BES PHOTO 2011 em São Paulo

Kiluanji Kia Henda, Mauro Restiffe, Mário Macilau, Carlos Lobo, Manuela Marques inauguram dia 20 de Agosto na Estação Pinacoteca.

 

 

 

 

17.08.2011 | por martamestre | Bes Photo, fotografia, S. Paulo

Odisseia - intercâmbio

Odisseia ou, por outras palavras, “viagem sem destino”, é um projecto de intercâmbio fotográfico entre dois jovens fotógrafos, de duas nacionalidades diferentes pertencentes a dois continentes distintos, unidos pela sua História e pelos interesses em comum. Mário Macilau, fotógrafo de Moçambique, e Daniel Pilar, fotógrafo da Alemanha, unidos pela arte fotográfica e pelos interesses culturais nos quais os seus olhares se cruzam na necessidade de responder ao imaginário diário da Alemanha e de Moçambique, acreditando que a fotografia tem um ponto forte para educar e mostrar a realidade. Mais que simples imaginação, este projecto objectiva também o uso da fotografia como meio de expressão e comunicação mostrando uma outra face real através das imagens produzidas pelos autores através de exposição e publicações de catálogo.  

Mário MacilauMário MacilauDaniel PilarDaniel Pilar

17.06.2011 | por martalanca | fotografia, Mário Macilau

nova galeria BUALA

25.05.2011 | por franciscabagulho | fotografia, lisboa, Nuno Awouters

“Os Africanos em Portugal: História e Memória (séculos XV- XXI)

A exposição “Os Africanos em Portugal: História e Memória (séculos XV- XXI) inaugurada na passada 5ªfeira estará presente na Torre de Belém até dia 05 de Junho.
A autoria e coordenação é da Profª Isabel Castro Henriques, uma das mais proeminentes figuras da cena académica no que diz respeito aos Estudos Africanos em Portugal. O objectivo da exposição é retratar cronologicamente as relações dos africanos com Portugal desde a sua chegada aos dias de hoje.
O continente africano e os africanos ocupam um lugar central na problemática das relações de Portugal com outros homens, outras culturas e outros mundos ao longo da História, “pela longa duração dos contactos, pela natureza das formas relacionais, pela força da sua presença no imaginário português”, citando a autora. A presença de Africanos tem sido contínua até aos dias de hoje e difere por exemplo da presença dos romanos ou dos árabes que vinham para Portugal para cumprir objectivos pessoais. Os africanos vieram como escravos (duzentos e quarenta africanos desembarcaram no porto de Lisboa da primeira vez) e só depois da abolição da escravatura no séc. XVIII, pelo Marquês de Pombal, é que lentamente se foram integrando na sociedade portuguesa.


A exposição é apresentada em vários painéis compostos por textos e fotografias relativas aos sete temas:
1-      Africanos: Uma nova mercadoria (séc. XV- XVI)
2-      Bairro do Mocambo em Lisboa
3-      A Integração dos Africanos (séc. XVI- XIX)
4-      A desumanização dos Africanos
5-      Estratégias Africanas
6-      Permanências e Mudanças (séc. XVIII- XX)
7-      Novas Dinâmicas Africanas (Depois de 1974)
O interesse da UNESCO nesta exposição vem também na sequência da extraordinária e recente descoberta feita em Lagos.  A Camâra Municipal preparava-se para construir um parque de estacionamento quando teve que acabar com as obras de uma vez por todas pois foi encontrado um cemitério- ou que seria na altura a lixeira- com 155 esqueletos de homens, mulheres e crianças africanos escravos (muitos dos esqueletos ainda se encontram com as mãos atrás das costas como se pode ver em fotografia, na exposição).
Segundo a UNESCO, este cemitério é único na Europa  e provavelmente o mais antigo do mundo.  O Comité Português UNESCO “ A Rota do Escravo” assumiu a edição e o apoio da exposição.
Contou também com os apoios do ACIDI (Alto Comissariado para a Integração e Diálogo Intercultural),a Fundação Calouste Gulbenkian, a FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia), a Fundação Portugal Africa, o IPAD, e a UCCLA (União da Cidades Capitais de Língua Portuguesa).

