Conspiração, vamos ler Liberdade I LISBOA

O pintor Júlio Pomar e o humorista Ricardo Araújo Pereira e serão duas das personalidades que na segunda-feira, às 18h, estarão no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz, em Lisboa, para uma leitura pública de “Da Ditadura à Democracia” – o livro que a 20 de Junho levou à prisão dos “15 de Luanda”.   

A leitura foi agendada para o dia em que, em Angola, começa julgamento dos jovens a quem mostra solidariedade. É também um gesto de repúdio pela atitude repressiva do regime angolano, apelando à liberdade de expressão e pensamento.

O evento assume como título a acusão feita aos jovens pelo regime angolano: “Conspiração”. Acontece no mesmo dia em mais de 15 cidades internacionais, entre as quais Nova Iorque, Los Angeles, Buenos Aires, Londres, Berlim, Paris, Macau, Hong Kong e Tóquio.

Gisela João (fadista), António Pinto Ribeiro (ensaísta e programador cultural), Miguel Soares (cientista), João Botelho (realizador), Inês Oliveira (realizadora), Cucha Carvalheiro (actriz), Manuel Wiborg (actor), Vera Kolodzig (actriz), Filipe Vargas (actor), Rita Brütt (actriz), Jorge Andrade (actor), Joana Seixas (actriz), Pedro Lacerda (actor), Fernando Luiz Sampaio (poeta), Inês Pereira (actriz) e Ricardo Araújo Pereira (humorista) lerão excertos de “Da Ditadura à Democracia”.

Internacionalmente, a acção será assegurada pelos artistas Fatimah White (Nova Iorque), Beau Baco (Nova Jérsia), Chris Danowski (Phoenix), Hani Moustafa (Chicago), Andrea Spaziani (Toronto), Anthony Baggette (Berlim), Ray Granlund (Londres), Honi Ryan (Veneza), Abi Tariq (Paris), Amy Konigbauer (Montpelier), Laura Gonzalez (Glasgow), Nicola Carter (Nottingham), Analia Sirabonian (Buenos Aires), Alejandro Fargosonini (Tóquio), Marta Ferreira (Macau) e José Drummond (Hong Kong).

Em Portugal será lida a tradução em curso pela Tinta da China.

No mundo livre não há leituras proibidas e a ideia de conspiração tornou-se obsoleta. Chama-se liberdade de expressão e pensamento. Deve ser exercida e celebrada todos os dias, em nosso nome e em nome de todos os que lutam ainda por ela.  

Depois dos acontecimentos de sexta-feira em Paris, compete à organização deste projecto dizer o seguinte: “Conspiração” foi concebido como evento de apoio aos presos políticos do regime angolano cujo julgamento começa hoje em Luanda. E mantém-se como tal. No entanto, a sua questão de base sempre foi a luta pela liberdade. Entendemos os atentados de Paris como um ataque da ditadura do terror contra a liberdade. Assim, este evento solidariza-se naturalmente com todas as vítimas de Paris. Ao evocar Angola evocamos todas as vítimas de todas as formas de opressão. Aconteceu apenas que nos juntámos primeiro por Henrique Luaty Beirão, Domingos da Cruz, Afonso Matias “Mbanza Hamza”, José Gomes Hata, Hitler Jessia Chiconda “Samussuku”, Inocêncio Brito, Sedrick de Carvalho, Fernando Tomás Nicola, Nelson Dibango, Arante Kivuvu, Nuno Álvaro Dala, Benedito Jeremias, Osvaldo Caholo, Manuel Baptista Chivonde “Nito Alves”, Albano Evaristo Bingobingo, Laurinda Gouveia, Rosa Conde e José Marcos Mavungo.

Para mais informação contactar Vanessa Rato: 962396074

Para contactos internacionais José Drummond: 00 853 62024018

 

 

 

15.11.2015 | par martalanca | conspiração, leituras, Liberdade de expressão, presos políticos

Concerto MCK + Bonga no Music Box I LISBOA

 

“Bonga é mais do que um nome. Bonga é um marco no mapa da identidade e da geografia afectiva de quase todos os angolanos. As canções de Bonga acompanham a História de Angola ao longo dos últimos cinquenta anos, da luta pela independência ao desespero dos anos da guerra, e à desilusão pelo muito que ficou por alcançar. O rapper MCK, por outro lado, representa a voz nova de um país ainda à procura de si próprio. O encontro entre Bonga e MCK constitui um momento histórico dentro de um outro momento histórico. É o encontro de dois rios, unidos na formação de uma nova música angolana, de um tempo novo, de uma outra consciência. A esse mar onde estes rios desaguam podemos chamar Esperança.”

Agualusa

 

MCKMCK

Dia 1 Setembro - Music Box - 22.30Bilhetes à venda nos lugares habituais.
+ info aqui. 

 

25.08.2015 | par martalanca | Bonga, liberdade já, Mck, presos políticos

Liberdade para os presos políticos angolanos JÁ!

20.07.2015 | par martalanca | angola, Liberdade de expressão, presos políticos

"48", de Susana de Sousa Dias

na Cinemateca Portuguesa, 29 de Março, 21h30

Argumento, realização e montagem Susana de Sousa Dias

Imagem Octávio Espírito Santo

Design Sonoro António de Sousa Dias

Som Armanda Carvalho

Som Adicional Paulo Cerveira e Valente Dimande

Direcção de pós-produção Helena Alves

Mistura de som Tiago Matos

Correcção de cor Paulo Inês

Produção Kintop | Ansgar Schäfer 

Com o apoio de MC / ICA e RTP

Vendas internacionais Kintop

Distribuição em Portugal Alambique

24.03.2011 | par martalanca | 48, fascismo, presos políticos