O negro na telenovela, um caso exemplar da decadência do mito da democracia racial brasileira

O negro na telenovela, um caso exemplar da decadência do mito da democracia racial brasileira Examinar a representação dos atores negros em quase 50 anos de história da telenovela brasileira, principal indústria audiovisual e dramatúrgica do país, é trazer à tona a decadência do mito da democracia racial, sujando assim uma bela mas falsa imagem que o Brasil sempre buscou difundir de si mesmo, fazendo crer que a partir de nossa condição de nação mestiça, superamos o “problema racial” e somos um modelo de integração para o mundo.

07.06.2010 | por Joel Zito Araújo

O poder destrói o sonho? sobre "Behind the Rainbow" de Jihan El Tahri

O poder destrói o sonho? sobre "Behind the Rainbow" de Jihan El Tahri O que edifica este folhetim político com uma pujante actualidade é ver como a cultura de solidariedade entre os membros do ANC durante os anos de luta se transformou em corrupção quando acederam ao poder de gerir o dinheiro. E como a questão do poder se torna o veículo para privilégios mais do que uma luta contra a pobreza, objectivo primordial do ANC. Este olhar sem condescendência é assim simultaneamente apaixonante e necessário para enfrentar a História contemporânea e deixarmo-nos de mistificações.

06.06.2010 | por Olivier Barlet

África tem nome de mulher

África tem nome de mulher “Nossos Lugares Proibidos”, documentário de Leila Kilani, regressa à repressão política em Marrocos do tempo de Hassan II. Três gerações de marroquinos evocam uma história completamente humana, feita de laxismo e de heroísmo face ao terror político. Apesar da serenidade, todos os intervenientes formam um quadro actual de Marrocos – continuam assombrados pelos seus "enterrados vivos" da prisão de Tazmamart e por tantos gritos de desespero que poucos ousaram sequer ouvir.

06.06.2010 | por Boubacar Boris Diop

"Família Alcântara" – a saga de uma produção cinematográfica

"Família Alcântara" – a saga de uma produção cinematográfica Comecei a sofrer com a falta do ensino da história da África e dos afro-descendentes na faculdade. Já trabalhava como assistente de produção cinematográfica e, se desde criança me incomodava muito a (ausência da) representação dos negros nos meios de comunicação brasileiros, como produtora isso passou a me incomodar muito mais. Para sair daquela letargia, senti que tinha que perseguir o sonho de realizar meus próprios filmes. Mas... por onde começar?

17.05.2010 | por Lilian Solá Santiago

“Catembe” ou queixa da alma jovem censurada

“Catembe” ou queixa da alma jovem censurada Filmado em 1965, “Catembe”, é um documentário de ficção realizado por Manuel Faria de Almeida sobre o quotidiano de Lourenço Marques. O transgressor da obra foi ter sido a primeira interpretação crítica da realidade colonial portuguesa. Após a censura da obra original – com 103 cortes e destruição da parte censurada - a segunda versão foi proibida. Dos seus 2400 metros originais restou metade pelo que figurou no Guinness Book of Records como o filme alvo de mais cortes por parte da censura na história do cinema.

16.05.2010 | por Maria do Carmo Piçarra

O impacto das indústrias cinematográficas de Gana e Nigéria nas agendas políticas africanas

O impacto das indústrias cinematográficas de Gana e Nigéria nas agendas políticas africanas Alguns países de África começaram a reconhecer o potencial do setor cultural para a diminuição da pobreza e criação de empregos, e envolveram governos visando apoio a estes setores. Na Conferência Ministerial que ocorreu em Moçambique, em 2000 - sobre o papel e lugar da cultura na agenda de integração regional - os estados membro concordaram em “tomar passos decisivos em direção à promoção das indústrias culturais como forma de explorar sua potencialidade no sentido de diminuição da pobreza, geração de empregos e contribuição ao crescimento econômico”. Nollywood, por exemplo, dá trabalho direta ou indiretamente a 2 milhões de pessoas.

15.05.2010 | por Alessandra Meleiro

O cinema-subúrbio de Dakar: jovens criam um cine-clube em Pikine

O cinema-subúrbio de Dakar: jovens criam um cine-clube em Pikine No início dos nos 50 a cidade de Dakar fica sobrepovoada. O Estado colonial decide deslocar as famílias dos bairros populares de Dakar: trata-se de verdadeiros "despejos" enquadrados nos projectos de planeamento urbano. Cria-se o Departamento de Pikine que reagrupa "todos os excluídos de Dakar". Conta-se hoje em dia perto de um milhão de habitantes: fala-se de "Pikine-Pequim".

12.04.2010 | por Rosa Spaliviero