10.05.2011 | por ritadamasio | africanos em portugal, arquelogia, colonização, dinamicas africanas, escravatura, fotografia, relações de portugal com africa

Figures & Fictions: CONTEMPORARY SOUTH AFRICAN PHOTOGRAPHY

Uma grande e actual exposição de fotografia de autores da África do Sul no Victoria & Albert Museum pode ser vista até 17 de Julho. É a primeira exposição sobre fotografia contemporânea sul-africana apresentada no Reino Unido neste século. Reúne cerca de 150 obras de 17 fotógrafos e tem contributos textuais dos mais importantes teóricos e especialistas da fotografia sul-africana como Tamar Garb e Federica Angelucci (presente no Próximo Futuro dia 12 de Maio no contexto do Workshop de Investigação “O Estado das Artes em África e na América do Sul”).

A exposição é apresentada como uma exposição de fotografia no contexto pós-apartheid, reunindo várias abordagens e estilos. Refere-se a presença de fotógrafos consagrados como David Goldblatt e Santu Mofokeng, bem como a nova geração representada por Zanele Muholi e a parceria Hasan & Husain Essop. Se há um traço comum a estes fotógrafos é o seu compromisso político assumido, quer seja através da fotografia documental, quer da explícita fotografia de arte.

Para todos aqueles que têm acompanhado as actividades do Fórum Cultural “O Estado do Mundo” ou o Programa Próximo Futuro são muitos os fotógrafos aqui representados que já foram expostos nestes dois Programas Gulbenkian.

Mais informações aqui e entrevistas com os fotógrafos no V&A Channel.

 

António P. Ribeiro no Próximo Futuro

05.05.2011 | por martalanca | fotografia

Exposição "Processo", de Jordi Burch na [Kgaleria] - LISBOA

“Há mulheres que passam por nós e deixam marca. Vai-se vivendo com isso, como se pode. Tudo se processa. As mulheres dão lugar a imagens e aos poucos vamos acreditando poder manipular o que ficou. Colocamos confissões na parede, desarmamo-nos. Aos poucos vamos conseguindo. Há coisas que não mudam mas ficamos um pouco mais próximo de saber quais são. É a vida. As imagens são um processo.”

Inauguração dia 5 de Maio, 5ª. feira, pelas 18h30, na [Kgaleria].

Jordi Burch no BUALA

29.04.2011 | por martalanca | fotografia, Jordi Burch, mulher

Carlos Guimarães e Paulino Damião partilham prémio de fotojornalismo

Os dois profissionais vão partilhar trinta e cinco mil dólares, valor atribuído a respectiva categoria. Paulino Damião é quadro do jornal de Angola e Carlos Guimarães freelancer. Noventa  profissionais de comunicação social de 13 províncias de Angola, das 18 existentes, concorreram ao Prémio Nacional de Jornalismo, que conta com quatro categorias:

Fotojornalismo, Imprensa, Rádio,e Televisão.

Cada finalista, em todas as categorias, tem direito a cinco mil dólares e um diploma.

Ao contrário das edições anteriores, o  júri decidiu divulgar os nomes dos candidatos no mesmo dia em que se realizar a gala de premiação, com transmissão da Televisão Pública de Angola.

Os candidatos ao prémio, nas quatro categorias, concorrem com reportagens, crónicas, fotografias, entrevistas, artigos e outros géneros jornalísticos.

O Prémio Nacional de Jornalismo é promovido pelo Ministério da Comunicação Social como forma de incentivar, distinguir a criatividade, valorizar a profissão de jornalista e valorizar e reconhecer o trabalho da classe jornalística.

Continuar a ler "Carlos Guimarães e Paulino Damião partilham prémio de fotojornalismo "

06.04.2011 | por martalanca | fotografia, jornalismo

Photo by MARIO MACILAU

MARIO MACILAU is a finalist of KL PHOTO AWARD CONTEMPORARY PORTRAT PHOTOGRAPHY

Please vote his photo if you like it
MARIO MACILAU é finalista de KL PHOTO AWARD  PORTRAIT DE FOTOGRAFIA CONTEMPORANEA. Por favor vote na sua fotografia se gostar e se achar que merece
 

