A noz de cola, um fruto simbólico

A noz de cola, um fruto simbólico Flor e fruto têm vidas dependentes. A flor é promessa, o fruto é concepção. A flor é receptáculo, o fruto é semente. A vida de um implica a morte do outro. Os dois fazem parte do singular processo de vida da natureza. O homem, como espectador e como actor, intervém, organiza, interpreta, inventa ordenações que tornam o mundo inteligível à sua medida. Projecta-se nesse universo misterioso e preenche-o de linguagens simbólicas. A flora não foge à regra; muito pelo contrário, faz parte desse nosso dia-a-dia de linguagens, gestos e sonhos. Para este estudo, elegemos não a flor, mas o fruto da coleira, a noz de cola, fruto muito expressivo nas sociedades da costa ocidental de África, de onde é originário.

A ler

20.01.2014 | por Maria do Rosário Pimentel

A economia moral da feitiçaria: um ensaio em história comparativa - I

A economia moral da feitiçaria: um ensaio em história comparativa - I Duscitir duas ideias bem estabelecidas na literatura académica: economia moral e feitiçaria. A primeira é uma pura abstração que pressupõe explicar a resposta ao capitalismo de várias comunidades, enquanto africanos na era do comércio de escravos e após, insistindo que considerações outras que não as do mercado devem governar e governam a produção e distribuição de bens materiais. A secção do meio deste ensaio irá rever criticamente o debate sobre economia moral para considerar o quão útil poderá ser para compreender a história africana.

A ler

19.06.2011 | por Ralph A. Austen