Seminário de Estudos Africanos dia 16 de Maio

 Dia 16 de Maio de 2011, 2ª feira, às 18h, no Auditório B103, se efectuará o  Seminário de Estudos Africanos apresentado pela Doutora Brigida Rocha Brito, investigadora pós-doutoral do CEA-IUL, sobre Preservação Ambiental e Desenvolvimento Comunitário: semelhanças e diferenças em contexto insular africano.

16.05.2011 | by martalanca | ambiente, Estudos Africanos

Conhecimentos Endógenos e a Construção do Futuro em África, PORTO

Conferência Internacional “Conhecimentos Endógenos e a Construção do Futuro em África” realiza-se nos próximos dias 15 e 16 de Abril, na Fundação EngºAntónio de Almeida, no Porto. É entrada livre, aberta a todos os que se interessem pelo tema. Será possível assistir à conferência inaugural, do Prof. Paulin J. Hountondji (filósofo do Benin), em streaming, no site da TVU, no dia 15, às 10.45.

ler mais no BUALA

+ infos e programa

 

14.04.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos, Paulin J. Hountondji

Conhecimentos endógenos e a construção do futuro em África, PORTO

Conferência Internacional dias 15 e 16 de Abril na Fundação Eng. António de Almeida, Porto

+ infos

18.03.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos

Pensamento moderno versus pensamento tradicional na África actual, Ferrán Iniesta, hoje no ISCTE, LISBOA

18 Fevereiro, 18h – Conferência de Ferrán Iniesta (Universidade de Barcelona), «Pensamento moderno versus pensamento tradicional na África actual» - ISCTE-IUL edifício II, auditório C104
Uma conferência de grande interesse para “aspirantes” a africanistas e “africanistas encartados”. Um dos temas chave para a compreensão das actuais situações africanas.


18.02.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos, Ferrán Inistea, modernidade, tradição

Curso de Formação: Outras Áfricas – Heterogeneidades, (des)continuidades, expressões locais, CES-Coimbra

11 a 12 de Março de 2011, CES-Coimbra

Este curso pretende dar visibilidade às heterogeneidades de um continente que o imperialismo do Norte, e a ciência ao seu serviço, ora essencializa como um só – A África -, ora, no período pós-colonial, cartografa ainda de acordo com as respectivas ex-potências colonizadoras, sob a retórica das línguas e culturas “partilhadas” – lusofonia, francofonia, anglofonia.

O curso será constituído por um conjunto de seminários sobre temas diversos – da antropologia à literatura e ao teatro, passando pela política, a religião e as diásporas -, dedicados, em exclusivo, a alguns aspectos de Outras Áfricas que não a “lusófona” (aquela que a investigação científica no contexto português maioritariamente contempla).

Deste modo se procurará, de um modo transdisciplinar, não só debater múltiplas perspectivas de reflexão sobre as Áfricas, como colocar em discussão o seccionamento epistemológico (ainda dominante) dos estudos africanos segundo as áreas de influência neo-colonial e as eventuais distorções essencialistas que estes possam produzir.

PROGRAMA:

Sexta-feira, dia 11 de Março de 2011
Manhã:
10.00: Abertura
10.30: Clemens Zobel  (CES) – A antropologia e a emergência da África: ciência(s) e lugar(es) entre colonização e descolonização
12.30: almoço
14.15: Albert Farré Ventura (Centro de Estudos Africanos / ISCTE) – O Estado e as autoridades tradicionais: suma de debilidades e agendas políticas em confronto
16.00: coffee break
16.30: Mallé Kassé (Universidade Cheikh Anta Diop de Dakar) – Islão e Política no Senegal
Sábado, dia 12 de Março de 2011
9.30: Catarina Martins (CES / FLUC) – “La Noire de…” tem nome e tem voz. A narrativa de mulheres africanas anglófonas e francófonas para lá da Mãe África, dos nacionalismos anti-coloniais e de outras ocupações.
11.15: coffee break
11.30: Fabrice Schurmanns (Doutorando em Pós-Colonialismo CES) – O trágico do Estado pós-colonial
13.30: almoço
15:00: Mamadou Ba (SOS / Racismo): Imigração africana em Portugal para lá da lusofonia: Onde cabem a(s) outra(s) África(s)?
17.00: Conclusões e encerramento
Língua de Trabalho: Português; Número máximo de participantes: 25; Inscrições: Público em geral: 40 Euros  Estudante: 20 Euros
Data limite de Inscrição:  9 de Março de 2011. 