05.04.2011 | por martalanca | fotografia, Mário Macilau

fotografias de Paulo Catrica num seminário de arquitectura

na Universidade Lusófona (Campo Grande), segunda feira, dia 4 às 18h

03.04.2011 | por martalanca | fotografia, Paulo Catrica

Novo trabalho de Mário Macilau no Bangladesh, finalista da PHODAR BIENNIAL

30.03.2011 | por martalanca | fotografia, Mário Macilau

Não aconteceu nada - fotografia de Nuno Awouters - LISBOA

23.03.2011 | por martalanca | fotografia

Cinco finalistas do BESPhoto são de Portugal, Angola, Moçambique e Brasil

Cinco candidatos seleccionados de quatro países lusófonos representados: Portugal, Brasil, Angola e Moçambique. Assim determinou o júri do Prémio BESPhoto 2011, na primeira edição aberta aos artistas de expressão portuguesa no Brasil e Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) desde que o prémio foi lançado em 2004.

Esta sétima edição adquire estatuto internacional também pela itinerância. Os cinco escolhidos vão apresentar, pela primeira vez, o seu trabalho na Pinacoteca de São Paulo (em Julho e Agosto de 2011) depois da habitual exposição no Museu Colecção Berardo em Lisboa, entre 14 de Março e 13 de Junho. Depois das mostras, será anunciado o vencedor. O prémio terá um valor pecuniário (40 mil euros) superior ao habitual. 
Ao angolano Kiluanje Kia Henda (Luanda, 1979), escolhido pelo “trabalho desenvolvido em torno da sua experiência da história recente de Angola”, juntam-se os portugueses Carlos Lobo (Guimarães, 1974) de quem o júri realça “a precisão da sua abordagem à fotografia da paisagem urbana” e Manuela Marques, notada pela “sua poética da intimidade expressa em diversos projectos”. 
Mas integram também o grupo final o moçambicano Mário Macilau (Maputo, 1984), do qual o júri refere “a qualidade da sua representação do panorama social e cultural de Moçambique” e o brasileiro Mauro Restiffe (São José do Rio Pardo, 1970), escolhido pelo “uso que faz da tradição da história da fotografia na tomada de paisagens contemporâneas”. 
O júri é composto pelo curador, crítico de arte e professor Delfim Sardo, por Portugal, Bisi Silva, a curadora e fundadora-directora do Centro de Arte Contemporânea de Lagos, na Nigéria, por África, e pelo Brasil o curador e crítico de arte Ivo Mesquita. A selecção dos candidatos foi feita a partir de exposições e edições realizadas em suporte fotográfico no último ano. 

Ana Dias Cordeiro, Público

25.02.2011 | por martalanca | Bes Photo, fotografia, kiluanji kia henda

Encontros de fotografia de Bamako

BAMAKO ENCOUNTERS, AFRICAN PHOTOGRAPHY BIENNIAL
BAMAKO – 5 NOVEMBER – 5 DECEMBER 2011 –9th Edition

Michket Krifa and Laura Serani, Artistic Directors

Samuel Sidibé, Executive Officer.


CALL FOR APPLICATIONS here

for the selection of artists at the Pan-African exhibition

10.02.2011 | por martalanca | encontros de fotografia de Bamako, fotografia

Mecanismo da troca

Mecanismo da troca é um livro com fotografias, colagens e apontamentos, inventados ou revisitados por Inês d’Orey, e cruzados com a escrita de Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral e Raquel Freire. 
Coordenação de Maria Burmester. Texto de introdução de José Luís Tavares. 

ISBN: 978-989-20-1903-1Disponível para venda na Blurb: [edição softcover] ou [edição hardcover].  

Mecanismo da troca [Swop mechanism] is a book with photographs, collages and notes, invented or revisited by Inês d’Orey, and intersected with the writing of Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral and Raquel Freire. 
Coordination by Maria Burmester. Introduction text by José Luís Tavares. 
Texts in portuguese. 
ISBN: 978-989-20-1903-1Available for sale at Blurb: [softcover edition] or [hardcover edition].

