A Batalha de Trabatô - Estreia em Portugal, 11 de Julho

O filme “A Batalha de Tabatô” de João Viana estreia amanhã, 11 de Julho, nas salas portuguesas.

O filme estreia em Portugal depois de ter sido distinguido em fevereiro com uma menção honrosa no festival de Berlim e de ter tido antestreia em abril, no festival IndieLisboa.

Trailer



web

10.07.2013 | by herminiobovino | cinema, cinema português, Guiné Bissau

“Noite portuguesa”. A propaganda no cinema do Estado Novo

A propaganda no cinema do Estado Novo, será abordada na FCSH da Universidade Nova de Lisboa.
De 19 de Fevereiro a 30 de Abril, em horário pós-laboral (Terças-feiras, das 18h às 21h) tem lugar o curso livre “Noite Portuguesa”. As inscrições decorrerão a partir de Janeiro, no Núcleo de Formação ao Longo da Vida.


2.º semestre
Organização: Departamento de Ciências da Comunicação
Responsável: Francisco Rui Cádima
Docente: Maria do Carmo Piçarra

Calendário e horário das sessões:
Início a: 19 de Fevereiro | Fim a: 30 de Abril | Terças-feiras | das 18h30m às 21h30m

Temas das sessões:
1. Propaganda cinematográfica. Génese e casos paradigmáticos (inglês, soviético, italiano e alemão).

2. Início da propaganda cinematográfica em Portugal: A Grande Guerra filmada. Filmes coloniais (missões cinematográficas de 1928 e 1938) para as Exposições internacionais e para a Exposição do Mundo Português.

3. A criação do Cinema Popular Ambulante e a propaganda anticomunista. Documentários e actualidades de propaganda.

4. Filmes de propaganda: A Revolução de Maio (1938) e Feitiço do Império (1940).

5. O Jornal Português de actualidades filmadas de propaganda. Intercâmbio com o congénere espanhol, NO-DO.

6: Comédias à portuguesa e filmes nacionalistas.

7. Crise colonial e cinema de propaganda. A propaganda colonial em Imagens de Portugal. Filmes de guerra.

8. “Azuis ultramarinos”: os documentários coloniais de propaganda (actualidades, filmes de promoção turística e económica). O caso Diamang.

9. A auto-censura da propaganda. Critérios da censura. O filme com mais cortes da história do cinema: Catembe (1965).

10: Uma margem ao centro: o triunfo do Novo Cinema. Fantasia Lusitana, a propaganda do Estado Novo vista hoje.

Preçário:
Público em geral: 120€ | Associado INATEL: 96€ | Estudantes NOVA (licenciaturas, mestrados e doutoramentos) e Alumni: 100€ | Estudantes de outras instituições de ensino superior: 120€.

Número de créditos: 3 ECTS
Regime de Avaliação: Avaliação contínua e trabalho final individual

Local de inscrição:
Divisão Académica | Núcleo de Formação ao Longo da Vida
Piso 1, Torre B
Datas de inscrição: 03 de Dezembro de  2012 a 13 de Fevereiro de 2013.

Quem estiver interessado e quiser mais informações pode escrever, por favor, para:

Contactos para informações:
Núcleo de Formação ao Longo da Vida
Telefone/Extensão: 217908383
E-mail:
salazarvaiaocinema@gmail.com
nflv@fcsh.unl.pt

29.12.2012 | by herminiobovino | ciclo cinema, cinema português, Estado Novo

"Tabu", de Miguel Gomes, no Cineclube de Telheiras‏

“Tabu” triunfou no Festival de Berlim de 2012 ao ter ganho os prémios Alfred Bauer e FIPRESCI. Miguel Gomes conquistou ainda os prémios Lady Harimaguada de Prata e o prémio do Público, no Festival Internacional de Cinema de Las Palmas 2012.

“Tabu” conta a história do amor impossível entre Aurora (Ana Moreira) e Gianluca Ventura (Carloto Cotta). Um filme pouco comum, com co-produção francesa, alemã e brasileira.


Entrada Livre para sócios do Cineclube de Telheiras.
Público: 4€.
Local: Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro.
Morada: Estrada de Telheiras, 146.
Reservas: cinetelheiras@gmail.com
Transporte: Metro Telheiras, linha verde – Autocarros 747, 767, 778.
Data/Hora: 29 Nov, 21.30.
web
ENTRADA LIMITADA a 140 espetadores.

29.11.2012 | by herminiobovino | cinema, cinema português, Moçambique, Portugal

Tatiana Macedo: "Seems so long ago, Nancy"

4 Windmill Street is proud to present the full UK premiere of Portuguese artist Tatiana Macedo’s film debut, Seems So Long Ago, Nancy (HDCAM | 45” | 2012). Shot on location at Tate Modern and Tate Britain, London over the course of three months, the film fluctuates between the subject of gallery assistant and the neoclassical and postmodern architectural spaces they occupy.

