rio Grande do Norte. Apesar de ser uma iniciativa do departamento do curso de letras da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o evento tem o intuito  de dialogar não só sobre literatura africana, mas sobre história, sociologia, artes em geral.

O evento acontecerá nos dias 25 (dia da África) 26 e 27 de maio na UFRN. Já temos como conferencistas confirmados Suleiman Cassamo, Kabengelê Munanga, Mohamed Bamba, Felinto Elisio, Cuti, Moema Parente Augel, Ondjaki entre outros.
Esse ano o Griots, em sua segunda edição, expande seu olhar, partindo da África, para as margens… Uma ótima oportunidade não só para aqueles que estudam África como para todos os estudantes das minorias…
Mais informações

20.04.2011 | by franciscabagulho | literaturas africanas

Literaturas africanas de expressão portuguesa são tema principal da Plural Pluriel

  As literaturas africanas de língua portuguesa estão em destaque no número 6 da revista Plural Pluriel - Revue des Cultures de Langue Portugaise (Primavera-Verão 2010), publicada pelo Departamento de Estudos Lusófonos da Universidade de Paris Ouest Nanterre La Défense.

De acordo com os seus editores, a Plural Pluriel previu desde a sua criação consagrar um número às literaturas africanas: “hoje em dia, elas ultrapassam o estado de emergência em que estiveram acantonadas durante muito tempo, para atingir um nível de serena maturidade, em que se misturam os anciãos - Pepetela, Luandino Vieira -, os mestres, lidos, traduzidos e adaptados - Mia Couto e poucos mais - e uma numerosa geração, já impaciente, de autores de Cabo Verde, da Guiné-Bissau, de Angola e de Moçambique, vivendo ou não nos seus países”.
O número, organizado por José Manuel da Costa Esteves, responsável pela Cátedra Lindley Cintra do Instituto Camões da Universidade Paris Ouest, é também uma homenagem a Michel Laban, professor, investigador e tradutor, falecido em 2008. A revista inclui textos de Maria Helena Araújo Carreira, Adriano Alcântara, Alberto Carvalho, entre outros. Na secção “documentos”, quatro escritores africanos - Mia Couto, Ondjaki, Carmén Tindó e Abdulai Sila - homenageiam o seu tradutor e amigo.
Como habitualmente, a revista dá igualmente conta da mais recente actividade e das iniciativas desenvolvidas pelo CRILUS - Centro de Pesquisas Interdisciplinares sobre o Mundo Lusófono.

 

tirado de Cena lusófona

18.09.2010 | by martalanca | literaturas africanas