Mecanismo da troca Compêndio de derivas, tormentos e algumas alegrias breves

O Mecanismo da troca é um livro com fotografias, colagens e apontamentos, inventados ou revisitados por Inês d’Orey, e cruzados com a escrita de Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral e Raquel Freire. Soundtrack é um projecto de Inês d’Orey que explora as representações, símbolos e espaços da morte. Consta de uma série de fotografias em grande formato em que o olhar determinantemente subjectivo da autora permeia pelos conceitos e ideias que a fé, a religião e a cultura envolvente impõem sobre a temática. Cada fotografia é acompanhada de som, ou música ou texto falado, especialmente concebido para cada fotografia por um número de criadores de sons convidados. Foi a partir da experiência de Soundtrack que se inventou o Mecanismo da troca. Em Green cross, uma das fotografias do conjunto, uma fortíssima cruz em alto relevo impõe-se a uma parede de betão fria, humedecida, esverdeada e tensa. Esta fotografia foi fornecida a um conjunto de jovens autores portugueses, sem mais qualquer explicação do que a do desafio de criar um corpo escrito que nela tivesse origem. Não se impôs qualquer direcção ou limite à escrita. Deixou-se que simplesmente acontecesse. Posteriormente, os textos foram postos na mão da fotógrafa, para serem cruzados, sobrepostos e entrelaçados com novas interpretações, divagações, comentários, sensações, riscos, traçados e apontamentos imagéticos. Desde a fotografia ao desenho, desde o brilho à sujidade, desde a luminosidade à escuridão, desde o muito ao pouco, desde o mito ao louco, desde o sim ao não. O resultado é este livro: uma amálgama entrópica de imagens, ditos e coisas, que se oferece para ser desfrutado, tanto de forma séria ou racional, como de forma sensorial ou sensacional. Este é o Mecanismo da troca, compêndio de derivas, tormentos e algumas alegrias breves.

José Luís Tavares 

23.12.2010 | por martalanca | fotografia, literatura

África é tema de duas exposições fotográficas em São Paulo

Cerca de 40 fotografias produzidas pelo coletivo Tás a Ver? revelam uma imagem plural e urbana da África, sobretudo de países lusófonos, como Angola e Moçambique. As fotos podem ser vistas na galeria Matilha Cultural, em São Paulo, de 16 a 27/11. Veja galeria de imagens clicando aqui

Já o ensaio fotográfico de Ricardo Teles registra em cerca de 30 imagens, captadas entre 2005 e 2010 e reunidas na exposição “O Lado de Lá” (Pinacoteca do Estado de São Paulo, de 20/11 a 9/1), o cotidiano de regiões africanas de onde partiram populações negras para o Brasil: Angola, República Democrática do Congo (antigo Zaire) e Benin. Veja galeria de imagens clicando aqui

de Ricardo Teles de Ricardo Teles

14.11.2010 | por martalanca | África-Brasil, fotografia

Exposição fotográfica tás a ver? convida a uma viagem pela África

Galeria Matilha Cultural, em S.Paulo, recebe mostra idealizada pelo coletivo multimídia tás a ver?

Qual a primeira coisa que vem à sua cabeça quando se fala em África?

A exposição tás a ver?, que será inaugurada no dia 16/11 na Galeria Matilha Cultural, traz fotografias do continente africano que vão além dos estereótipos comumente associados à África, revelando também seu lado urbano e contemporâneo. “A ideia é abrir um espaço para uma nova imaginação sobre a África atual”, diz Juliana Borges, uma dos sete integrantes do coletivo.

As fotografias são recortes de realidades distintas e contrastantes captadas pelas lentes de sete profissionais integrantes do coletivo multimídia tás a ver?, que viveram e viajaram por mais de 18 diferentes países africanos. “Uma grande curiosidade e paixão pelo continente africano nos une e, nesta exposição, queremos dividir o que vimos e sentimos: uma África contemporânea, atual, vibrante, que mistura o tradicional e o moderno”, diz Roberta Lotti, jornalista e integrante do coletivo. A curadoria do material é assinada pelos cenógrafos Pedro Vieira e Claudia Afonso, especialistas em montagens de exposições.

Continuar a ler "Exposição fotográfica tás a ver? convida a uma viagem pela África"

08.11.2010 | por martalanca | fotografia, Tás a Ver

Da outra margem do Atlântico - alguns exemplos da videoarte e da fotografia portuguesa

Centro de Artes Helio Oiticica, no Rio de Janeiro, apresenta a mostra Da outra margem do Atlântico - alguns exemplos da videoarte e da fotografia portuguesa. Ocupando as galerias do térreo e do 1º piso do centro cultural carioca, a colectiva traz obras de Adelina Lopes, Alexandre Estrela, André Cepeda, André Gomes, Ângela Ferreira, Carlos Noronha Feio, Catarina Campino, Daniel Blaufuks, Daniel Malhão, Duarte Amaral Neto, Duarte Belo, Edgar Martins, Eurico Lino Vale, Filipa Cesar, Joana Pimentel, João Leonardo, João Maria Gusmão & Pedro Paiva, João Onofre, João Paulo Serafim, João Pedro Vale, João Serra, João Tabarra, José Carlos Teixeira, Luís Palma, Manuela Marques, Mariana Viegas, Miguel Soares, Noé Sendas, Nuno Cera, Paulo Catrica, Pedro Diniz Reis, Rita Magalhaes, Rui Calçada Bastos, Rui Toscano, Samuel Rama e Vasco Araújo.

