Marta Rema

Torres Novas (1976). Licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e pós-graduada em Estudos Curatoriais pela Faculdade de Belas-Artes, da mesma instituição. Venceu a terceira edição do prémio de curadoria Atelier-Museu Júlio Pomar, e da sua formação fazem parte seminários sobre arte contemporânea, curadoria e comunicação. Foi produtora e responsável pela comunicação nas associações Artéria - Humanizing Architecture, Artes e Engenhos, Máquina Agradável e AADK Portugal, além de ter coordenado a divulgação e chefiado a produção, na produtora Terratreme Filmes, de dois filmes de Susana Nobre (2014). Assumiu a direção de comunicação e a coordenação do projeto educativo das duas primeiras edições do festival de artes performativas Materiais Diversos (2009-10). Tradutora de francês desde 1998, inventariou e catalogou o acervo documental e bibliográfico do espólio de Agostinho da Silva (1997). Mantém o blogue Fogos Locais, desde dezembro de 2010, escreveu e publicou sobre a obra de artistas como Sandro Resende, Sara Lamúrias, Rui Pedro Jorge e o pintor Urbano, escreveu para a revista V-Ludo e no Jornal TorrejanoEntre os projetos em que participou ou promoveu encontram-se três exposições de designers portugueses no “Round the Corner” (2012), “Drifting/Em Deriva”, de António Pedro Lopes e Gustavo Ciríaco (Negócio 2012), com Sofia Borges, a vídeo-performance “Bardo” (Demimonde 2012), “Jacarandá”, com Jonas Lopes (Teatro do Bairro, 2013), e, a solo, “Arlequina” (Demimonde, 2013). Publicou a peça de teatro “Como um quarto sem telhado”, na Coleção de Textos de Teatro, do Nacional D. Maria II, que foi apresentada no âmbito do festival “Leituras Encenadas”, em 2016.

    

Artigos do autor