Call for Papers / The Museum Reader: what practices should 21th century Museums pursue, how and why?

An International Conference
09 – 10 Março de 2017
Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, Lisboa

A conferência internacional The Museum Reader, organizada pelo Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, tem por objectivo propor linhas temáticas e pontos notáveis para pensar, reflectir e debater novas realidades, práticas e condições de trabalho detectadas nos museus deste século XXI. Pretende-se analisar e sistematizar novos modos e paradigmas, tendências e diferentes práticas e formas de pensar o papel das instituições artísticas no contexto do actual panorama artístico.

Em foco estarão os seguintes temas:
· Os museus na passagem do século XX para o século XXI
· O museu e a concepção neoliberal de cultura
· As transformações paradigmáticas das instituições artísticas no contexto da actual ordem social, económica e política
· A crítica institucional enquanto investigação dos contornos e funcionamento das instituições de arte
· O museu como lugar de negociação e conflito
· O potencial das instituições e a nova esfera institucional: o novo Institucionalismo, a museologia radical, museologia crítica
· Crítica e experimentação nas instituições artísticas
· Práticas institucionais e não institucionais no museu
· Quais as exigências e desafios das práticas artísticas contemporâneas para os museus e instituições artísticas
· A futura identidade das instituições artísticas

Convidamos os interessados a enviar um resumo (não mais de 300 palavras), acompanhado de uma breve biografia (aprox. dois parágrafos) para os elementos do comité de organização, através do email themuseumreader2017@gmail.com,  até 13 de Janeiro de 2017. Os participantes serão notificados até ao fim de Janeiro e o programa da conferência será anunciado em meados de Fevereiro. As línguas da conferência são o inglês e o português.
Uma selecção das comunicações apresentadas na conferência serão publicadas num número especial da revista Wrong Wrong (wrongwrong.net, ISSN 2183-5527).
Para assuntos administrativos e questões práticas, por favor contactar Patrícia Melo (themuseumreader2017@gmail.com)
Mais informação aqui.

Comité de organização:
Sandra Vieira Jürgens [IHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa]
Emília Tavares [Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado]

Comité científico:
David Santos  [Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa]
Fernando José Pereira  [Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto]
Helena Barranha [Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa]
Idalina Conde  [ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa]
Joana Cunha Leal [IHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa]
Lúcia Matos [IHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa; Faculdade de Belas Artes da Universidade do
Porto]
Margarida Brito Alves [IHA, DHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa]
Maria João Gamito [Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa]
Nuno Crespo [IHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa]
Raquel Henriques da Silva  [IHA, DHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa]
Sandra Leandro [IHA, FCSH, Universidade NOVA de Lisboa; Universidade de Évora]

Organização:
Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado: www.museuartecontemporanea.pt
Instituto de História da Arte, FCSH/NOVA: www.iha.fcsh.unl.pt
Este evento é financiado por Fundos Nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito do projecto estratégico UID/PAM/00417/2013

30.11.2016 | por marianapinho | call for papers, Museu, Práticas artísticas, The Museum Reader

Exposição no Atelier‐Museu Júlio Pomar

Atelier-Museu Júlio Pomar inaugura, no dia 3 de Março, às 18h, a proposta curatorial que venceu a primeira edição do Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/ EGEAC 2015, « – já reparaste como o ponto de interrogação parece uma orelha, e como a interrogação se faz escuta? », com curadoria de Maria do Mar Fazenda.

O título da exposição toma de empréstimo uma pergunta que Júlio Pomar colocou a Helena Vaz da Silva, numa conversa realizada entre os dois, em 1979. Para Maria do Mar Fazenda, apesar da forma interrogativa, o título, mais do que uma resposta, procura um interlocutor.

Podendo as exposições surgir de uma interrogação, um dos pontos de partida para a curadora conceber esta proposta curatorial, especificamente desenhada para o Atelier-Museu Júlio Pomar, foi a pergunta: “O que acontece ao espaço se invertermos o seu nome?”

Um Atelier-Museu, na acepção mais usual, é um (antigo) atelier de artista transformado num museu - por norma, dedicado à sua obra. Num Museu-Atelier, trocando, agora, a ordem comum dos termos, é um museu que se torna atelier. Dito de outro modo, um espaço para pensar, fazer, questionar o próprio museu. A pergunta-título expressa, então, um “estado de espírito” para entrar neste museu-atelier, onde um conjunto de obras comentam, questionam e escutam a instituição museológica.

Com obras de:
Ana Pérez-Quiroga, Andrea Brandão, Ângelo Ferreira de Sousa, Catarina Botelho, Fernanda Fragateiro, João Pedro Cachopo, Jules Dupré, Lúcia Prancha e Sara Fernandes, Mafalda Santos, Mariana Silva, Miguel Loureiro, Pedro Nora, Ramiro Guerreiro, Rodrigo Oliveira, Sara & André.

E a participação de:
Ana Bigotte Vieira, Anísio Franco, António Guerreiro, Filipa Oliveira, Francisco Tropa, Joana Craveiro, João Mourão, João Paulo Serafim, João Ribas, Katherine Sirois, Luís Silva, Margarida Brito Alves, Maria do Carmo Sousa Lima, Nuno Crespo, Paulo Pires do Vale, Pedro Cabrita Reis, Penelope Curtis, Raquel Henriques da Silva, Ricardo Nicolau, Roberto Cremascoli, Tomás Maia, e outros…

Entrada Gratuita

Morada:

Rua do Vale N.º7

1200-472/Portugal

Terça a Domingo 10h//18h (Encerra Segunda)

01.03.2016 | por claudiar | arte contemporânea, exposição, Júlio Pomar, Maria do Mar Fazenda, Museu