Concerto de Angélique Kidjo | Eve

“A sua abordagem da escrita musical segue a tradição africana: ela canta com a consciência de uma comunidade. E fá-lo seguindo os conselhos de família. Uma das primeiras músicas que escreveu denunciava o apartheid na África do Sul e o seu pai insistiu que ela rescrevesse a música sem ódio nem raiva, afirmando que o papel do artista não é provocar a violência, mas sim promover a paz”. New York Times

“Em 2015, Angélique Kidjo já tinha ganho [um Grammy na categoria de Melhor Álbum de World Music] pelo álbum Eve, uma homenagem às mulheres de África. Este ano [2016], foi ao som de “I feel good” de James Brown que a artista recebeu de novo o galardão pelo álbum Sings. “A África está em marcha, está positiva. Vamos juntar-nos e recusar o ódio e a violência graças à música. A música é para mim, antes de mais, a única forma de arte que liga o mundo inteiro”, afirmou Kidjo pensando nos jovens artistas africanos que não cessam de emergir.” Le Monde


Angélique Kidjo Voz
Dominic James Guitarra elétrica
Ben Zwerin Baixo elétrico
Magatte Sow Percussões africanas
Yayo Serka Mimica Bateri

“Eve é dedicado às mulheres de África, à sua resistência e à sua beleza…Estas mulheres têm tão poucos bens materiais e, no entanto, o seu sorriso faz desaparecer qualquer tipo de pena. Enquanto formos fortes, avançaremos com dignidade.”
A cantora, compositora e Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF Angélique Kidjo é uma das artistas mais arrebatadoras no mundo da world music de hoje.
Nomeada quatro vezes para os Grammys, recebeu o prémio Melhor Disco do Ano da World Music pelos álbuns Djin Djin em 2008, Eve em 2015 e Sings em 2016, distinções que salientam a excecionalidade da sua música, que explora as relações entre culturas musicais diversas, dos ritmos tribais e pop que herdou do oeste africano a todas as contaminações com outros géneros como o funk, a salsa, o jazz, a rumba e muitos outros. “A música é para mim, antes de mais, a única forma de arte que liga o mundo inteiro”, afirma Kidjo.
A “primeira diva de África”, segundo a Time Magazine, ou ainda a “rainha incontestada da música africana”, como a descreve o Daily Telegraph, apresenta em Lisboa, a 1 de dezembro, o álbum Eve, uma homenagem à sua mãe, Yvonne, e a todas as mulheres africanas. Neste álbum, a música “Bomba” explora a questão do orgulho que as mulheres africanas têm nas suas roupas tradicionais, “Kulumbu” sugere que a opinião das mulheres deve ser tida em conta nas negociações de paz, já que são elas que mais sofrem durante a guerra; “Cauri” denuncia o casamento forçado, com uma jovem que lamenta o facto dos pais terem determinado o seu par, e em contraste, “Hello” aborda a felicidade de um casal apaixonado.
O álbum Eve foi lançado em 2014 pela editora 429 Records e subiu para o topo das tabelas de world music nos E.U.A., Reino Unido, França e Alemanha.

BILHETEIRA
Fundação Calouste Gulbenkian

Av. Berna 45-A. 1067-001 Lisboa | Tel. 21 782 3700
De 2ª a 6ª feira e feriados: das 10:00 às 19:00h (Exceto nos dias 25 dezembro, 1 janeiro e 1 maio)
Sábado: das 10:00 às 17:30h e das 10:00 às 19:00h nos dias dos concertos.
Domingo: das 13:00 às 19:00h nos dias dos concertos.
Preço do bilhete: € 30 Bilheteira Online

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Nadia Sales Grade
Tml 96 640 4444 | ngrade@gulbenkian.pt

11.11.2016 | by marianapinho | Angélique Kidjo, Eve, mulheres de África, world music

Festival Músicas do Mundo, Sines (FMM) - 2013

Em 2013, o FMM Sines mostra vários artistas e vertentes da música do Mali, com a presença de Amadou & Mariam, Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba, Rokia Traoré e Tamikrest. Mas há também uma marca luso-maliana no festival: IMIDIWAN, projeto lisboeta de mistura da música do Mali com a eletrónica. Dia 25 de julho.
In 2013, FMM Sines features many artists and sides of Malian music, with the presence of Amadou & Mariam, Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba, Rokia Traoré and Tamikrest. But there is also a Malian-Portuguese mark in the festival: IMIDIWAN, the Lisbon-based project that blends Malian music with electronica. On July 25.