Separated from the curated programme surrounding the employee and the uniformed visitor service role they are positioned to operatein; Seems So Long Ago, Nancy acts as a passive lens without a‘countershot’, or point of view shot, as if the gallery is looking from within. This introspection is compounded by chasmic moments of reverberation in background chatter, met equally head on with moments of silence and contemplation.

Seems So Long Ago, Nancy premiered at the international film festival Doclisboa, Portugal in October 2012 and extracts have been screened at Tate Britain, London (2012) and the Stedelijk Museum Bureau Video Programme, Amsterdam (2012). The screening at 4 Windmill Street is accompanied by a supporting photography exhibition and a limited edition production still selection.

Opening 21 N 6PM-9PM UNTIL 15 DECEMBER, 2012.

20.11.2012 | by herminiobovino | cinema, cinema português, London

“Por Aqui Tudo bem”, de angolana Pocas Pascoal, triunfa no Los Angeles Film Festival

 O filme “Por Aqui Tudo Bem”, da realizadora angolana Maria Esperança (Pocas) Pascoal, ganhou o primeiro prémio do júri para ficção no Los Angeles Film Festival, anunciou a organização.

“A realizadora transformou a sua história pessoal de exílio de Angola num drama profundamente comovente, cujo poder cinematográfico é particularmente impressionante no trabalho de um realizador estreante”, refere a declaração do júri do festival de cinema independente da Costa Oeste dos Estados Unidos.

Escolhido pelo júri entre 200 curtas e longas-metragens de mais de 30 países, “Por Aqui Tudo Bem” - “All is Well” na versão inglesa - conta a história de duas irmãs angolanas que fogem da guerra civil no seu país para Lisboa e, depois, para França.

Para o júri, trata-se de uma “exploração da experiência de emigração e, especialmente, dos laços entre parentes, num trabalho de marcante eloquência visual e honestidade emocional”.

Produzido por Luís Correia, o filme conta com interpretação de Cheila Lima, Ciomara Reis, William Brandão e Vera Cruz.

O Prémio Narrativa tem um valor monetário de 15 mil dólares (11,8 mil euros), atribuído pela organização cultural sem fins lucrativos Film Independent.

O festival, na sua 18.ª edição, atribuiu ainda um prémio do júri para um documentário, este ano para “Drought” (“Seca”), de Everardo Gonzalez.

“Por aqui tudo bem”, de Pocas Pascoal, foi distinguido com o prémio de melhor longa-metragem portuguesa de ficção, na 9.ª edição do IndieLisboa, Festival Internacional de Cinema Independente, que encerrou a 6 de maio.

artigo originalmente publicado no jornal PúblicoJunho 2012.

27.06.2012 | by herminiobovino | cinema, cinema angolano, cinema português

Arte projectada: Arte Vídeo em Trânsito - Mostra Lusófona de Vídeo Arte

Dias 12 e 13 de Maio das 18h00 às 21h30 na Sala Visconti, Fábrica do Braço de Prata, Lisboa.

Toda a informação em: www.visoesdocinema.blogspot.com

Organização: Arte Projectada / Apoio: Fábrica do Braço de Prata

 


 


09.05.2012 | by martacacador | arte, cinema, cinema brasileiro, cinema português

Apresentação Final do Projecto Kê Li Kê Lá‏

O Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação EDP e a produtora Vende-se Filmes têm o prazer de convidar V. Exa. para a apresentação final do projeto de sensibilização artística e formação em cinema Kê Li Kê Lá, que terá lugar dia 12 de Abril, às 18h, no auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian.

Na apresentação será exibida a curta metragem Nada Fazi, de Filipa Reis e João Miller Guerra, vencedora do Prémio de Cinema Português no Fantasporto 2012, bem como o Making Of deste projeto, realizado por Leonor Noivo.

Kê Li Kê Lá nasceu no Casal da Boba (Amadora) e nele participaram os jovens do bairro que experimentaram várias técnicas artísticas, enquanto partilhavam as suas histórias de vida. Junto aos auditórios, estarão expostas as imagens captadas pelos jovens no curso de Fotografia II, coordenado por José Nuno Lamas. A equipa de profissionais do projeto também desenvolveu, a partir das histórias do bairro, um guião para uma longa-metragem.

