Andanças – uma comunidade de voluntários

Andanças – uma comunidade de voluntários Esta foi a 15ª edição do Andanças que teve como tema a Comunidade. Segundo Diana Mira, da PédeXumbo, o essencial do festival não mudou desde o remoto 1995 em Évora, onde estiveram 200 participantes. “Continua a ser um festival que é um espaço de encontro onde se pode vir dançar e também um espaço de partilha onde se dá as mãos e se olha”.

12.08.2010 | por Maria Prata

O traço enigmático das gravuras rupestres de Tchitundo-hulo

O traço enigmático das gravuras rupestres de Tchitundo-hulo O Tchitundo-hulo constitui uma das mais importantes estações arqueológicas do sudoeste de Angola. Situa-se na faixa semi-árida que orla o deserto do Namibe. É um complexo formado por um grande morro granítico, o Tchitundo-hulo Mulume e por três elevações muito próximas dele: o Tchitundo-hulo Mucai, a Pedra da Lagoa e a Pedra das Zebras, igualmente com gravuras rupestres esculpidas na superfície rochosa.

05.08.2010 | por Dario Melo

Pacto com o diabo no bairro Buenavista

Pacto com o diabo no bairro Buenavista A Regla Conga é uma prática tribal e animista, e uma das religiões secretas que se praticam em Cuba. Guiada por um dos tatas mais respeitados do bairro Buenavista, Carla Isidoro viveu a experiência da religião maldita, também conhecida por Palo Monte.

19.07.2010 | por Carla Isidoro

Os artistas africanos não são uma espécie diferente

Os artistas africanos não são uma espécie diferente Na África do Sul, por esta altura, não se joga apenas futebol. Joga-se uma oportunidade única para chamar a atenção para um país e um continente. De 16 a 20 de Junho, enquanto na África do Sul se jogava à bola, do outro lado do mundo, na Suíça, decorria a mais importante feira de arte mundial – a Art Basel – e discutia-se, numa sessão com a dupla de artistas sul-africanas, Rosenclaire, e a directora da galeria sul-africana Goodman, Liza Essers, a arte da África do Sul e o mercado emergente africano.

29.06.2010 | por Susana Moreira Marques

Mundial «Africano»: o grande mal-entendido

Mundial «Africano»: o grande mal-entendido Podemos ter a certeza que sempre que a Argélia, os Camarões, o Gana, a Costa de Marfim e a Nigéria, descerem ao relvado do Soccer City ou ao Estádio Peter Mokaba, o público vai apoiá-los com um fraterno e atroador concerto de vuvuzelas. Jogo duplo? Não: parece antes a esquizofrenia de uma sociedade profundamente fracturada durante tanto tempo…

17.06.2010 | por Boubacar Boris Diop

Fui lá visitar artistas... contextos artísticos nos Camarões

Fui lá visitar artistas... contextos artísticos nos Camarões África é transmitida como uma imagem sobredeterminada. Quer isto dizer, um lugar capaz de plasmar a abundância dos discursos que circulam, os desígnios para o continente, e as situações de natureza traumática. Dentro e fora, na disseminada geografia que a designa, África tem sido um espaço de ambivalência que ainda polariza questões fundamentais como os direitos humanos, a igualdade racial, o apartheid, a subalternidade, a hibridização, a mixagem, a deslocação de pessoas e culturas.

20.05.2010 | por Marta Mestre

Roçar o local com o olhar do mundo - a Bienal Internacional de Arte e Cultura em S. Tomé e Príncipe

Roçar o local com o olhar do mundo - a Bienal Internacional de Arte e Cultura em S. Tomé e Príncipe A Vª edição da Bienal Internacional de Arte e Cultura, em Julho 2008, deu um salto: partiu para a internacionalização e expandiu as áreas de intervenção. Uma Bienal “em construção, com patamares de exigência que a colocam no mapa das bienais do mundo para transformar S.Tomé e Príncipe num entreposto cultural que consiga fazer o diálogo entre culturas e continentes”, diz João Carlos Silva, o seu director.

15.05.2010 | por Marta Lança