ANÚNCIO DO PROGRAMA COMPLETO DE CONCERTOS
Com 43 espetáculos entre 18 e 27 de julho, será o maior programa de música da história do festival, para comemorar o seu 15.º aniversário. De Hermeto Pascoal a Rokia Traoré, de Trilok Gurtu a Femi Kuti, Sines volta a convidar o público para ver ao vivo os melhores artistas do mundo e para ouvir a música que exprime o sentir dos povos e a diversidade da voz humana. Na organização e logística, destaque para a descida do preço dos bilhetes e para o regresso do palco da praia à Avenida Vasco da Gama.
:: Quinta, 18 de julho 
18h30 [C] Custódio Castelo (Portugal) *
21h30 [C] Bassekou Kouyaté & Ngoni Ba (Mali) 
23h00 [C] Hazmat Modine (EUA) 
00h30 [C] Amadou & Mariam (Mali)
02h00 [C] Cabruêra (Brasil)

:: Sexta, 19 de julho 
18h30 [C] Celina da Piedade (Portugal) *
21h30 [C] Barbez (EUA)
23h00 [C] Lo’Jo (França)
00h30 [C] Baloji (R. Congo / Bélgica)
02h00 [C] Dubioza Kolektiv (Bósnia-Herzegovina)

:: Sábado, 20 de julho 
18h30 [C] Reijseger Fraanje Sylla (Holanda / Senegal) *
21h30 [C] JP Simões (Portugal)
23h00 [C] DakhaBrakha (Ucrânia)
00h30 [C] Hermeto Pascoal (Brasil)
02h00 [C] Batida (Portugal / Angola)

:: Segunda, 22 de julho
22h00 [A] Jon Luz (Cabo Verde)
23h00 [A] Mari Kvien Brunvoll (Noruega)

:: Terça, 23 de julho
22h00 [A] Sílvia Pérez Cruz (Catalunha - Espanha)
23h00 [A] Aline Frazão (Angola / Portugal)

:: Quarta, 24 de julho
18h30 [C] Orquestra Locomotiva de Sines (Portugal) *
20h00 [P] MU (Portugal) *
21h45 [C] Tcheka (Cabo Verde)
23h15 [C] Hassan El Gadiri & Trance Mission (Marrocos / Bélgica / Portugal)
00h45 [C] Nathalie Natiembé (Ilha Reunião - França)
02h45 [P] O Carro de Fogo de Sei Miguel (Portugal) *

:: Quinta, 25 de julho
18h30 [C] Carlos Bica “Azul”, com Frank Möbus e Jim Black (Portugal / EUA) *
20h00 [P] Imidiwan (Portugal / Mali) *
21h45 [C] Extremadura Territorio Flamenco (Extremadura - Espanha)
23h15 [C] Asif Ali Khan & Party (Paquistão)
00h45 [C] Rokia Traoré (Mali)
02h45 [P] Ondatrópica (Colômbia) *

:: Sexta, 26 de julho
18h30 [C] Gaiteiros de Lisboa (Portugal) *
20h00 [P] Winston McAnuff & Fixi (Jamaica / França) *
21h45 [C] Trilok Gurtu & Tigran Hamasyan (Índia / Arménia) 
23h15 [C] Rachid Taha (Argélia / França)
00h45 [C] Shibusa Shirazu Orchestra (Japão)
02h45 [P] Bomba Estéreo (Colômbia) *