O curador desta exposição é o brasileiro Paulo Reis, que vive em Lisboa e é um dos responsáveis do Carpe Diem - Arte e Pesquisa 

07.11.2010 | por martalanca | Atlântico, fotografia

MOSTRA FOTOGRAFIAS VENCEDORAS E ENTREGA DE PRÉMIOS DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA SOBRE OS EDIFÍCIOS PANCHO GUEDES

Convido V. Exa para o cocktail que terá lugar no Consulado Geral de Portugal (Av. Mao Tsé Tung, 519), na terça feira, 17 de Agosto, às 18 horas, por ocasião da mostra das fotografias vencedoras e entrega de prémios aos concorrentes ao concurso de fotografia sobre Edifícios do Arquitecto Pancho Guedes.

O Arquitecto Pancho Guedes projectou de cerca de 300-400 edifícios construídos em Moçambique nas décadas de 50, 60 e 70 do século XX, sendo considerado um arquitecto com relevo a nível internacional.

Os prémios* deste concurso de fotografia são atribuídos em 8 categorias, com base nos edifícios listados no desdobrável “112 Edifícios de Pancho Guedes em Maputo” (1º prémio para a melhor fotografia, 2º prémio, melhor conjunto de fotografias, melhor fotografia de um edifício dos anos 50, melhor fotografia de um edifício dos anos 60, melhor fotografia de um edifício dos anos 70, melhor fotografia de detalhe, prémio especial para jovens).

As fotografias premiadas estarão expostas e estará disponível o folheto desdobrável “112 edifícios de Pancho Guedes em Maputo”

 

* os prémios são patrocinados pela Imovisa, ProData e BCI

 

Graça Gonçalves Pereira

Cônsul Geral

 

11.08.2010 | por martalanca | fotografia, Pancho Guedes

Prémio BES Photo abre-se aos artistas no Brasil e em África

À sétima edição, o Prémio BES Photo abre-se aos artistas de expressão portuguesa também no Brasil e em África. Para este salto no sentido da internacionalização, ao Banco Espírito Santo (BES) e ao Museu Colecção Berardo, que lançaram a iniciativa em 2004, associa-se agora a Pinacoteca de São Paulo, instituição que acolherá já a exposição relativa ao prémio do próximo ano, entre Julho e Agosto, após a sua realização no Museu Berardo, em Lisboa (Março a Junho). O prémio terá também um aumento no seu valor de 25 mil para 40 mil euros.

 

Fonte Público online

09.08.2010 | por franciscabagulho | Bes Photo, fotografia

praia maria

Oji e sestinha i apesar di cidadi sta ressakadu di noti di onti ma sima ta fldau “dispos di sabura morti e ka nada” nhos tcheka fin di semana ki sta ta prometi…


03.06 Quinta-Feira

Cinema @ Auditório do Instituto Camões 18h

Pare, Escute e Olhe de Jorge Pelicano 

04.06 Sexta-Feira

Ler @ Salão Nobre da Câmara Municipal da Praia 18h

Lançamento do livro Escritos Sobre Teatro de Kwame kondé

 

Ver @ I-Gallery - Livraria Nhô Eugênio 18h30

Inauguração da Expo In Cabo Verde de Pedro Moita

 

 

Ouvir @ Auditório do BCA 21h30

Carlos Modesto

 

05.06 Sábado

Ouvir @ Quintal da Música 21h30

Mamadou Sulabanku & Banda 

https://myspace.com/mamadouysulabanku

 

06.06 Domingo

Ouvir & Dançar @ Palácio da Cultura Ildo Lobo 19h

Mo’Kalamity & The Wizards 

03.06.2010 | por samirapereira | agenda, cabo verde, fotografia, literatura, música, praia, teatro