Ciclo de Debates: interculturalidade, língua comum e política da língua

13 de maio 2019 | 18H30 NOVA FCSH | Auditório 1, Torre B Há uma política da língua para os novos desafios da cidadania?

Conversa  António Branco (Professor do Dep. de Informática, FC-UL), José António Pinto Ribeiro (Ministro da Cultura, no XVII Governo Constitucional), João Costa (Secretário de Estado da Educação, Professor da NOVA FCSH, investigador no CLUNL), Teresa Lino (Professora da NOVA FCSH, Investigadora no CLUNL) Moderação Carla Baptista (Jornalista, Professora da NOVA FCSH, investigadora no ICNOVA)

A Língua portuguesa é, tal como outras línguas europeias, uma língua falada em várias nações, nomeadamente do continente africano e, nessa medida, um dos elementos fundamentais do diálogo entre diferentes povos e culturas. A política da língua é, por isso, fundamental no relacionamento internacional dos países europeus, nomeadamente pela sua condição pós-colonial, sendo também cada vez mais importante para responder aos desafios da diversidade cultural e do multilinguismo no seu próprio espaço nacional, em virtude das novas migrações. O processo da globalização e as novas tecnologias da informação trazem ainda outras questões ao papel das línguas na construção das formas da sociabilidade e da cultura, hoje também moldadas pela linguagem digital. As línguas estão pois na confluência de transformações fundamentais das sociedades contemporâneas. Há uma política da língua para os novos desafios da cidadania: os desafios da interculturalidade, da coesão social e da comunicação digital?

Organização: NOVA FCSH (Lisboa) - ICNOVA (Instituto de comunicação) Apoio: Associação de Estudantes (AE FCSH),  Núcleo de Estudantes Africanos e Lusófonos

(NEAL-FCSH) e Núcleo de Estudantes Africanos (NEA-FCT) AFRICAN-EUROPEAN NARRATIVES

Um projeto da NOVA FCSH com o apoio do Programa Europa Para os Cidadãos. 

13.05.2019 | por martalanca | interculturalidade, língua

Conferência Internacional - Música e Mobilidade Humana

A Conferência Internacional Música e Mobilidade Humana insere-se na série de Conferências Redefining Community in Intercultural Context. Numa iniciativa de organização conjunta entre o Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA) e a Academia da Força Aérea Henri Coanda da Roménia, em Brasov, a ICMHM’16 promove perspectivas científicas e performativas diversas e realiza-se na FCSH/NOVA em Lisboa, no centro da cidade, entre 7 e 9 de Junho de 2016.


A ICMHM’16 propõe reflexões teóricas e aplicadas, exposição de boas práticas, críticas e propostas em educação artística, experiência intercultural e entendimento de cidadania; discussões e experiências sobre composição, produção e recepção musical; e interpretações várias de relacionamentos entre música e gestão cultural e educacional em três tópicos teóricos, não se limitando a eles, a partir de relações entre música e mobilidade humana.

Existirão também workshops em áreas performativas como música vocal, instrumental e dança / expressão corporal.

Para mais informações, ver aqui.

12.05.2016 | por claudiar | conferênciam música, interculturalidade

The End of the Western (Monika Gintersdorfer & Knut Klassen) + Breaking Performance no Teatro Maria Matos LISBOA

Em 2005, Monika Gintersdorfer e Knut Klassen desembarcaram na Costa do Marfim. Foi o início de uma sucessão de trocas artísticas entre a cena de teatro e dança europeia e a da África Ocidental. No entanto, o trabalho desta dupla de artistas germânicos afasta-se consideravelmente do de outros criadores europeus que trabalharam em África. Gintersdorfer & Klassen não procuram uma interculturalidade mutuamente inspiradora e politicamente correta. Eles enfatizam as diferenças entre brancos e pretos e estas constituem a força motora dos seus espetáculos. Em 2013, e pela primeira vez em Portugal, Monika Gintersdorfer e Knut Klassen ocupam o nosso Teatro e com os seus atores, bailarinos e mais alguns convidados trazem-nos teatro, dança, música e festa ao ritmo da capital costa-marfinense Abidjan.

teatro Monika Gintersdorfer & Knut Klassen 

sex 22 fevereiro 21h30
The End of the Western 
14€ / Com desconto 7€ | Bilhete duplo 19€ / Com desconto 9,50€ | M/16
Festa Couper Décaler Entrada livre
Em The End of the Western, um grupo de atores e bailarinos refletem sobre a história recente da Costa do Marfim. Durante vários meses, depois das eleições legislativas de 2010, dois presidentes reivindicaram a sua legitimidade enquanto Chefe do Estado eleito, arrastando o país num conflito sangrento. Monika Gintersdorfer e Knut Klassen centram o seu espetáculo na resolução deste western ― palavra que Laurent Gbagbo empregou para descrever o conflito com o seu arqui-inimigo Allasane Ouattara. Depois do espetáculo, animação musical com os artistas costa-marfinenes de Couper-Décaler Skelly, Shaggy Sharoof e Gadoukou la Star e DJ Abidjaninsky. Couper Décaler é uma das expressões mais importantes da música pop africana.

sáb 23 fevereiro 20h30

Breaking Performance
La Jet Set 

Concerto Couper Décaler meets Kuduro com Skelly, Shaggy Sharoof e Gadoukou la Star e o DJ Marfox

14€ / Com desconto 7€ | Bilhete duplo 19€ / Com desconto 9,50€ | M/16

Breaking Performance é um formato criado para responder aos acontecimentos da atualidade política com um desfasamento temporal mínimo. As notícias de última hora (breaking news) transmitidas pela televisão são confrontadas em cena pelos intérpretes e os seus pontos de vista. Esta Breaking Performance é dedicada ao processo do ex-presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, no Tribunal Internacional de Justiça de Haia. Em La Jet Set Douk Saga, Lino Versace, Boro Sanguy, Le Molare são estrelas de música e dança da Costa do Marfim. Na comunidade imigrante parisiense, são conhecidos como jet set. Combinam o glamour do seu vedetismo com a precariedade das condições de vida nos bairros sociais. Nos clubes noturnos da Cidade das Luzes, lançaram uma nova tendência: o Couper Décaler. Depois dos dois espetáculos a noite acaba em festa, com uma atuação conjunta dos músicos marfinenses Skelly, Shaggy Sharoof e Gadoukou la Star e o DJ Marfox, a nata do kuduro produzido em território nacional.

19.02.2013 | por martalanca | Costa do Marfim, interculturalidade