+ infos e inscrições

13.02.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos

Performance musical de Braima Galissá + Conferência Ferran Iniesta no ISCTE-IUL, LISBOA

17 Fevereiro_ Intervenção na Performance musical de Braima Galissá (18:00, Auditório B204)

18 FevereiroConferência Ferran Iniesta, Universidade de Barcelona, no quadro do Ciclo Internacional de Conferências Doutorais do ISCTE-IUL (18:00, Auditório C104)


09.02.2011 | by franciscabagulho | Braima Galissa, Estudos Africanos, Ferran Iniesta

Conferênci​a com Dr.René Gerrets da Universidade de Amsterdão

Convite
 
 
Dia 14 de Fevereiro de 2011, 2ª feira, às 18:00, no Auditório Afonso de Barros, se efectuará o  Seminário de Estudos Africanos,  apresentado pelo Doutor René Gerrets, Universidade de Amesterdão, sobre Partnership’ and (dis-)empowerment in international health: a troubling view from a malaria intervention in southern Tanzania.

08.02.2011 | by ritadamasio | Empowerment, Estudos Africanos, international health, ISCTE, Partnership, RenéGerrets, Tanzania

Chamada de inscrições Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, Bahia

XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais
Diversidades e (Des)Igualdades
Salvador, 07 a 10 de agosto de 2011 _ Universidade Federal da Bahia (UFBA) - PAF I e II _ Campus de Ondina

Diversidades e (Des)igualdades é o tema que orientará os debates do XI 
Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, a ser realizado na 
Universidade Federal da Bahia, em Salvador, de 07 a 10 de agosto de 2011. 

Durante o evento, especialistas em Ciências Sociais e Humanidades de 
diversos países - especialmente Angola, Moçambique, Cabo Verde, 
Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Portugal e Brasil - estarão reunidos para 
debater a diversidade e a complexidade de suas sociedades, privilegiando um 
enfoque comparativo e confronto de diferentes perspectivas teóricas e 
metodológicas. 

Nesse momento encontram-se abertas as inscrições para Apresentação de 
Comunicações Individuais
. Estudantes de Pós-Graduação e profissionais podem 
optar entre os 91 Grupos de Trabalho disponíveis em 11 Eixos Temáticos. 
Serão priorizadas Comunicações de resultados de pesquisa concluída ou em 
andamento. 

Prazo: até 14 de março de 2011 
Inscrições através do site internet 

A Comissão Organizadora desta edição do congresso é composta por 
pesquisadores de todas as universidades públicas da Bahia, e coordenada pelo 
Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia. 

27.01.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos

Anne Mélice, La cité sainte de Nkamba, 1 de Fevereiro, 11 h, ICS, Sala Polivalente

“La cité sainte de Nkamba: anthropologie d’un espace théologico-politique”. Anne Mélice, Universidade de Liège.

L’Église kimbanguiste au Congo-Kinshasa possède son espace central que sa  cosmologie désigne comme le « nombril du monde », l’espace de « la cité sainte de Nkamba ». Je chercherai à en dégager la signification en termes  d’anthropologie politique du religieux. En m’autorisant de la conceptualité de Maurice Godelier, je mettrai en évidence la matérialisation symbolique dont l’imaginaire kimbanguiste se trouve dotée par l’institution de Nkamba. 
Les constructions de Nkamba donnent à la mémoire des Kimbanguistes visibilité et permanence. Elles actualisent ou anticipent des événements et des lieux du récit biblique ; elles réalisent une temporalité eschatologique spécifique. Les discours et les pratiques des fidèles font signe vers un espace invisible coextensif au visible, et qu’habiteraient les morts. Comme y incite l’anthropologie de Godelier, il s’agira enfin de jeter les bases d’une analyse des effets politiques de cette institution symbolique. 

Anne Mélice, antropóloga, é investigadora da Universidade de Liège, na Bélgica, onde também exerce como Maître de  Conférences, no Institut des Sciences Humaines et Sociales. Membro do Conselho Editorial da Cahiers d’Études Africaines (Paris), foi igualmente, até 2009, presidente da Associação de Africanistas da Bélgica. Especializou-se etnograficamente no Congo (Kinshasa e região do Baixo Congo), onde realizou inúmeros projectos de investigação. Tem focalizado a sua atenção em questões religiosas, nomeadamente na conhecida Igreja Kimbanguista. Também escreve sobre teoria antropológica francófona, nomeadamente sobre o imaginário em Godelier e os debates pós-lévi-straussianos do “bricolage” como metáfora. Publicou artigos em revistas de renome como a Les Temps Modernes e a Civilisations, para além de inúmeros capítulos em livros colectivos em língua francesa e inglesa. A sua publicação mais recente foi uma colaboração com o investigador do ICS Ramon Sarró “Kongo and Lisbon: the dialectics of centre and periphery in the Kimbanguist Church,” em Fancello, S. e A. Mary (orgs), Chrétiens Africains en Europe: Prophétismes, Pentecôtismes et Politique des nations, Paris, 
Karthala, 2010). 

ICS, Lisboa _ Terça-Feira, 1 de Fevereiro _ 11h Sala Polivalente 

 

24.01.2011 | by franciscabagulho | Estudos Africanos

BUALA no 7º Congresso Ibérico Estudos Africanos, 11 Set. no ISCTE

08.09.2010 | by franciscabagulho | buala, Estudos Africanos