Informações:
Tlm. 913 597 778 | Email: info@vende-sefilmes.com
web
facebook
Vende-se Filmes
Rua da Esperança, 73, 1200-656 Lisboa | Tel. 211913524

09.04.2012 | by herminiobovino | cinema, cinema português

"Linha Vermelha"

TERRATREME filmes

Linha Vermelha
de José Filipe Costa
estreia nacional a 12 de Abril

Linha Vermelha recua a 1975, altura em que o alemão Thomas Harlan realiza o documentário Torre Bela, sobre a ocupação de uma grande herdade no Ribatejo, propriedade dos duques de Lafões. Esse filme transformou-se num ícone do período revolucionário português: a discussão acalorada sobre a quem pertence uma enxada da cooperativa, a ocupação do palácio, o encontro dos ocupantes com os militares em Lisboa e o processo de formação de uma nova comunidade… 37 anos depois, José Filipe Costa revisita esse filme emblemático,reencontrando os seus protagonistas e a sua equipa. Qual foi a influência da presença da câmara sobre os acontecimentos? Quem são hoje os protagonistas da altura? O que pensam sobre a ocupação e sobre o filme Torre Bela? Que memória têm da herdade? Linha Vermelha responde a estas questões e mostra como Torre Bela continua a marcar a história de um período conturbado do país.

Melhor Longa Metragem Portuguesa IndieLisboa 2011.

IndieLisboa 2011 | Viennale, Vienna International Film Festival, Áustria 2011 | 15º Festival de Cinema Luso-Brasileiro, Santa Maria da Feira 2011| Filmoteca Española - IX Mostra Portuguesa - ciclo de cine português 2011 | Ambulante, Gira de Documentales, várias cidades do México 2012 | Courtisane, Ghent, Bélgica 2012 | Planete Doc Film Festival, Varsóvia, Polônia 2012 | Dokumentarfilmwoche Hamburg, Alemanha 2012.

(trailer)
Antestreia Nacional no Cinema Passos Manuel [Porto]: 5 de Abril, 22h
Antestreia na Cinemateca Portuguesa [Lisboa]: 10 de Abril, 21h30 (exibição de “Torre Bela”, de Thomas Harlan, na sessão anterior, às 19h)

Lisboa- Cinema City Classic Alvalade [NLC]
Azambuja – Cinema Atrium [Zon Lusomundo]
Coimbra – Cinema Dolce Vita [Zon Lusomundo]
Porto  Cinema Dolce Vita [Zon Lusomundo]

web | facebook
TERRATREME filmes
R. Dom Duarte, 3  5º Esq
1100-198 Lisboa
+351 21 241 57 54 | +351 96 458 69 62
info@terratreme.pt

07.04.2012 | by herminiobovino | cinema português, documentário

Ciclo de Cinema Português 2012 - MAPUTO

 Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Eduardo Mondlane

Ciclo de Cinema Português, 2012 (Cinema e Literatura)
13h30
- 23 de Março, “A Carta” (105’, Dir. Manuel de Oliveira, 1999)
- 30 de Março, “O Delfim” (83’, Fernando Lopes, 2002)
15h30
- 14 de Março, “A Costa dos Murmúrios” (115’, Dir. Margarida Cardoso, 2004)
- 21 de Março, “José e Pilar” (125’, Dir. Miguel Gonçalves Mendes, 2010)
- 23 de Março, “Uma Abelha na Chuva” (65’, Dir. Fernando Lopes, 1971)
- 28 de Março, “Manhã Submersa” (131’, Dir. Lauro António, 1980)
- 30 de Março, “A Selva” (104’, Dir. Leonel Vieira, 2002)
- 04 de Abril, “Palavra e Utopia” (130’, Dir. Manuel de Oliveira, 2000)

 

15.03.2012 | by herminiobovino | ciclo cinema, cinema português, literatura

A curta-metragem “Viagem a Cabo Verde” integra a selecção oficial da mostra competitiva do festival “É tudo verdade” em São Paulo

Realizado pelo português José Miguel Ribeiro, a obra, com 17 minutos, é produzida pela “Sardinha em Lata”.

 

São Paulo - O curta-metragem  integra a selecção oficial da mostra competitiva do festival “É tudo verdade”, que decorre simultaneamente nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro (Brasil). A animação ambientada em Cabo Verde terá sua primeira exibição nesta terça-feira, 5, em São Paulo.

Logo após a estreia na capital paulista, o filme ganha uma reapresentação na quinta-feira, 7, para já na sexta-feira e no domingo, 8 e 10, ser exibido no Rio de Janeiro.

“O curta é uma crónica de viagem muito livre pelos caminhos de Cabo Verde. Abandonando o telemóvel, o relógio e os planos, reduz-se a bagagem ao mínimo essencial, para descobrir as montanhas, o mar, as tartarugas, as cabras, a música, os habitantes e, quem sabe, também uma parte essencial de si mesmo”, descreve a sinopse do filme.

Realizado pelo português José Miguel Ribeiro, a obra, com 17 minutos, é produzida pela “Sardinha em Lata”.

 

Ler mais em Africa 21

05.04.2011 | by ritadamasio | animação, Brasil, cabo verde, ciclo cinema, cinema português