:: Sábado, 27 de julho
18h30 [C] Cristina Branco (Portugal) *
20h00 [P] Dawanggang (China) *
21h45 [C] Tamikrest (Povo Tuaregue - Mali)
23h15 [C] Akua Naru (EUA / Alemanha) 
00h45 [C] Femi Kuti & The Positive Force (Nigéria)
02h45 [P] Skip & Die (África do Sul / Holanda) *

[C] Castelo
[A] Centro de Artes de Sines
[P] Avenida da Praia (ou Vasco da Gama)

(*) Concerto de entrada livre

05.06.2013 | by martalanca | Festival Músicas do Mundo, world music

Aline Frazão edita "Movimento" a 20 de Maio

Depois de “Clave Bantu“ (2011) chega “Movimento”, segundo disco de Aline Frazão, lançado em Portugal pela PontoZurca e com edição no resto da europa da Coast to Coast.

Para além dos temas da sua autoria, “Movimento” conta com uma parceria inédita com o poeta e letrista angolano Carlos Ferreira “Cassé” e com o poema de Alda Lara musicado por Aline.

A acompanhar a cantora e compositora angolana estão Marco Pombinho (piano e rhodes), Francesco Valente (baixo e contrabaixo) e Marco Alves (bateria e percussão). O álbum, com produção da própria, conta ainda com a participação dos músicos cabo-verdianos Miroca Paris (percussão) e Vaiss Dias (cavaquinho e guitarra).

O single de antecipação “Tanto” estreia na Antena 1 RDP África na quarta-feira, dia 24 de Abril.


web

03.05.2013 | by herminiobovino | música africana, música angolana, world music

Monoswezi - The Village (2013)

Village, Monoswezi’s debut album, is a collection of rearranged Zimbabwean traditional songs blended with a cool Nordic edge. With members hailing from Mozambique, Zimbabwe, Norway and Sweden the boundary-crossing band’s sound is entirely unique. Articulated mbira rings out atop colourful woodwind and the gentle rhythm section.

Tracklist:
01 Hondo (music trad, words Hope Masike)
02 Ndinewe (Hope Masike)
03 Kuenda Mbire (trad, arr Hope Masike/Monoswezi)
04 Mapfunde (trad/Hope Masike)
05 Kalahari (Hallvard Godal)
06 Heya! (Hope Masike)
07 Nhemamsasa (trad, arr Hope Masike/Monoswezi)
08 Xitimela (João Cabaço, arr Monoswezi)
09 Matue Tue (trad/Calu Tsemane, arr Calu Tsemane)
10 Metal Drum (Calu Tsemane, arr Monoswezi)
Personnel:
Hope Masike - vocals, mbira;
Calu Tsemane - vocals, percussion;
Hallvard Godal - saxophone, clarinet;
Putte Johander - bass;
Erik Nylander - drums, percussion.

03.04.2013 | by raul f. curvelo | Ethnic Jazz., Monoswezi, World Fusion, world music, zimbabwe

Etats généraux des musiques du monde

O que os artistas no mundo dizem sobre música?

What artists in the world say about music ?

Etats généraux des musiques du monde : “Paroles d’artistes”

Les Etats généraux des musiques du monde se tiennent les 11 et 12 septembre 2009 à Sciences-Po Paris. A cette occasion, Mondomix a rassemblé des paroles d’artistes du monde entier qui chacun à leur manière, par leurs énergies créatrices, contribuent à construire l’édifice de la mémoire, de la paix et du rassemblement.

 

LES ARTISTES :  A Filetta (Corse (france))  Abd Al Malik (France)  Danyel Waro (Réunion)  David Krakauer (Etats-unis)  Ken Boothe (Jamaïque)  Lee Scratch Perry (Jamaïque) Lhasa (Canada, Mexique)  Manu Dibango(Cameroun, France  Rajery (Madagascar) 

 

Find here. 

 

 

05.03.2011 | by ritadamasio | artistas, músicas do mundo, world music